A IBM arrisca previsões sobre o futuro próximo

Dizer o que sua bola de cristal mostra é sempre perigoso, deixando você como visionário ou idiota, principalmente quando a previsão é sobre um futuro muito próximo – mas os cientistas e engenheiros da IBM vêm fazendo isso há quatro anos, no que chamam de Next 5 in 5.

Como o mundo está indo para uma urbanização cada vez maior, os advinhos da IBM focam nas inovações com potencial de mudar a maneira das pessoas viverem, trabalharem e se divertirem mundo afora, nos próximos cinco anos. A lista se baseia em tendências sociais e de mercado que poderão transformar as cidades, assim como as tecnologias que emergem dos laboratórios da empresa ao redor do mundo que têm o potencial de tornar essas previsões realidade. E quais são elas?

As cidades terão melhores sistemas imunológicos. Dada sua densidade populacional, as cidades permanecerão como viveiros de doenças transmissíveis, mas o aparecimento de uma internet de saúde dará aos prefeitos e outros gestores de hospitais, escolas e locais de trabalho a capacidade de detectar, rastrear, se preparar para enfrentar e impedir infecções. Este sistema compartilhará informações médicas anônimas em registros eletrônicos de saúde que fornecerão informações a secretários de saúda de maneira a saberem quando, onde e como as doenças estão se espalhando e até mesmo quais bairros serão os próximos a serem atacados.

A IBM já trabalha com várias organizações para padronizar os métodos de compartilhamento de informações e analisar explosões de doenças infecciosas que possibilitariam tal sistema.

Os prédios citadinos sentirão e responderão como se fossem organismos vivos. A tendência a prédios inteligentes já começou e a IBM diz que deverá acelerar com tecnologias utilizadas para gerenciar sistemas prediais de aquecimento, água, esgoto, eletricidade etc. Milhares de sensores dentro dos prédios monitorarão tudo, de movimentação e temperatura até umidade, luz e ocupação. Esses sistemas possibilitarão fazer reparos antes de alguma coisa quebrar, que as unidades de emergência respondam rapidamente com os recursos necessários, e que consumidores e proprietários de negócios monitorem seu consumo de energia e suas emissões de carbono em tempo real e ajam no sentido de reduzi-los.

Carros e ônibus andarão com o tanque vazio. Esta é uma aposta bastante segura. A mudança de veículos de combustíveis fósseis já se iniciou, embora existam fontes de energia em potencial, tais como hidrogênio e vários biocombustíveis, dignos de consideração. A IBM prevê que a tecnologia de baterias energizará a nova geração de veículos amigáveis ao meio ambiente. Diz também que as novas baterias não terão de ser recarregadas durante dias e meses, e permitirão viagens de 480 a 600 km após cada recarga. Redes inteligentes permitirão que os veículos sejam recarregados em locais públicos utilizando energia renovável, como força do vento, de maneira que nunca mais dependam de fábricas a carvão.

Sistemas mais inteligentes saciarão a sede das cidades por água e economizarão energia. Para lidar com a demanda de água, estimada seis vezes maior do que hoje dentro de 50 anos, as cidades instalarão sistemas de água mais inteligentes, que reduzirão o desperdício de água em até 50%. Sistemas inteligentes de esgoto serão instalados que não apenas impedirão poluição descontrolada em rios e lagos, mas também purificarão a água de maneira a torná-la potável. Tecnologias avançadas de purificação ajudarão as cidades a reciclar e reutilizar a água localmente, reduzindo a energia necessária para transportar a água em até 20%. Como medidores inteligentes de energia, medidores interativos e sensores serão integrados nos sistemas de água para fornecer aos usuários informação exata e em tempo real sobre seu consumo de água e assim permitir que façam melhores decisões sobre como e quando utilizem este valioso recurso.

As cidades responderão a crises, antes mesmo de receberem um telefonema. A IBM não dá muitos detalhes a respeito de como uma tecnologia dessas seria implementada, dizendo simplesmente que a análise da informação certa no momento certo ajudará a prevenir emergências, tipo crimes e desastres. A IBM diz também que já ajuda agências policiais a analisar informações e a tomar medidas proativas que evitam crimes. O corpo de bombeiros da cidade de Nova York selecionou a IBM para fazer um sistema estado da arte de coletar e compartilhar dados em tempo real e projetar sistemas de barragens que impeçam a ação devastadora de enchentes nas cidades.
A IBM tem sido muito cuidadosa em não -chutar- previsões. Todas as inovações mostradas nest- quarta 5 em 5 estão baseadas em inovações que já estão emergindo. Por outro lado, sua primeira edição das 5 em 5 falava em uma Internet em 3-D e em traduções normais de falas em tempo real – que, para se tornarem reais, têm apenas mais um ano.


José Luiz Vieira, Diretor, engenheiro automotivo e jornalista. Foi editor do caderno de veículos do jornal O Estado de S. Paulo; dirigiu durante oito anos a revista Motor3, atuou como consultor de empresas como a Translor e Scania. É editor do site: www.techtalk.com.br e www.classiccars.com.br; diretor de redação da revista Carga & Transporte.