Triumph Tiger Explorer

Triumph Tiger Explorer

50%

dos usuários recomendam esta moto

Satisfação Geral 1.5
Visual 2.5
Conforto 1.5
Performance 2.5
Dirigibilidade 1.5
Consumo 3.5
Custo x Benefício 3.75


Ficha Técnica


Cilindrada: 1215.00 cc

Tipo de Motor: 4 tempos

Arrefecimento: Líquido

Combustível: Gasolina

Potência Máxima: 137.00 cv a 9300 rpm

Torque Máximo: 12.33 kgf a 5400 rpm

Transmissão: 6 marchas

Injeção: Eletrônica

Partida: Elétrica

Chassi: Aço

Suspensão dianteira: Invertida

Ajuste da suspensão dianteira:

Suspensão traseira:

Ajuste da suspensão traseira:

Balança:
DIMENSÕES

Peso (seco): 0 kg

Peso em movimento: 259.00 kg (MVOM)

Comprimento: mm

Largura: 885 mm

Altura: 1410 mm

Altura do Banco: 840 mm

Distância entre Eixos: 1530 mm

Pneu Dianteiro: 100/80 R19

Pneu Traseiro: 150/70 R17

Capacidade do tanque:

Outras Versões

Tiger Explorer (ABS)

2017, 2015, 2014, 2013

Tiger Explorer XC (ABS)

2015, 2014, 2013

Tiger Explorer XCa

2017

Tiger Explorer XCx

2017

Tiger Explorer XR

2017, 2016
(ver todas)

Principais avaliações

Recomendo!

Pros: potente, rápida e imponente. O motor tricilindrico é um espetáculo em todos os níveis de giro. Muitos recursos eletrônicos (dois níveis de abs e controle de tração).Excelente para viajar. Tinha uma...
0
Rudimar Marcos - 03/06/2014

Não recomendo!

Contras: Diria que a crítica principal, é em relação a distribuição de peso entre a roda dianteira e traseira. Muito peso na frente, incompatível com uma moto trail, destinada a uso misto. Não serve para of...
3
Reinaldo Godinho Jr - 14/02/2017
Ver todas as avaliações


Veja motos deste modelo à venda (ver todas)

De R$ 31000 a R$ 63990 entre 15 ofertas disponíveis

Modelos similares a Triumph Tiger Explorer


Notícias sobre Triumph Tiger Explorer

    Triumph Tiger Explorer XCa chega nas lojas

    Explorer XCa chega ao mercado nacional por R$ 78 mil A britânica Triumph está trazendo ao Brasil mais uma novidade, logo depois de sua remodelada linha clássica Bonneville chegar às lojas, é a vez da Tiger Explorer XCa tomar o varejo. O modelo chega esta semana às 14 c... Leia mais...

    12-Sep-2016

    Teste Triumph Tiger Explorer XC

    A Triumph Explorer XC não é só mais uma Big Trail de tantas presentes no mercado brasileiro. Verdade que essa classe de motos é bastante concorrida, porque para o Brasil, dada a sua extensão territorial e condição das estradas, esse tipo de moto faz muito sentido ao motociclista que gosta ... Leia mais...

    09-May-2014

Outros Modelos Triumph



Todas as avaliações desta moto

Avaliação de Rudimar Marcos em 03/06/2014

Avaliou moto Triumph Tiger Explorer XC (ABS) 2013

Comentários:
Excelente moto. Comprei a uns três meses. Vou viajar com ela. Tinha uma Honda Transalp que fiz Machu Pichu e Ushuaia. Agora vou de Triumph.Não é moto para o dia a dia. Émoto para a estrada.
Pros:
potente, rápida e imponente. O motor tricilindrico é um espetáculo em todos os níveis de giro. Muitos recursos eletrônicos (dois níveis de abs e controle de tração).Excelente para viajar. Tinha uma Transalp e troquei por esta. Incomparáveis.
Contras:
consumo e altura do banco para pilotos baixos como eu.

