"Fiz isso quarenta e duas vezes mas dessa vez foi diferente" C.Reed

A determinação de um piloto – Chad Reed não desiste

O Piloto Australiano conquista sua primeira vitória depois de dois anos de muitos desafios e escreve mais um capitulo especial na história do esporte.
Sábado, 18 de janeiro de 2014 marcou o quadragésimo aniversário do AMA Supercross  e a organização preparou uma festa e tanto para comemorar a data. Grande maioria dos campeões do passado marcaram presença na terceira etapa de Anahein II, Califórnia (A primeira e quinta etapa também acontecem em Anahein). Homenagens ao primeiro campeão Pierre Karsmakers, passando pelos mitos do esporte como Bob Hannah, Rick Johnson, Jeremy McGrath (recordista com 7 títulos) e Ricky Carmichael marcaram o inicio da noite.
Outras surpresas também foram guardadas para essa etapa.  A pista foi construída baseada no traçado da prova que ocorreu no mesmo estadio em 2001 quando Mcgrath conseguiu uma de suas ultimas vitorias. Algumas equipes aproveitaram a ocasião e voltaram no tempo em relação ao grafismo das motos.

"Fiz isso quarenta e duas vezes mas dessa vez foi diferente" C.Reed

"Fiz isso quarenta e duas vezes mas dessa vez foi diferente" C.Reed

Nos treinos, se destacaram os favoritos como o novato Ken Roczen, o atual tricampeão Ryan Villopoto e o já consagrado bicampeão James Stewart que confirmaram as previsões se alternando como os mais rápidos nas qualificatórias.
Porém a noite seria especial especialmente para um piloto. Alguém que muitos consideram “carta fora do baralho”; Chad Reed (@crtwotwo), o piloto Australiano que em março completa 32 anos. Em um esporte em que aos 16 os pilotos já se destacam e começam a colecionar troféus, chegar aos 30 em condições de disputar títulos é algo que poucos alcançaram. Reed é um bicampeão e já veterano que faz sua décima terceira participação consecutiva no americano de Supercross. É um piloto muito constante com o maior número de pódios e o quarto em número de vitorias na historia. Mas seus títulos, em 2004 e 2008 levam a estigma de terem sido conquistados facilmente já que os favoritos Carmichael e Stewart respectivamente estavam de fora da disputa em função de contusões.

Moto desenvolvida pela sua equipe

Moto desenvolvida pela sua equipe

Porém a carreira de Reed é marcada por grandes dificuldades e superações desde 2000 quando ele resolveu sair da Austrália. Aos 17 anos e tendo ganhado tudo por lá resolveu se aventurar percorrendo toda Europa em um motorhome disputando o mundial de MX pela primeira vez e contando apenas com o apoio da então namorada da época de colégio Ellie. Chad conseguiu o feito de terminar seu primeiro ano em segundo justamente atrás do mito Stefan Everts  que vivia o auge da carreira.
Esse feito despertou o interesse de uma equipe privada americana (Yamaha of Troy) que o levou para os Estados Unidos em 2002 para disputar o titulo das 125cc a contra gosto de Reed que queria já brigar direto com os grandes nas 250cc.

Reed foi campeão facilmente vencendo quase todas as etapas e garantiu assim um contrato com o time de fábrica da Yamaha para disputar a categoria principal no ano seguinte.
2003 foi um ano de aprendizado para Reed que enfrentava como adversário ninguém menos que o maior nome do esporte Ricky Carmichael. Carmichael com toda a sua experiência levou o titulo mas Reed conseguiu o feito de terminar em segundo e de também vencer as seis últimas etapas, deixando claro que faria parte do pelotão de elite dali pra frente.
Nos anos seguintes Reed escreveu sua marca no esporte conseguindo dois campeonatos e 41 vitorias até a noite deste último sábado. A maioria não acreditava mais em vitórias e Chad teria sorte de subir mais uma vez ao pódio tendo em vista o nível de competitividade atual.

E realmente os últimos anos tem sido de muita luta para o australiano que resolveu deixar para trás os contratos milionários com as grandes fábricas  para realizar o sonho de competir pela sua própria equipe contando apenas com o apoio da mulher Ellie e um número pequeno de mecânicos e engenheiros

Os últimos anos tem sido de muita luta para o australiano que resolveu deixar para trás os contratos milionários com as grandes fábricas para realizar o sonho de competir pela sua própria equipe contando apenas com o apoio da mulher Ellie e um número pequeno de mecânicos e engenheiros

Ele abdicou também pela primeira vez do apoio de fábrica que já provou ser essencial para a disputa de títulos. Em 2011 a moto de Chad era uma Honda que qualquer um poderia comprar e contava apenas com o apoio da Pro Circuit de Mitch Payton.
Ninguém acreditava que Chad teria alguma chance contra os pilotos de fábrica e no final o piloto mais uma vez surpreendeu a todos decidindo o campeonato na última etapa contra o rival Villopoto. Ele ganhou a etapa de Las Vegas mas perdeu o titulo por apenas 4 pontos.

