A Kawasaki no Penedo 2009

A Kawasaki no Penedo 2009

A Kawasaki no Penedo 2009

Desde 1997, Penedo, no sul do Estado do Rio de Janeiro, sedia o mais tradicional evento motociclístico voltado para as grandes motos estradeiras. Na edição deste ano a cidade tida como a Finlândia brasileira preparou toda sua estrutura turística, reconhecidamente de alto nível, para receber milhares de motociclistas, em agosto, dos dias 21 a 23. O empenho da cidade se volta também para a comemoração dos 80 anos da chegada dos seus fundadores finlandeses.

A Kawasaki Motores do Brasil, como patrocinadora do evento vai propiciar aos participantes várias atividades para apresentação de suas motocicletas, especialmente a Vulcan 900 Classic, a famosa estradeira, ou cruiser, como as chamam na Europa e nos EUA, que chega à sua rede concessionária autorizada.

Em um grande stand, os visitantes poderão pilotar, em um test-ride realizado num circuito especialmente montado no recinto, a Kawasaki Vulcan 900 Classic e a Ninja 250R. Outros modelos que a Kawasaki Motores do Brasil já tem à venda no país, como as Ninja ZX-6R, a ZX-10R, a Kawasaki Z750, mais os modelos fora de estrada e de competição também estarão expostos.

Algumas das Concessionárias vão organizar viagens para o evento. De São Paulo, por exemplo, os motociclistas partem no dia 22 às 9 horas, da Concessionária Fittipaldi, com apoio em todo o percurso.

Além dos stands de outros fabricantes de motos, de peças, equipamentos, acessórios, prestadoras de serviços, seguradoras e financeiras, a realizadora do evento, a Fitipaldi-Megacycle, organiza competições em dinamômetro, gincanas para moto-clubes, o concurso Bike Show, para motos customizadas – modificadas pelos seus donos – e toda estrutura de atendimento já está disponível no site, www.penedo2009.com.br, com indicações de hotéis, pousadas, restaurantes e mapas para acesso ao município de Itatiaia, do qual Penedo é um distrito.

Penedo, um paraíso ecológico – Os primeiros finlandeses que fundaram a cidade chegaram em 1927, com a idéia de lá viver num clima que permitia uma vida mais natural. Já em 1929, com as primeiras atividades dos pioneiros numa fazenda chamada Três Poços, pertencente ao Mosteiro de São Bento, formou-se a comunidade.

Não existe em Penedo registro nominal sobre os que vieram, mas no perído de 1 de setembro de 1927 até 16 de outubro de 1940, chegaram ao porto do Rio de Janeiro 296 finlandeses, registrados 208 como imigrantes. O período de maior fluxo foi o ano de 1929 quando chegaram 122 colonos. No restante do período, que terminou com o início da Segunda Grande Guerra, as chegadas foram pequenas. Como estava previsto no Projeto Habitacional de Penedo, nos primeiros anos, até que cada um pudesse construir sua casa em um dos 250 lotes da fazenda, a vida foi em comunidade. Praticava-se uma lavoura de subsistência, e cultivava-se viveiros de mudas de laranja, cuja venda constituía a principal fonte de renda da colônia.

Após a Segunda Guerra, implantou-se a indústria hoteleira, com seus habitantes louros e costumes diferentes, como a sauna por eles introduzida, seus bailes com polcas, mazurcas e tangos, que atraiam as visitantes. E, havendo então lugar na Casa Grande, desocupada pelos colonos, passou a funcionar lá o primeiro hotel de Penedo. Aumentando o movimento, os simpáticos finlandeses começaram a receber hóspedes também em suas casas. As reservas eram feitas por carta, pois telefone praticamente não havia, e os hóspedes chegavam após viajar em 6 horas de trem do Rio, ou um pouco mais de São Paulo. Da Estação Marechal Jardim, onde desembarcavam, eram transportados para Penedo às vezes até de carro de boi, quando não havia uma charrete. Hoje é uma notável região hoteleira e de culinária.