A Cruz da CG 150: finalmente as versões oficias

A Cruz da CG 150: finalmente as versões oficias

A Cruz da CG 150: finalmente as versões oficias

Honda e Pirelli divulgam notas sobre a absurda lenda urbana criada pelo misticismo popular. Uma lenda urbana se espalhou como catapora entre motociclistas de todo Brasil. Algu‚m com senso de humor demais e ju¡zo de menos espalhou que o engenheiro que projetou a Honda CG 150 teria feito um pacto com o diabo para a moto ser um sucesso de vendas. Para que seu objetivo fosse alcan‡ado foi colocada uma cruz invertida dentro do farol da moto. Na Internet, circulou at‚ um texto em primeira pessoa no qual o engenheiro narrava sua desgra‡a. Uma bobagem compar vel …s lendas urbanas sobre a loira do banheiro ou seringas contaminadas com aids nos cinemas.

Para completar, “descobriram” que o pneu Pirelli da CG tem nome comercial City Demon. A confusÆo chegou a tal ponto que traduziram City Demon Front como “cidade do dem“nio … frente”, algo tÆo absurdo como traduzir latin lover (amante latino) como “latino amor”. A palavra inglesa front indica que aquele pneu deve ser usado na dianteira. J  city demon significa “dem“nio da cidade”, justamente o inverso do que estÆo comentando.

A Honda nÆo fez um pronunciamento oficial, mas distribuiu um comunicado aos concession rios informando que a referida pe‡a, chamada Clamp H 25 tem como finalidade evitar o atrito entre os fios do chicote el‚trico e que a retirada al‚m de comprometer o sistema, ainda quebra o contrato de garantia.

J  a Pirelli s¢ enviou … imprensa uma explica‡Æo sobre o nome do pneu quando solicitada. O mais curioso ‚ que ningu‚m implicou com os pneus da Yamaha Fazer 250 que se chamam Sport Demon.

Segundo a empresa: “A Pirelli informa que o pneu City Demon foi desenvolvido para equipar motos que trafegam nas grandes cidades, por isso leva o nome city, que tˆm condi‡äes adversas como pistas esburacadas, trƒnsito intenso, mudan‡as bruscas de temperatura. Demon ‚ uma palavra do idioma inglˆs que tamb‚m pode significar pessoa muito habilidosa em alguma atividade. O nome do produto nÆo est  associado a qualquer manifesta‡Æo religiosa. Trata-se apenas de uma for‡a de expressÆo para ressaltar as condi‡äes dif¡ceis que este produto enfrenta”.

A Honda mandou esse aviso aos concession rios: “Prezado Concession rio. Em fun‡Æo dos questionamentos recebidos da rede de concession ria a respeito dos boatos divulgados recentemente sobre a pe‡a em referˆncia, faz-se necess rio esclarecer o que segue: A pe‡a denominada Clamp H 25, ‚ um componente pl stico que tem como fun‡Æo PROTEGER E POSICIONAR OS CABOS DENTRO DO FAROL de forma a limitar sua movimenta‡Æo, REDUZINDO ASSIM DANOS OU DESGASTES CAUSADOS PELA VIBRA€ÇO DECORRENTES DA UTILIZA€ÇO DA MOTOCICLETA. Informamos, ainda, que a remo‡Æo deste componente pode sujeitar a fia‡Æo a esfor‡os desnecess rios, diminuindo sua vida £til e ocasionando falhas el‚tricas que NÇO SERÇO
AMPARADAS PELA GARANTIA DO PRODUTO. Toda e qualquer informa‡Æo divulgada a respeito deste componente, diferente das acima
mencionadas, deve ser considerada imprudente”

NÆo ‚ a primeira vez que lendas urbanas adquirem contornos de pandemia ou devaneio coletivo. Periodicamente as caixas de mensagens eletr“nicas ficam lotadas de cartas avisando que empresas americanas estariam dando prˆmios para quem enviasse a lista de endere‡os. Ou at‚ avisos de t¡tulos protestados. Invariavelmente sÆo v¡rus que destroem a mem¢ria do computador.

Segundo a Honda, nÆo houve queda nas vendas de suas motos, mas o fanatismo religioso e a falta de bom senso tem levado donos de CG 150 a venderem suas motos, ou mesmo instalar ros rios dentro do farol! Alguns mecƒnicos estÆo fazendo a festa e cobrando de R$ 10 a R$ 20 para retirar tal crucifixo maligno. Igrejas evang‚licas tamb‚m fazem cultos especiais para “exorcizar” a maldi‡Æo da CG 150. E o mais incr¡vel de todas as situa‡äes: em oficinas de algumas cidades pequenas alguns motociclistas estÆo pedindo para INSTALAR a tal cruz invertida, por acreditar que traz sorte!

O assunto ganhou destaque na imprensa geral, inclusive em jornais de grande circula‡Æo como O Estado de SÆo Paulo. Nas TVs regionais o tema foi debatido sobretudo nos canais ligados a alguma linha religiosa espec¡fica. As cartas que recebemos bateu todos os recordes e j  deixamos de public -las por nÆo trazer nada de admir vel. No relat¢rio de busca do Google as palavras “cruz”, “pacto” e “cruz invertida” estÆo h  mais de um mˆs em primeiro lugar dentro do Motonline. Das 10 palavras e frases usadas para acessar o Motonline por meio do Google, nove fazem referˆncia ao tema “cruz da CG”. Em 25 anos de jornalismo especializado eu nunca tinha visto nada parecido. J  fui chamado de herege, ignorante, ateu etc. Diariamente recebo mensagens de fan ticos religiosos insistindo na existˆncia de um pacto sinistro.