Alex Barros termina em 5º no GP da África do Sul

A grande preocupa‡Æo de Alexandre Barros- Gauloises/Yamaha, era conseguir fazer uma boa largada no Grande Prˆmio da µfrica do Sul, devido a sua m  posi‡Æo no grid- estava na 3a fila, na 10a posi‡Æo- e a grande dificuldade de ultrapassar no estreito, sujo e sinuoso circuito de Welkom.

A corrida come‡ou com meia hora de atraso, devido ao ¢leo espalhado pela pista pela Suzuki de Kenny Roberts durante a volta de apresenta‡Æo. E um novo acidente aconteceu assim que as luzes se apagaram, envolvendo pelo menos trˆs participantes e atrapalhando a largada de Barros, que caiu para a d‚cima primeira posi‡Æo. Troy Bayliss -Ducati, 9§ no grid- fez uma excepcional largada, tomando a ponta da prova, seguido por Sete Gibernau- Honda, Max Biaggi- Honda e Valentino Rossi- Honda e Carlos Checa- Yamaha. Um segundo pelotÆo se formou ainda na 1a volta, com Norick Abe- Yamaha, Nick Hayden- Honda e Tohru Ukawa- Honda.

A recupera‡Æo de Alex foi gradual; sua longa experiˆncia lhe mostrava que nÆo havia como se aproximar e passar diversos pilotos sem correr um grande risco e a t tica planejada antes da corrida, de fazer uma ¢tima largada e seguir o primeiro pelotÆo j  havia sido prejudicada. No fechamento da primeira das vinte e oito voltas Barros era o 9o colocado, posi‡Æo em que se manteve at‚ 5a volta.

Logo adiante passou o piloto oficial da Honda Nick Hayden, atual campeÆo norte-americano de Superbike, assumindo a 8a posi‡Æo. A 7a posi‡Æo foi obtida na 12a volta, ao ultrapassar o companheiro de Yamaha Carlos Checa. Barros se aproximou de Tohru Ukawa e Norick Abe- 5§ e 6§ naquela altura-, mas encontrar um ponto de ultrapassagem era muito dif¡cil, especialmente em rela‡Æo a Honda de Ukawa, bem mais r pida que a Yamaha do brasileiro.

S¢ 22a volta ‚ que Barros conseguiu ultrapassar os dois rivais e de uma s¢ vez. A partir da¡ a corrida de Alexandre Barros passou a ser mon¢tona, j  que faltavam apenas cinco voltas para o final e a distƒncia para o pr¢ximo advers rio, Troy Bayliss, era muito grande: mais de sete segundos. A partir desse ponto Barros s¢ teve que administrar a sua posi‡Æo, porque Ukawa voltou a se aproximar perigosamente, e tentar diminuir a dor no p‚ direito, que sofreu queimaduras durante a corrida, devido a posi‡Æo do novo sistema de escape. S¢ ap¢s as primeiras voltas ‚ que Barros percebeu o estranho calor que afetava o p‚ e a partir da¡ tirava-o da pedaleira sempre que era poss¡vel.

A vit¢ria ficou para o espanhol Sete Gibernau, que havia largado na pole position e assim prestou uma grande homenagem ao seu ex-companheiro de equipe, Daijiro Kato. A segunda posi‡Æo ficou com Valentino Rossi, que apertou bastante o ritmo nas £ltimas voltas, mas nÆo o suficiente para ultrapassar Gibernau. Mais um piloto da Honda completou o p¢dio: Max Biaggi.