Foto: ELobo

A incógnita do Seguro Obrigatório

Foto: ELobo

Foto: ELobo

O tempo continua passando, a mem¢ria do brasileiro ‚ fraca, e como ele se acostuma facilmente a pagar taxas e impostos, de forma submissa, nÆo luta por seus direitos.

Mais um pouco e o ano de 2007 chega ao final, vem Janeiro de 2008 e novamente “cai no colo” aquele tradicional “roubo”, que ‚ o DPVAT ( Danos Pessoais Causados por Ve¡culos Automotores de Vias Terrestres, ou por sua Carga, a Pessoas Transportadas ou NÆo) .

De novo, mais um ano se passou e o p£blico pagante nÆo recebeu nenhuma presta‡Æo de contas, nenhuma justificativa pelo pre‡o ser abusivo.

Num pa¡s com alt¡ssimo ¡ndice de corrup‡Æo, precisamos saber o que ‚ feito com todos os valores arrecadados, pois nesse ponto o brasileiro ‚ punido de forma exemplar, caso atrase um imposto ou taxa.

Criado pela Lei nø 6.194/74, com a finalidade de amparar as v¡timas de acidentes de trƒnsito em todo o territ¢rio nacional, o DPVAT garante a indeniza‡Æo, mesmo que os respons veis pelos acidentes nÆo arquem com essa responsabilidade.

O seu pagamento anual ‚ obrigat¢rio a todos os propriet rios de ve¡culos, junto com o pagamento do IPVA ou licenciamento.

No entanto, o DPVAT ‚ algo obscuro, embutido, esconde-se ao m ximo para passar despercebido e com certeza, o consorcio de seguradoras ganha muito dinheiro com isso em detrimento dos pagamentos absurdos que fazemos.

Afinal, tudo que ‚ pago deveria ter como praxe a exposi‡Æo dos valores recebidos, a aplica‡Æo dos recursos publicamente (nÆo vale alegar que est  em algum site ou coisa parecida!), enfim, a presta‡Æo de contas geral.

Quem esconde, sempre d  margem … duvidas.