Alex Barros apresenta a Copa Brasil de Motovelocidade

Alex Barros apresenta a Copa Brasil de Motovelocidade

Alex Barros apresenta a Copa Brasil de Motovelocidade

Após implantar com sucesso a Alex Barros Riding School, que trouxe ao Brasil um padrão internacional de cursos de pilotagem, Alexandre Barros utiliza toda sua experiência na categoria maior do motociclismo mundial e lança a Copa Brasil de Motovelocidade. Dividida em duas categorias – Monomarca BMW S1000RR para pilotos amadores e a Superstock 1000cc para pilotos profissionais, a criação da Copa Brasil de Motovelocidade tem como objetivo melhorar o nível dos pilotos brasileiros e dar-lhes as condições de disputarem campeonatos amadores e profissionais no exterior.

“Temos como meta trazer etapas da MotoGP ou do Mundial de Superbike para o Brasil, mas se não tivermos pilotos brasileiros que disputem esta categorias, não vamos conseguir alcançar o resultado esperado por todos”, explica. “Por isso antes temos que arrumar nossa casa”, justificou. Para que um maior número de pilotos e equipes tenham acesso ao campeonato, Alex Barros fechou um acordo com a BMW para fornecimento das motocicletas e peças de reposição para os pilotos. O pacote completo inclui a motocicleta, suporte técnico e operacional, preparação da moto, segurança de pista, Hospitallity Center ao piloto e seus convidados, entre outros detalhes. “Nossa idéia é que o piloto possa concentrar-se em aprimorar-se tecnicamente e correr as provas, deixando todo o resto por nossa conta e experiência”, explica Barros.

Foto: A BMW S1000 RR preparada para a Copa Brasil de Motovelocidade

Foto: A BMW S1000 RR preparada para a Copa Brasil de Motovelocidade

Para a categoria amadora, será obrigatória a compra do pacote completo, ou seja, a motocicleta (R$65.900,00) e a estrutura completa de apoio para cada uma das 12 provas durante todo o ano (R$88.000,00). “Somando as inscrições por prova e eventuais despesas extras necessárias, o custo total para um piloto amador será próximo de R$160.000,00, o que é menos do que custa hoje para qualquer piloto participar de um campeonato no Brasil”, enfatiza Alex Barros.

Já os pilotos que disputarão a categoria profissional (Superstock) terão a opção de comprar ou não a motocicleta e o pacote completo. “Muitos já tem suas próprias estrutura e motocicleta”, fala Alex Barros. Uma das exigências para que todos possam participar de uma ou de outra categoria será ter a carteira de aprovação do módulo carbono da Alex Barros Riding School no caso dos pilotos amadores.

Aos profissionais será exigido que seja feito um treino com Alex Barros para definir se o piloto está em condições de disputar a categoria. “É necessário cumprir esta condição para que entrem na pista pilotos que realmente tenham condições de disputar as provas em condições de igualdade e não coloquem em risco a si mesmo tampouco aos outros competidores. ”No meu curso eu pude perceber claramente que há pilotos arrojados para apenas uma ou duas voltas e isso coloca em risco toda a prova e o retorno esperado por todos”, fala.

A preparação das motos será limitada nas duas categorias para que prevaleça o talento do piloto e não seu poder aquisitivo. “Quando se limita a preparação prevalece a capacidade do piloto de evoluir sua técnica de pilotagem e atingir níveis melhores”, exemplifica Barros. Segundo Alex, esta é uma fórmula consagrada para revelar bons pilotos em todo o mundo. Questionado sobre outras categorias, Alex Barros disse que já tem pronto outras novidades para a motovelocidade no Brasil, mas que deixará para revelar mais adiante, “quando as coisas estiverem mais maduras”, disse.

As datas da Copa Brasil de Motovelocidade ainda não estão completamente fechadas, mas a previsão é de que o início seja em abril de 2011. Mais informações podem ser obtidas em www.alexbarros.com.br.