Foto: Da esquerda para a direita - Jorge Balbi (pai), Erick Bretz, Mariana Balbi, Jorge Balbi, Rodrigo Lama, Max Balbi, Pipo Castro e Nivaldo Viana Fred Mancini

2B Duracell realiza Training Day e encerra temporada

Foto: Da esquerda para a direita - Jorge Balbi (pai), Erick Bretz, Mariana Balbi, Jorge Balbi, Rodrigo Lama, Max Balbi, Pipo Castro e Nivaldo Viana Fred Mancini

Foto: Da esquerda para a direita - Jorge Balbi (pai), Erick Bretz, Mariana Balbi, Jorge Balbi, Rodrigo Lama, Max Balbi, Pipo Castro e Nivaldo Viana Fred Mancini

Pela última vez na temporada 2010, sete pilotos da equipe 2B Duracell Racing estiveram reunidos em Belo Horizonte, MG. Pipo Castro, Rodrigo Lama, Nivaldo Viana, Jorge e Mariana Balbi, Anderson e Gustavo Amaral, participaram nesta quinta-feira (2 de dezembro) do 2B Duracell Training Day.

O evento serviu para festejar a temporada de sucesso da 2B Duracell, que neste ano, além de conquistar a “tríplice coroa” do motocross, vencendo o Campeonato Brasileiro, a Superliga de Motocross e o Brasileiro de Arenacross, foi a equipe que mais venceu e mais subiu ao pódio.

O responsável pela façanha foi Anderson Amaral que, de quebra, venceu todas as provas que participou no Campeonato Brasileiro, conquistando a temporada perfeita. O quarto título nacional veio com Nivaldo Viana, que venceu a Superliga de Motocross na categoria CRF 230cc.

Além disso, a equipe foi a que conquistou o maior número de vitórias em competições nacionais nas categorias principais (MX1 e MX2). Juntos, Jorge Balbi e Adam Chatfield subiram ao lugar mais alto do pódio doze vezes – sendo dez com Balbi. Atrás da 2B Duracell está a equipe Honda, com nove vitórias e a Pro Tork, com seis.

A equipe foi, ainda, a única que conseguiu destaque internacional na temporada. Mais uma vez, Mariana Balbi brilhou nos EUA. Mesmo correndo contundida, ela terminou o WMX em 5º lugar. Além dela, Jorge Balbi e Pipo Castro também fizeram bonito fora do Brasil.

Eles foram os brasileiros, com melhor colocação na etapa do mundial realizada em Campo Grande e ainda participaram da equipe brasileira no Motocross das Nações. Balbi, além de ser o capitão da equipe brasileira, ainda participou em duas etapas do Mundial, duas do Europeu de Supercross e seis do AMA Supercross.

Única equipe multimarca do país, a 2B Duracell contou com patrocinadores de dentro e de fora do segmento motociclístico. O investimento deu certo e, ao longo da temporada, a equipe conseguiu um retorno de mídia que ultrapassa 22 milhões de reais, sendo destaque em todos os principais veículos de mídia do país.

A festa

Para encerrar a temporada, a equipe preparou um belo evento, reunindo pilotos e staff. A primeira parte do 2B Duracell Racing Day foi no Centro de Lazer da equipe. Um encontro entre os pilotos da equipe e a imprensa apresentou os resultados de 2010 e apresentou as expectativas para 2011.

Em seguida, a hora que todos os pilotos esperavam. No Centro de Treinamento da 2B Duracell Racing, em Pedro Leopoldo, eles finalmente puderam entrar na pista, após um grande almoço de confraternização.

“Foi um dia muito especial. Como os pilotos são de estados diferentes, é importante fazer essa reunião para unir ainda mais os competidores. 2010 foi sensacional e precisávamos compartilhar os resultados inéditos com a imprensa de Minas e do Brasil”, explicou Erick Bretz, Coordenador da 2B Duracell.

