Amortecedor dianteiro CR250 2003

Amortecedor dianteiro CR250 2003

Nesta terceira matéria da série, começamos por desmontar a frente da CR250 2003. As peças estavam bem desgastadas e alem de trocar as peças de praxe como retentores e guardas-pó, foi necessário refazer a camada de cromo duro.

Nessa terceira matéria da série, começamos por desmontar a frente da CR250 2003. As peças estavam bem desgastadas e alem de trocar as peças de praxe como retentores e guardas-pó, foi necessário refazer a camada de cromo duro. Ainda foi necessário recuperar a ponta da haste de um dos cartuchos que estava com uma solda mal feita e que não permitia rosquear toda a porca, rosca fora de centro e espanada. Novamente o pessoal da ShockSystem foi formidável em providenciar esse serviço, que ficaram perfeitos. A haste torneada com a rosca refeita parecia nova. Desmontamos a frente e como já foram retiradas as “pernas” da moto vamos diretamente às bengalas:

1- Solte a porca de 50mm (ferramenta especial) e retire todo óleo do conjunto, inclusive do cartucho interno pelo furo indicado.

2- Rosqueie o sistema novamente sem o óleo para retirar o parafuso de regulagem da compressão, em seguida comprima a mola e trave a haste com uma trava de pistão

3- Segurando a contra-porca retire o parafuso de regulagem de compressão e retire a haste de regulagem. (Nunca retire a contra-porca da haste. Se ela entrar pelo cartucho não será possível a remontagem).

4- Retire a ferramenta de retenção da mola e retire a capa (porca 50mm) do tubo interno, o cartucho e a mola. Proceda então à desmontagem do tubo externo, retirando o guarda-pó e o anel de retenção do retentor.

5- Com sucessivos golpes para fora extraia o conjunto interno do externo, em seguida retire cuidadosamente com uma chave de fenda a bucha da ponta do tubo, a bucha de guia, a arruela de retenção, o retentor e seu anel de trava e por fim o guarda-pó. (preste atenção nessa ordem para a montagem).

6- Verifique as condições do cromo duro e buchas. Se tiverem riscos mande recuperar o cromo e troque as buchas se necessário. Troque o retentor e guarda pó sempre que abrir o conjunto. Em seguida solte o parafuso de regulagem de retorno da porca superior. (50mm)

7- Retire o conjunto da válvula de retorno e verifique as suas condições. Procure por riscos nas buchas, verifique o funcionamento dos clicks e folga na mola. Substitua todo o conjunto se houver defeito.

8- Limpe todas as peças de qualquer resíduo com solvente ou querosene. Depois de recuperadas e/ou substituídas as peças com problema podemos começar a montagem.

9- Inicie a remontagem colando uma fita adesiva na ponta do tubo interno para proteger o guarda-pó e retentor durante a instalação

10- Instale na ordem: Guarda pó, anel de trava, retentor (com as suas marcas viradas para fora) retire a fita de proteção e instale a arruela de retenção, a bucha guia e a bucha da ponta do tubo interno na canaleta. (não abra as buchas mais do que o necessário para inserir no tubo).

11- Passe óleo nas buchas e no tubo interno e deslize-o para dentro do tubo externo. Com a ferramenta especial insira o retentor no seu alojamento e coloque o anel de trava.

12- Coloque o guarda pó com as mãos ou com uma chave de fenda em leves batidas para não avariar. Em seguida preencha o cartucho interno com o óleo tipo ATF SAE 5 ou equivalente na quantidade de 185cm3 para motos até 2002 e 195cm3 para motos fabricadas posteriormente.

13- Após encher movimente a haste para excluir todo ar e em seguida verifique o nível do óleo: 5mm a 10mm para motos até 2002 e 42mm a 47mm para modelos mais novos. Em seguida parafuse a válvula de ajuste de retorno ao torque de 3. Kgf-m (tampa superior).

14- Com a peça na vertical abra o parafuso click ao máximo e trabalhe a haste para retirar todo ar que houver aprisionado. Verifique que a contra-porca da haste se encontra no fundo da rosca e coloque o cartucho dentro da bengala empurrando a mola até prender a ponta da haste com uma trava de pistão.

15- Coloque a barra de ajuste da compressão e o parafuso da base rosqueando-o até encostar na contra-porca e aperte contra ela até 2,2 Kgf-m

16- Com a ajuda de um amigo, faça pressão contra a mola para retirar a trava da haste, em seguida rosqueie o parafuso da base no tubo da bengala. Verifique o curso da suspensão: 317mm com variação de mais ou menos 2mm no máximo. Se esse curso não estiver disponível verifique o volume de óleo dentro do cartucho novamente.

17- Meça o volume de óleo a adicionar em cada bengala e pelo outro lado adicione conforme necessário.

18 – Ajuste o volume de acordo com a progressividade desejada verificando a tabela. Depois feche o conjunto verificando o torque de 2 Kgf-m.

19- Procedimento repetido nas duas bengalas para em seguida montar na moto. Ajustando a altura das bengalas pela mesa superior de forma que fiquem iguais na posição standard (marcada).

20- Aperte as braçadeiras das mesas com cuidado, sem exceder o torque máximo de 2 Kgf-m na mesa inferior e 2,2 Kgm-f na mesa superior. Se apertar mais que isso pode-se estragar os tubos das bengalas. Monte as peças de baixo para em seguida colocar a roda.

21- Coloque a roda no lugar colocando graxa no eixo para conservar. Na montagem do chassis da moto é de boa prática o uso de um trava-rosca para maior segurança, principalmente na fixação da pinça do freio a seguir.

22- Coloque a pinça de freio no lugar verificando que as pastilhas (boas) fiquem na posição correta, uma de cada lado do disco. Moto montada. Estamos prontos para a próxima fase, a do ajuste do SAG. Esse ajuste é para adequar a moto para as condições de peso e habilidades do piloto.

No próximo artigo da série faremos o ajuste do SAG para o dono da moto. É importante frisar que o nível de óleo colocado conforme explicado na tabela (18) deve ser adequado para esse ajuste que explicaremos na próxima matéria, Até lá.



Pioneiro no Motocross e no off-road com motos no Brasil, fundou em 1985 o TCP (Trail Clube Paulista). Desbravou trilhas em torno da capital paulista enquanto testava motos para revistas especializadas.