A queda que lhe tirou as chances do título em 2012

A queda que lhe tirou as chances do título em 2012

Reed provou ali que não devia ser jamais subestimado e iniciou 2012 já com o apoio de fábrica da Honda e como um dos favoritos novamente. No meio do campeonato, na etapa de Dallas ele era o mais rápido e pressionava o campeão Villopoto pela liderança quando cometeu um erro em um salto muito técnico em que apenas os dois estavam completando. O Australiano sofreu uma forte queda e rompeu os ligamentos do joelho esquerdo quando sua bota ficou presa na pedaleira.
Reed passou o ano inteiro se recuperando mas voltou em 2013 ainda fora de forma e não totalmente recuperado da cirurgia no joelho. Mas como é o único representante da própria equipe e tem compromissos com os patrocinadores tratou de entrar na disputa de mais um campeonato tendo ainda como desafio a desenvolvimento da nova Honda CRF 450 e as novas bengalas agora a ar e não mais a óleo e mola. Reed não se adaptou ao equipamento e acabou passando por mais uma cirurgia no joelho não totalmente recuperado durante o campeonato perdendo assim uma etapa e terminando o campeonato apenas na quinta posição. Foi o pior ano para ele desde que chegou aos Estados Unidos e se viu mais uma vez questionado pela mídia e os fãs. Era um momento de reflexão já que ele não tinha mais nada a provar, Chad é pai de duas crianças e tem como profissão um dos esportes mais perigosos que já vitimou seu melhor amigo, o também Australiano, Andrew McFarlane em 2010.
Mas Reed decidiu que não podia deixar o esporte por baixo e correu atrás do prejuízo, diz estar na melhor forma de todos os tempos mas mesmo assim muita coisa teria que ser feita para ele ter mais uma chance ao título. Ele rompeu com a Honda já que não se adaptou a nova CRF e teve a possibilidade de fechar com a equipe de fábrica Suzuki de Ricky Carmichael (RCH), o mesmo equipamento que lhe rendeu o último titulo no motocross em 2009. E até mesmo com a poderosa KTM que investe pesado no AMA para conseguir seu primeiro título. Mas Reed é considerado pelos companheiros e ex-chefes de equipe um piloto teimoso e até mesmo difícil de trabalhar por querer tudo na sua própria maneira . Talvez por isso e pelo sonho de continuar com seu time no futuro depois de se aposentar, Chad deixou para trás alguns milhões em salário e o conforto de ter uma equipe trabalhando inteiramente para si e tentar mais uma vez a chance ao titulo dividindo seu tempo entre gerenciar a equipe, treinar sobre a moto e fora dela e pra surpresa de todos desenvolver um equipamento do zero já que fechou novamente com a Kawasaki (marca com quem teve um péssimo ano em 2010) depois de testar as cinco grandes.

Reed com o filho de 3 anos

Reed com o filho de 3 anos

Como no passado as incertezas o cercava de todos os lados para a primeira etapa no ano em Anahein. Mas ele não decepcionou subindo ao pódio com um terceiro lugar apesar de não ter ficado satisfeito e declarar que pilotou como um novato. Na semana seguinte um nono lugar depois de uma largada ruim trouxe a tona os antigos comentários de que a idade e o ritmo dos novos pilotos eram motivos reais para ele pensar na aposentadoria.
Reed não se abalou. Não voou de volta pra casa na Florida onde vive com Ellie, o filho Tate e filha Khia para ficar na Califórnia e aprimorar o desempenho da nova KXF 450.
E os frutos de todo esse trabalho finalmente apareceram no último sábado quando ele alinhou sua Kawasaki para última corrida da noite, a final das 450. Reed obteve uma largada mediana em sexto e acompanhou os lideres até o final se aproveitando dos deslizes dos campeões Dungey e Villopoto que caíram na disputa pela liderança. Nas ultimas 8 voltas ele era o terceiro e tinha Roczen, o novato da KTM, que venceu a primeira etapa e já tinha ultrapassado o campeão Villopoto pra assumir a segunda posição, e na liderança, seu maior adversário desde 2005 James Stewart, o talentoso piloto Norte Americano que Chad poucas vezes foi capaz de superar. Ele simplesmente ignorou qualquer previsão e na penúltima volta cravou a volta mais rápida da noite, ultrapassou os dois, e venceu a etapa comemorativa dos 40 anos do AMA Supercross. Foi um momento de explosão para os mais de 45 mil fãs nos estádio e os outros milhões que assistiam ao vivo pela televisão.

Acompanhe no video abaixo a vitória de Reed (22) em uma da mais disputadas etapas dos últimos anos.

O ano apenas começou e com 14 etapas  pela frente, o Australiano provou mais uma vez que não vale a pena duvidar dele. Reed figura na terceira posição do campeonato apenas 3 pontos atrás do líder Roczen.