Merc_cilindradas_13_09

A oferta de motos por cilindrada no Brasil

Com frequência nos deparamos nas redes sociais com perguntas sobre as razões que as montadoras de motocicletas no Brasil não trazem esta ou aquela moto para o nosso mercado, geralmente motos que pertencem ao mercado premium. O gráfico abaixo mostra exatamente o por quê disso.

Todo e qualquer comerciante visa lucro, que é a força motriz do seu negócio, sendo este o objetivo primordial de qualquer empresa que queira sobreviver no mercado. Isso força as montadoras a investir em projetos que ofereçam retorno adequado ao capital aplicado. Infelizmente o mercado é regido por retorno financeiro e não por satisfação de sonhos.

Diferente de outros mercados mundiais mais abastados, onde as motos custam muito menos, o nosso país consome 84% das motocicletas entre 51 e 150cc, portanto, totalmente esperado que seja nesse nicho onde sejam feitos os maiores investimentos dos fabricantes de motocicletas, aplicando-se a máxima de que é melhor ganhar pouco sobre muito do que ganhar muito sobre pouco.

O mercado das motocicletas entre 151 e 450cc é um pouco mais expressivo, com seus 11%, justificando os investimentos que as principais marcas vêm fazendo na faixa das 250 e 300cc. Essa fatia está se mostrando tão promissora que, além dos modelos já existentes, está chegando a Suzuki Inazuma 250cc (de 2 cilindros) que promete dar uma reviravolta na concorrência.

O mercado premium, das motos acima de 450cc, aquele que povoa os sonhos de todo motociclista, representa apenas 3% do bolo, percentual praticamente inexpressivo, que não justifica fortes investimentos.

A situação financeira do brasileiro está mudando para melhor, já estamos presenciando uma forte migração das 125 para as 250cc , e se essa tendência continuar forte, em poucos anos o poder aquisitivo do nosso povo deverá justificar a migração das 250 para a faixa das 500cc e assim por diante. Quando isso acontecer, as montadoras trarão produtos adequados em termos de preço e cilindrada, para atender nossos anseios e capacidade de compra.



Mário Sérgio Figueredo

Motociclista apaixonado por motos há 42 anos, começou a escrever sobre motos como hobby em um blog para tentar transmitir à nova geração a experiência acumulada durante esses tantos anos. Sua primeira moto foi a primeira fabricada no Brasil, a Yamaha RD 50.