30% de adesão: postos participam de projeto piloto para destinar resíduos sólidos

O serviço de coleta de resíduos sólidos de óleos lubrificantes, piloto autorizado pela Cetesb em Campinas teve a adesão de 30% dos postos da cidade. Nos próximos dias são esperados mais adesões.

Cerca de 30% dos postos em operação de Campinas aderiram ao projeto piloto implantado pelo Recap em parceria com a Oil Packing e Wisewood, autorizado pela Cetesb para a cidade. A reunião de ontem teve a participação de proprietários de 49 dos 160 postos em operação em Campinas, que assinaram a adesão ao projeto. O projeto piloto tem a intenção de dimensionar o lixo gerado pelos Postos Revendedores de Combustíveis e a partir daí implantar na Região Metropolitana de Campinas e em uma terceira etapa para toda a região atendida pelo Recap, 90 cidades. O Recap – Sindicato dos Postos de Combustíveis de Campinas e Região – acredita que nos próximos dias a maioria dos postos da cidade deverá aderir ao projeto piloto.

O projeto além de facilitar o dia-a-dia do revendedor; proporcionará enormes benefícios para a sociedade e especialmente para o meio ambiente. A Oil Packing será a responsável pela coleta e destinação do resíduo sólido e a Wisewood, responsável pela destinação dos resíduos, respectivamente. As referidas empresas estão habilitadas pela Cetesb e, por se tratar de um projeto piloto, a pedido do Recap, já retiraram os CADRIs – Certificado de Aprovação para Destinação de Resíduos Industriais para todos os postos revendedores da cidade. Cada CADRI custa mais de R$ 1.000,00. Além disso, a Oil Packing também emitirá aos postos participantes um Certificado de Destinação de tudo o que for coletado e sua destinação. Os postos, mesmo contratando empresas especializadas para coleta e destinação de seus resíduos, são responsáveis solidários pela destinação.

O serviço soluciona um dos grandes problemas do revendedor e do meio ambiente que é a destinação de resíduos sólidos dos óleos lubrificantes, cobrados pela sociedade, pelo Ministério Público e pelos órgãos fiscalizadores do Meio Ambiente.

“Os postos, hoje, estão sem opção, pois é sua obrigação dar destinação aos resíduos, a exemplo de outras atividades e acaba sendo obrigados a aceitar propostas de empresas com pequeno espaço para negociação. Temos um resíduo rico, mas que para os postos representa apenas custos. Se conseguirmos zerar esse custo, que hoje gira entre R$ 700 e R$ 1000, por estabelecimento, será um grande benefício para a nossa categoria e que levará outras empresas a repensar seu relacionamento comercial com todos os que geram resíduos lucrativos e que podem ser repassados para outras atividades que vivem a mesma situação,” afirma Emílio Roberto Martins, presidente do Recap.

O projeto piloto que há 14 meses vem sendo trabalhado e desenvolvido para atender toda a demanda da cidade de Campinas, a pedido da Cetesb atenderá também os postos não filiados ao Sindicato. Gradativamente será estendido para todos os outros postos da Região Metropolitana de Campinas e posteriormente para as 90 cidades que integram a área do Recap. A coleta terá início nos primeiros dias de janeiro de 2009.