Amortecedor traseiro CR250 2003 Desmontagem e inspeção

Amortecedor traseiro CR250 2003 Desmontagem e inspeção

Nossa idéia foi iniciar uma série de artigos técnicos para ajudar os motonliners na manutenção e acertos de suas motos. Para isso vamos pesquisar empresas de boa capacidade técnica e bem conceituadas no mercado para conjuntamente desenvolver artigos que vão abordar um ou mais aspectos dos acertos e manutenção de uma moto. Tivemos essa idéia porque é comum a queixa no que diz respeito a serviços de algumas oficinas que se propõem a resolver os problemas de nossos amigos, mas que na verdade não resolvem e até pioram a situação deles. Assim vamos abordar os principais sistemas dos diversos tipos de motos aplicados nos mais variados usos. Esperamos com isso ajudar o leitor a identificar um bom prestador de serviço e porque não capacitá-lo a resolver ele próprio, se quiser.

Iniciamos essa série com um projeto de fazer o acerto da suspensão de uma moto de cross, no caso uma Honda CR250 ano 2003 com várias horas de uso e que necessitava de manutenção. Como se sabe esse tipo de motocicleta tem suspensão especial para uso fora de estrada e necessita de acerto específico para cada piloto e para cada tipo de uso, então vamos seguir o processo de manutenção do conjunto dianteiro e traseiro para depois fazer o ajuste final aplicado às características do piloto, como peso e tipo de uso.

Para esse primeiro artigo da série entramos em contato com a Shock-System, eles são especialistas em amortecedores de motos e recebemos ótimas referências deles. O Leonardo, Diretor técnico nos acompanhou por todo processo e detalhadamente forneceu toda explicação do serviço e informações a respeito da manutenção da suspensão. Segue a operação com o amortecedor traseiro.

1- Desmontagem e análise das peças e componentes. O processo de desmontagem enquanto estivemos atuando na moto é bastante natural, segue-se o processo de forma contínua, sem problemas. Alguns cuidados básicos devem ser tomados sempre que for feito algum serviço. Mantenha as peças em conjuntos (saquinhos, por exemplo) identificando sua origem para que na montagem possam ser reutilizadas no mesmo lugar, parafusos, porcas, tampas e peças dos kits sempre guardados e nomeados pelo conjunto a que pertencem. 1 – Inicia-se retirando banco, tampas laterais e o sub-chassis que pode ser retirado como um conjunto: Escapamento, Caixa de ar completa e pára-lama.

2 – Assim já fica exposto o amortecedor traseiro. Retire-o soltando os dois parafusos que o prende pelas pontas. Pronto, com a suspensão fora podemos começar a desmontagem e verificação dos componentes.

3- Retira-se a mola, primeiro soltando as porcas grandes que lhe fazem pressão e depois retirando o anel de aço entre as arruelas inferiores.

4 – Com a mola retirada solta-se o gás da garrafa lateral apertando a válvula. Abra as válvulas de retorno e compressão soltando todos os clicks.

5 – Abaixe a tampa da garrafa lateral e solte o anel para retirá-la juntamente com a câmara de gás.

6 – Em seguida retire o conjunto da válvula de retorno e esgote todo óleo. Retire a tampa do corpo principal com um punção e leves batidas.

7 – Abaixe a tampa com o retentor expondo o anel para retirá-lo. Levante o conjunto da haste e está desmontado o amortecedor.

8 – Calço de fim de curso: Substitua de danificado. 9 – Conjunto de válvulas (arruelas finas) troque se danificadas (mantenha-as na ordem). Retire a porca da ponta da haste com cuidado para não estragar a rosca, se necessário passe um cossinete para recuperá-la – medida 12×1,25mm. Na montagem use uma nova. Anel do pistão: Verifique se está estragado e substitua o anel e o “o” ring que fica sob ele. Haste: Verifique se há riscos e mande para a cromação se necessário. Retentor: Substitua se houver vazamentos.

Na matéria seguinte será iniciada a montagem, aguardem para breve.



Pioneiro no Motocross e no off-road com motocicletas no Brasil, fundou em 1985 o TCP (Trail Clube Paulista), que organizou a 1ª prova de enduro tipo FIM (Enduro da Mentira). Desbravou trilhas em torno da capital paulista enquanto testava motos para revistas especializadas. É editor técnico e consultor no Motonline.