Foto: AI - Quem usa equipamento ? – Bitenca

Anda doida a eletricidade, mais testes, quem usa equipamento – Ainda sobre gasolina

Foto: AI - Quem usa equipamento ? – Bitenca

Foto: AI - Quem usa equipamento ? – Bitenca

Olá Pessoal, espero a ajuda de vocês, segue o meu relato: Tentaram roubar a minha moto YBR factor K, quando cheguei havia um pedaço de micha e o contato da chave estava estourado, a chave travou na posição ligada, Tive que trocar o contato, feita a troca percebi que quando posiciono a chave na posição on a moto a luz do neutro não acende só acende quando uso o pedal, outra coisa: a luz do painel fica fraca e intermitente, se ligo a seta ai piora, a Buzina parou de funcionar, além de que quando estou parado e vou sair com a moto ela engasga, nada disso acontecia antes. Fiz uma ligação direta, pra testar se era o novo Contato mas o problema continua; pelos sintomas qual peça que deu problema agora? Obrigado. Rafael, 25, São Paulo, SP.

R: Rafael, esse sintoma é típico de mau contato em algum ponto de aterramento.
Verifique a conexão da peça que foi trocada e se não for original, verifique se há o mesmo número de fios ligados, nos pinos dos conectores, cada um na sua cor correspondente. Boa sorte

Foto: Gasolina ou álcool, boa ou ruim - Bitenca

Foto: Gasolina ou álcool, boa ou ruim - Bitenca

Muito obrigado pela resposta, realmente era a parte elétrica, eu tinha verificado e os fios estavam conectados, e eu havia até verificado um Fuzivel, mas para a minha surpresa havia um Fuzivel escondido protegido por uma capinha, era exatamente o dito cujo que estava queimado.
O site Motonline é o mais completo e além disso é Gratuíto, gostaria de indicar um teste entre a CB 300 a nova Fazer e 250 da Suzuki, outra coisa eu sempre vejo muita gente utilizando jaqueta com proteção (Cotovelo, ombro e coluna) mas nunca vejo proteção para as penas, mãos e os pés, o engraçado é que em todos acidentes que eu vi, sempre vejo os condutores com os joelhos ralados e nunca se levantam.
Estou pensando em adiquirir uma jaqueta com proteção mas é bem salgado o valor em torno de 400 a 600 reais em uma jaqueta só, imagine comprar as outras proteções?
Obrigado novamente e meus parabêns, a cada dia que ando de moto mais eu me apaixono por ela. – Rafael.

R: Rafael, deixamos as comparações para os nossos leitores. Como cada um tem um critério e necessidades a atender a comparação de produtos, mesmo os similares, podem gerar confusão quando se procura uma moto ou outra coisa para compra.
Fazemos as avaliações dentro da proposta de cada modelo e como ele atende a essas proposições. Durabilidade, construção, acabamento, valor envolvido etc. são para nós, os requisitos essenciais. Tem uma longa fila mas as prioridades estão sendo atendidas.
Realmente, pouca gente anda com a proteção adequada. Tenho arrepios quando vejo chinelos presos ao guidão e pés descalços nas pedaleiras. Bermudas e camisetas a gente vê direto.
As luvas são essenciais, tanto quanto o capacete. Depois dos pés, que devem vestir botas resistentes e que não saiam facilmente elas são as primeiras ou as segundas a entrar em contato com o chão numa eventualidade. As próximas regiões de contato serão cotovelos, ombros, quadril e joelhos. Daí a necessidade de jaquetas com proteção e calças adequadas. Um bom jeans dá uma proteção razoável em uso normal, com baixas velocidades mas as botas, jaquetas e luvas são importantes para você ter um mínimo de segurança no dia a dia com sua moto. Mesmo que você não quebre nenhum osso as escoriações podem ser graves e de conseqüências duradouras, vai ficar muito tempo de molho. Isso sem falar na dor que se sente, o investimento compensa e deve ser levado em conta junto com o valor de compra da moto, como um todo. Abraços.


Olá Bitenca, Recentemente surgiu uma pergunta sobre qual gasolina usar, aditivada ou comum? é verdade que a gasolina ditivada não entope os bicos, entretanto os detergentes da gasolina aditivada em contato com a cerâmica do catalisador lhe causará algum dano? Renato, 45, Caucaia, CE.

R: Não pode causar dano Renato. Seria uma incompetência enorme das empresas de refino, colocar um aditivo que não fosse compatível com os elementos e características de funcionamento dos veículos a que ele se destina.
Não confundir com os “golpes” praticados por alguns espertinhos que adicionam produtos mais baratos misturados com o combustível para aumentar os lucros. As refinarias cumprem com as especificações dos combustíveis de forma geral. Algumas obtém melhores resultados que outras e há também diferenças na qualidade do combustível vendido em diversas regiões do pais,
mas todos, sempre devem permanecer dentro das especificações gerais para cada produto, sob pena de multas e até da cassação da licença do posto. Seja a comum, a aditivada ou a premium. Abraços.