André Azevedo chega em terceiro e reafirma busca pela vitória

Klever Kolberg fica em 23§ e Jean ‚ o 28§ na primeira etapa do Dakar 2006

Bom come‡o para Andr‚ Azevedo no Dakar 2006. A bordo do caminhÆo Tatra, o piloto marcou o terceiro melhor tempo entre os caminhäes na primeira especial da prova. Ao lado dos navegadores Maykel Justo e Mira Martinec, o brasileiro da equipe Petrobras Lubrax percorreu os 83 quil“metros do trecho cronometrado em 1h16min14s. “ um resultado animador e nos faz sonhar alto”, disse o paulista que tem no curr¡culo o vice-campeonato do Dakar em 2003. O vencedor da etapa entre Lisboa e Portimao na categoria Caminhäes foi o russo Vladimir Chagin, tetracampeÆo do Dakar. Em segundo, outro curr¡culo respeit vel: Miki Biasion, campeÆo do circuito WRC de rali.

Entre as motos, Jean Azevedo, considerado um dos oito favoritos ao t¡tulo, aliviou o acelerador e usou o primeiro dia para conhecer melhor a moto que ele s¢ p“de experimentar poucos dias antes da largada. “Aqui na Europa nÆo se define nada. As etapas europ‚ias sÆo capazes de tirar algu‚m da prova, mas nunca levam … vit¢ria”, disse o piloto. “Peguei muita chuva e valetas formadas pelas passagens dos competidores anteriores”, disse Jean. Como a largada de hoje foi na ordem inversa, as primeiras numera‡äes (Jean ‚ o n£mero 7) largaram no final, amassando a pista e complicando a vida dos pilotos de ponta.

A dupla Klever Kolberg e Eduardo Bampi conseguiu a 23¦ posi‡Æo com seu Mitsubishi Pajero. Apesar da 19¦ participa‡Æo no Dakar, o piloto estranhou a proximidade do p£blico nas laterais da pista. “Eles ficam muito colados. NÆo estamos a costumados a isto. Pilotei com um pouco mais de cautela”, contou Kolberg, minutos depois de terminar a etapa. Para Eduardo Bampi, a torcida at‚ ajudou na navega‡Æo. “De certa forma, facilita saber para onde temos que seguir”.

No come‡o do dia, antes da largada, o nervosismo da estr‚ia fez com que Bampi esquecesse de configurar o sistema de localiza‡Æo GPS adequadamente, o que poderia causar problemas com a organiza‡Æo (determinou-se que o GPS s¢ funcionaria num raio de 3 quil“metros dos postos de controle). A dupla, no entanto, percebeu o problema a tempo. Ainda antes da largada, outro problema: um alerta no painel acusou problemas na pressÆo do combust¡vel. “Tivemos que parar para verificar e chegamos em cima da hora para a largada”, disse Kolberg. “NÆo perdemos tempo por conta disso, mas ‚ o tipo de problema que mexe com a concentra‡Æo”.

A vit¢ria entre os carros ficou com o espanhol Carlos Sainz, quatro vezes campeÆo mundial de rali. O portuguˆs Carlos Souza surpreendeu e cravou o segundo tempo. Stephane Peterhansel, campeÆo da prova em 2004 e 2005, nÆo esteve no seu melhor dia e ficou em 12§.