logo-abraciclo

Abraciclo projeta recuperação do segmento de motocicletas para 2013

Após um ano de dificuldades para o segmento de motocicletas e fechamento com saldo negativo, a ABRACICLO – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares projeta um ligeiro avanço para 2013. A entidade estima um aumento de 3,7% na produção e 2,4% nas vendas no atacado, no total do próximo ano.

“Nossa perspectiva é de um ano melhor para o segmento e acreditamos que a média diária de vendas seja mantida no mesmo patamar dos últimos cinco meses, acima de 6.000 unidades. As linhas de crédito oferecidas pelos bancos públicos ajudaram a estabilizar o mercado, evitando novas quedas acentuadas”, comenta Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

De janeiro a novembro foram licenciadas 1.499.397 motocicletas, o que corresponde a uma queda de 14,2% em relação a igual período de 2011, com 1.747.072 unidades. Em novembro, os emplacamentos atingiram 121.779 unidades contra 134.727 de outubro, recuando 9,6%. Mesmo com dois dias úteis a mais no mês anterior, a média diária ficou praticamente estável, com 6.089 motocicletas contra 6.124. Na comparação com novembro de 2011, as vendas retraíram 26,9% (166.640).

Produção e Vendas no Atacado
De acordo com dados da Abraciclo, de janeiro a novembro, houve retração de 21,2% nas vendas para os concessionários, em relação a igual período de 2011, passando de 1.930.737 unidades para 1.521.678. Na comparação com outubro, quando foram comercializadas 112.263 motocicletas, houve alta de 11,8%, totalizando 125.486. Sobre novembro do ano passado, com 177.815 unidades, foi registrada queda de 29,4%.

A produção acumulada ficou 20,2% abaixo da contabilizada no mesmo período do ano passado, com 1.623.809 motocicletas contra 2.035.124. Em novembro, apesar do ligeiro crescimento de 3,3% em relação a outubro, passando de 133.311 unidades para 137.747, o resultado ainda foi 29,6% inferior ao registrado no mesmo mês de 2011 (195.599).

“Com base nestes dados, estimamos fechar o ano com uma retração de 20% na produção e nas vendas no atacado, que foram de 2.136.891 e 2.044.532 unidades, respectivamente, em 2011. Desta forma, o segmento volta ao patamar de 2009, quando também foi impactado pela crise econômica mundial”, conclui Fermanian.

Na contramão dos resultados negativos do mercado interno, as exportações tiveram crescimento de 3,2% em novembro deste ano, com relação ao mesmo mês de 2011, passando de 9.713 unidades para 10.025. Sobre outubro, com 8.517 motocicletas, as vendas externas registraram alta de 17,7%. De janeiro a novembro as exportações totalizaram 95.503 unidades, correspondendo a um salto de 48% em relação a igual período de 2011 (64.546 unidades).

* * * * *

Bicicletas Têm Resultado Positivo

No segmento de bicicletas, a produção no Polo Industrial de Manaus (PIM) cresceu 9,9% no acumulado de janeiro a outubro, em relação a igual período de 2011, passando de 686.562 unidades para 754.208. Entre setembro e outubro deste ano, houve aumento de 4,9%, com a fabricação de 78.441 bicicletas contra 74.753. Em comparação a outubro do ano passado, quando foram produzidas 91.487 unidades, houve queda de 14,3%.

As vendas no atacado se mantiveram estáveis na comparação dos volumes acumulados de janeiro a outubro deste ano, em relação aos de igual período de 2011, totalizando 755.533 bicicletas ante 754.094. De setembro para outubro, a comercialização cresceu 6,5%, passando de 94.084 unidades para 100.185. Sobre outubro do ano anterior (105.368), houve retração de 4,9%.

Com relação às importações, de janeiro a outubro deste ano, o volume foi de 247.170 bicicletas, 9% inferior ao de período similar de 2011 (271.566). Em relação a setembro (21.274), houve um aumento de 6,1%, totalizando 22.574 unidades.

* * * * *

Posição do Brasil no mercado mundial de motocicletas e bicicletas: