A moto e o preconceito - do leitor da Motonline

A moto e o preconceito – do leitor da Motonline

A moto e o preconceito - do leitor da Motonline

Sempre sonhei em ter uma moto, os problemas que surgiam adiavam meu desejo.

Passei dos 40 e este ano ou comprava ou chorava o resto da vida. Em maio/05 adquiri uma Strada/2001 bem conservada e ano que vem a Tornado nÆo me escapa. Tenho aprendido muita coisa nestes 06 meses em cima da moto e aqui no Motonline com suas dicas e orienta‡äes p/os leitores; ali s, j  visitava o site antes de comprar a moto.

Ouvi muito terrorismo quando disse que ia comprar:” moto ‚ perigosa; vc vai ‚ morrer mais cedo; encomende logo o caixÆo!”. Vc est  certo quando diz “motos nÆo sÆo perigosas, mas a forma com que sÆo conduzidas ‚ que traz perigo”; eu acrescentaria: perigosas sÆo as pessoas atr s do volante de um autom¢vel, um “nibus ou caminhÆo, que nÆo respeitam o outro motorista, um pedestre, uma bicicleta, uma moto, um sinal de trƒnsito.

 curioso como as pessoas se transformam atr s do volante de um carro: no dia-a-dia sÆo profissionais bem sucedidos, um colega de trabalho exemplar, um vizinho bacana, exemplos de cidadania, alguns tem a dif¡cil tarefa de salvar vidas, educar crian‡as; mas, atr s do volante se transformam em seres arrogantes, est£pidos, com pressa de chegar em lugar algum.

Esquecem toda a educa‡Æo que tiveram e libertam um instinto criminoso capaz de atropelar um idoso por que estava atravessando lento a rua. Quando as pessoas forem educadas no trƒnsito como sÆo no trato di rio, quem sabe este preconceito muda?!