Anderson Cidade conquista a MX1 e a MX2 no Riffel Motocross 2010

Anderson Cidade conquista a MX1 e a MX2 no Riffel Motocross 2010

Anderson Cidade conquista a MX1 e a MX2 no Riffel Motocross 2010

Anderson Cidade é o grande campeão da temporada 2010 do Riffel Motocross – Campeonato Catarinense.

Correndo em casa, o piloto natural de São José, conquistou os dois principais títulos da competição, MX1 e MX2, na tarde desse sábado, 11, na pista do motódromo Pedra Branca, no bairro Potecas.

Na MX1 Anderson largou na frente e venceu de ponta a ponta seguido por seus companheiros de equipe João Paulo Feltz e Gabriel Gentil.

Já na MX2 ele teve que superar João Paulo, com quem disputava o título, e Gabriel, até assumir a primeira posição e abrir uma boa vantagem até a bandeirada final. “Esses títulos são resultado de um excelente trabalho da equipe Yamaha/Geração e a consequência vem dentro das pistas. Foi um ano de adaptação, mas com excelentes resultados. No ano passado tive vários problemas e esse ano consegui fazer uma temporada que acabou sendo coroada com os dois títulos”, disse o campeão Anderson.

Para Richard Berois a bateria da MX3 não poderia ter começado melhor. Ele largou na frente e disparou, enquanto o seu principal concorrente na busca pelo título, Erivelto Nicoladelli, ficou no meio do pelotão, fechando a primeira passagem na quinta colocação. E aí Erivelto precisou acelerar para recuperar terreno.

Infelizmente na sétima volta a prova foi interrompida para atendimento médico. O motivo: ao mandar o triplo Richard aterrissou na moto de Rogério Schimitt (MX4) que estava caído na recepção do salto. Com a pancada o piloto perdeu os sentidos, foi removido para o hospital local e mais tarde encaminhado para uma clínica de traumatismos. Como prevê o regulamento foi computado o resultado da volta anterior à bandeira vermelha. Richard é o campeão.

Pela MX4 Mirko dos Santos conquistou o título de campeão com a segunda colocação, já que ele disputava diretamente com Rogério, que naquele momento ocupava a quarta colocação. “Levei azar nas primeiras etapas, mas a sorte que faltou no começo veio agora. Consegui terminar a frente do Rogério e ficar com o título. Agora é só comemorar”, disse Mirko. Quem venceu a bateria foi Ingo Gielow Júnior.

No ano de sua estréia com as motos grandes Venício Voigt levou o título da intermediária após uma intensa disputa com Samuel Pacheco, seu principal adversário na busca pelo troféu de campeão. Os dois andaram praticamente juntos em boa parte da prova, e o campeonato só foi decidido na bandeirada final, com Venício em segundo e Samuel chegando logo atrás, na terceira colocação. O vencedor da bateria foi Maicon Frena, de ponta a ponta. “Meu último título estadual foi em 2007, no supercross na categoria 65cc. Comecei a andar de 250cc esse ano. Vim para o campeonato e consegui bons resultados. Estou muito feliz com o título e quero dedicá-lo aos meus pais por me proporcionarem a oportunidade de fazer o que mais gosto, que é andar de moto”, disse o campeão.

Germano Vandressen venceu a prova da categoria Nacional, mas quem conquistou o título foi o piloto de Pinhalzinho, Vinicius Nalin, que terminou a prova na segunda colocação. Eduardo Rosing foi o terceiro colocado e ficou com o vice-campeonato. “Foi uma temporada difícil. A maioria das etapas foi distante de casa, mas felizmente deu tudo certo e conquistei o título”, analisou Nalin.

Rodrigo Riffel finalizou a prova na segunda colocação e confirmou o título da categoria 85cc. Hallex Dalfovo foi o vencedor da bateria. José Brayan (65cc) e Thiago Brenner (55cc) venceram e levaram os títulos de suas categorias. Thiago foi o único com 100% de aproveitamento.

A sexta e última etapa do Riffel Motocross – Campeonato Catarinense foi uma realização do Motoclube de São José com supervisão da Federação Catarinense de Motociclismo – FCM, patrocínio de Riffel Motospirit e apoio de Hparts, Geração Motos, Destak Transportes, Motoshop e TBT.