Jorge Balbi

Encerrada a temporada 2010, a equipe já começa a pensar no ano que vem. Principal piloto da equipe, o mineiro Jorge Balbi embarca na próxima segunda feira para os EUA, onde vai iniciar a sua pré-temporada para o AMA Supercross, que começa já no início de janeiro. O piloto usará a competição para se preparar para os campeonatos nacionais, que começam em março.

A equipe estuda ainda a possibilidade de enviar mais alguns pilotos para realizar a pré-temporada no exterior. Em breve, mais alguns nomes devem ser confirmados. “Estamos trabalhando para enviar o maior número de pilotos que pudermos, pois o ganho de uma pré-temporada fora é incalculável. Com ela, todos chegarão em um nível muito superior para a estréia no nacional, que é o nosso foco principal”, declarou Jorge Balbi Pai, chefe da equipe 2B.

A 2B Duracell Racing tem o patrocínio de Gilette, Monster Energy, Ariel, Mobil, i9/Coca-Cola, Mormaii, Café Fino Grão e Mart Plus. Os patrocinadores/fornecedores são NFS, NEYFA, Pirelli, Laquila e MRPRO.

Análise do Ano e expectativa dos pilotos para 2011

Jorge Balbi

“Voltei dos EUA este ano e, no início do campeonato, não tinha o sonho de ser novamente campeão brasileiro. A queda e a derrota me fizeram aprender demais e, para o ano que vem eu tenho esse sonho de novo. Quero muito ganhar o campeonato. Foi o ano de aprender que eu não preciso ganhar todas e que, para conquistar o campeonato, você precisa estar em todas as provas.

Rodrigo Lama

“Se tudo der certo vou treinar com o Balbi nos EUA e, quem sabe, no ano que vem andar entre os cinco da MX2 e tentar o título da MXJr. Estou ao lado dos melhores pilotos do Brasil como o Balbi, o Pipo e sei que estar com eles vai me ajudar 100% no aprimoramento da minha técnica”

Mariana Balbi

“Minha meta para a próxima temporada é me recuperar de contusão, voltar 100% e tentar brigar pelo título do WMA. Estou pensando somente nos EUA e já está confirmado que eu irei competir lá. Ainda não sei por qual equipe porque as equipes começam a selecionar as mulheres em janeiro, mas sei que vai ser uma temporada sensacional”

Pipo

“Eu acho que dentro das condições foi um ano bom, por ter sido o melhor brasileiro para o Mundial e ter sido selecionado pela primeira vez para competir no Nações. Foi bom não só pra mim mas para a equipe também. O ano que vem o que mais me motiva é o fato de poder andar na MX2 novamente. Isto me dá bastante ânimo, pois é uma categoria que eu sempre me dei bem e poder competir em duas categorias é bem mais vantajoso para os pilotos, que tem mais chance de treinar na pista”

Gustavo Amaral

“Este ano pra mim foi um ano de recuperação. Estava parado no ano passado e, quando retornei, tive muitas dificuldades para conseguir ritmo e voltar a andar junto com os meus adversários. Agora, já retornei e acredito que no ano que vem posso voltar a brigar pelas vitórias”.

Anderson Amaral

“Este ano foi o melhor ano da minha carreira onde eu ganhei tudo e acredito que o ano que vem será diferente, um ano de aprendizado. Já me sinto muito pouco confortável na 150cc pois a moto é muito pequena e, ano que vem, quero subir pra 250cc. Se isso acontecer eu tenho que treinar muito mais que este ano para, quem sabe, conseguir andar na frente. Mas será meu primeiro ano com uma 250cc e não dá pra entrar com a pressão de brigar pela vitória. A preparação física é totalmente diferente. Dá pra dizer que, pra pilotar uma 250cc, você precisa ter três vezes mais preparo do que uma 150cc.”

Nivaldo Viana

“Este foi o meu segundo ano pela equipe e, finalmente, pude conquistar o meu primeiro título, vencendo a Superliga de Motocross na categoria CRF 230cc. Para o ano que vem, a expectativa é ainda melhor e espero conseguir resultados ainda melhores. Como fui campeão, a pressão será um pouco maior mais creio que posso conquistar mais títulos”