Harley_venda_05_06

A Harley-Davidson pode mudar de dono

Está sendo noticiado pela imprensa norte-americana a possível venda da Harley-Davidson para um grupo de investimentos privados, a Kohlberg Kravis Roberts & Co., que estaria oferecendo até US$ 65 por ação – atualmente o valor da ação da Harley está em torno de US$ 51. Consultada a fábrica de Milwaukee, esta nada confirmou, entretanto, admitindo a existência dos rumores. A Kohlberg Kravis Roberts também não quis confirmar o boato que foi rapidamente difundido através das redes sociais.

Harley-Davidson está sendo sondada para compra por um grupo de investimentos privados - foto: Harley-Davidson

A Harley-Davidson está sendo sondada para compra por um grupo de investimentos privados – foto: Harley-Davidson

A KKR é um grupo de capital privado que detém em mãos a cifra estimada em US$ 25 bilhões para a concretização da compra de ações de grandes empresas em todo o planeta. A primeira consequência dessa especulação foi uma disparada nos preços das ações da Harley-Davidson, que tiveram uma explosiva alta de quase 20% na Bolsa de Valores de Nova York.

Harley-Davidson

A Harley-Davidson, marca de motocicleta mais valiosa do planeta, já foi alvo de especulações de aquisição no passado, em 2010, com a intenção de compra pela própria KKR. Mas a decisão de venda não se concretizou naquela época e mesmo agora não poderia ser tomada sem a aprovação do conselho de administração e acionistas da empresa, o que não seria uma tarefa fácil.

No primeiro trimestre deste ano, apesar do lucro de US$ 250 milhões, a empresa apresentou uma queda 7%, o que pode atuar como um fator novo e motivador para que a venda seja feita. A montadora de Milwaukee tem sentido o decrescente volume de vendas de seus produtos, em decorrência do crescimento exponencial da Indian (Polaris Industries) e a invasão de motocicletas europeias e japonesas que se adaptam cada vez mais ao gosto do consumidor norte-americano e ocupam cada vez mais mercado ao redor do mundo.

No passado a posse da Harley já esteve em outras mãos, tendo sido comprada pela AMF. Mas o negócio da AMF era puramente especulativo, buscando apenas o valor das ações no mercado de capitais. Com isso houve uma drástica redução da estrutura de produção em busca da redução de custos, o que reduziu também a qualidade do produto, manchando a imagem das motocicletas Harley-Davidson.

Alguns anos mais tarde a marca foi resgatada por um grupo de descendentes dos fundadores, que levaram anos para restaurar a reputação da marca. Se este negócio é para valer, a KKR terá de tomar medidas para tranquilizar a nação Harley, assegurando que a qualidade e a estética da marca permanecerão incólumes.

Separador_motos



Mário Sérgio Figueredo

Motociclista apaixonado por motos há 42 anos, começou a escrever sobre motos como hobby em um blog para tentar transmitir à nova geração a experiência acumulada durante esses tantos anos. Sua primeira moto foi a primeira fabricada no Brasil, a Yamaha RD 50.