Condições do Teste

Tempo de Uso
Menos de um ano
Tipo de Uso
Lazer
Terreno Testado
Urbano, Estrada
Quilometragem
1000
Manutenção
Custo de Mantenção
0
0
0
0
0
4
4.5
Esta análise foi útil para você? Sim (8) Não (10)

Avaliação de Reinaldo Godinho Jr em 14/02/2017

Avaliou moto Triumph Tiger Explorer XR 2016

Pros:
Tive duas Yamaha XT1200Z Super Ténéré e decidi experimentar uma nova Big Trail. Se a avaliação for como moto Trail, será negativa. Principalmente se comparada com a antiga japonesa. Muito mais polivalente. Agora, se for avaliada como uma Cross Over, seria positiva. Ou seja, uma moto de uso em asfalto, com eventuais incursões em estradas de terra, sem grandes dificuldades. Ela é muito potente! Motor de giro alto. Anda muito. Em asfalto, tem boa estabilidade. Acelera forte. Freios bons. Boas opções de mapas de potência e modo de dirigir. Fácil leitura no painel e o acesso aos comandos é muito bom. Intuitivo e fácil de acostumar. A bolha elétrica é confortável. Permite ajustes com a moto em movimento.
Contras:
Diria que a crítica principal, é em relação a distribuição de peso entre a roda dianteira e traseira. Muito peso na frente, incompatível com uma moto trail, destinada a uso misto. Não serve para off road. Me parece uma (ótima) moto street, adaptada com suspensões de curso mais longo, para eventuais usos em Off Road Leve. O motor, esquenta demais. Beira o insuportável e quando estaciono, posso ouvir a água do radiador fervendo. Incomoda muito, chega a queimar as pernas. A geometria não é boa. Sem a colocação de um "riser" no guidão, é muito desconfortável. O "riser amenizou o problema, mas não resolveu. O cambio, comparado com a antiga Super Ténéré 1200, é esquisito. Dá solavancos fortes entre a primeira e segunda. E entre a Terceira e quarta. A embreagem, quando solta bem devagar, dá soquinhos. Manter o controle da moto em situações "off road", em baixas rotações é bem complicado. A inércia de giro do potente três cilindros, desequilibra a moto. Além disso, falta potência em giros baixos e sobra em giros mais altos. Tanque só comporta 20 litros, contra os 23 da antiga japonesa. E o consumo é bem maior, na casa de 16, contra os 20 da anterior. Portanto, a autonomia caiu bem, mas ainda é aceitável. Comprei pensando em uma nova "Big Trail". Mas está longe disso. Na terra, a Yamaha é muito superior. A inglesa deveria ser totalmente repensada. O motor é incompatível. Pesado demais, muito potente em altas e com falta de torque em baixas. Produzindo um calor insuportável. Este três cilindros, não serve para moto de uso misto. O quadro também não ajuda em nada. O sub quadro de ferro está mais para moto street, do que uma moto aventureira. Joga ainda mais o peso para dianteira. Bom para curvas em alta, no asfalto, péssimo para estradas esburacadas e, principalmente se tiber areia fofa. No asfalto, e uma boa moto. Mas não serve para aventuras "off road". Comprei, me decepcionei e vou vender para não perder muito valor. Vou voltar para a Super Ténéré, pois meu uso principal, será viagens para regiões remotas. Fiz recentemente uma viagem para Chapada dos Veadeiros com a Yamaha. Foi muito bom. Se tivesse que fazer com esta inglesa, teria muitas dificuldades nos quase 600 km de estradas de terra que rodei. Com areia fofa, pedras, ladeiras ingrimes, pontes precárias e muitos buracos. A bolha elétrica, já está fazendo barulhos estranhos, nas ruas esburacadas de de São Paulo. Imagina isso numa estrada de terra? E por último, há poucas concessionarias. E pode haver espera de até 20 dias, dependendo da peça. Ainda que as (poucas concessionárias) atendam muito bem o cliente.

Condições do Teste

Tempo de Uso
Menos de um ano
Tipo de Uso
Transporte
Terreno Testado
Urbano, Terra, Estrada, Pista
Quilometragem
600
Manutenção
Dentro do esperado
Custo de Mantenção
Alto
3
5
3
5
3
3
3
Esta análise foi útil para você? Sim (0) Não (0)