Wado_destaque_12_02

A primeira vez a gente nunca esquece

Por Wado Santista

Estava em Santos (SP) passando pelo Canal 6 e lembrei da minha primeira volta numa moto. Eu era garoto e ao contrário da garotada de hoje, andava muito bem de bicicleta, de mobilette e em outras “motos” sem cambio, sem embreagem, etc…, mas de moto mesmo nunca tinha andado. Sabia tudo na teoria, mas nunca tinha experimentado na prática.

Tinha um monte de areia no meio do caminho, no meio do caminho tinha um monte de areia

Tinha um monte de areia no meio do caminho, no meio do caminho tinha um monte de areia

Sabia tudo, digamos assim, “em tese” (rsrsrs), de leitura de revistas e de observação vendo as pessoas pilotando!!! Meu primo que morava no canal 6 tinha ganhado de presente do meu tio uma Yamaha TT125 e como eu estava de férias em Santos, fui na casa dele conhecer a moto.

Aí uma hora depois dele dar inúmeras voltas no quarteirão, pros amigos verem, ele vira pra mim e fala : – Sabe andar, tá a fim de dar uma voltinha?

Eu respondi: – Claro! Subi na moto respirei fundo, segurei o coração que veio na boca, engoli ele de novo, apertei a embreagem, meti marcha, com os pés e mãos tremendo, acelerei, coração acelerando junto com a moto e………. ufa, consegui!

Milagrosamente estava eu andando numa moto, mais feliz que pinto no lixo, no canal 6. Primeiro quarteirão, segundo, terceiro, quarto, quinto, eu na vertiginosa velocidade de uns 30 ou 40 km/h, quando resolvi que tinha que voltar, porque a moto não era minha e a emoção era muita para o dia. Olhei para a embreagem, olhei para o pisca, e entrei na primeira rua à direita, olhando para tudo o que estava fazendo, menos para onde tava indo (rsrsrs).

Yamaha TT 125, a moto da primeira vez do Wado Santista

Yamaha TT 125, a moto da primeira vez do Wado Santista

Nisso desviei um pouco da “trajetória” e quase dou de cara com um carro que vinha no sentido contrário, que deu uma tremenda buzinada, desviei puxando o guidão, balançando o corpo e pondo o pé no chão, todo atrapalhado, e tudo isso somado exponencialmente, porque eu tinha tomado o meu primeiro BAITA SUSTO em cima de uma moto.

Olhando para trás, para o motorista, tipo pedindo desculpas e ele olhando pela janela do carro e “elogiando” minha pilotagem com um sonoro MOLEQUE FILHOOOOOO DA Piiiiiiiii…

Para completar o quadro geral deste “first ride”, consegui desviar do carro, mas como estava olhando pra trás, colidi com um grande monte de areia de construção que estava na rua ao lado de uma casa em reforma. A roda dianteira enterrou na areia, eu escorreguei, e foi moto e “piloto” para cima do monte de areia. Levantei rapidamente, tirei a moto, coloquei no pezinho, tirei a camisa, bati na moto pra tirar a areia, bati em mim, subi de novo na moto, liguei-a e … – UFA….. voltei para a casa do primo, são e salvo!

Chegando lá ele falou : – Ué, tá um pouco suja de areia! Você também!

E eu falei : – Claro, tem um monte de areia a cinco quadras daqui, eu passei por cima pra ver se a moto é boa mesmo! (rsrsrsrs)

E ele falou : – Que legal! Vamos lá!

Subi na garupa dele e ele ficou passando em cima da areia. Eu fiquei só olhando porque já tinha tido minha experiência com moto naquele dia e não estava a fim de mostrar para ele como é que se pilotava na areia! E a sua “primeira vez”, como foi? Conte pra gente!

O autor dessa história, Wado Santista, enviou seu relato através do Você no Motonline. Participe você também, compartilhe a sua história com milhares de leitores que também são apaixonados por motos.