P1030131baixa

Antecipar e respeitar são práticas vitais do motociclista

Aqui não é lugar para competir; respeite todos os limites

Antecipar é preciso. Na vida, nos negócios, no futebol, no trânsito. Ter a capacidade de prever o que será feito pelo outro e proteger, prevenir, mudar, ou simplesmente antecipar o movimento, a jogada, o negócio.

Quem anda de motocicleta sabe que deve permanentemente exercitar esta capacidade de antecipar. É uma questão de sobrevivência. Certificar-se de que foi visto, perceber a posição das mãos, conseguir ver além do carro que está imediatamente a frente, entender os pedestres, conhecer os locais potencialmente perigosos. Todas estas são ações que precisam ser exercitadas diariamente. Evidentemente respeitar a tudo e a todos, sobretudo a si mesmo, sem confiar na sorte é regra.

Quem passa por uma situação de perigo, registra a súbita descarga de adrenalina e aciona imediatamente o melhor amigo do motociclista nestas situações: o medo. Na dose certa, o medo equilibra as reações do piloto, permite a ele encontrar o ritmo e elimina o excesso de confiança. Pilotar motocicleta é um evidente e constante exercício de equilíbrio físico e principalmente psicológico. Quantas vezes você já se viu pronto e na iminência de fazer uma grande bobagem após ter sido “agredido” no trânsito? Se foi possível controlar-se e nada aconteceu, é porque você conseguiu reencontrar o equilíbrio. Este é o exercício. Evitar que este desequilíbrio aconteça através da prática da antecipação. Isso garante o prazer que só uma pilotagem segura e eficiente pode proporcionar. Antecipar é fundamental e respeitar é vital.

Antes de qualquer ação antecipada, ao sair com a moto para as ruas e estradas, incorpore quatro idéias básicas:

Dê passagem; seu gesto cordial será reconhecido

Dê passagem; seu gesto cordial será reconhecido

1 – VOCÊ NÃO ESTÁ COMPETINDO. Competir na rua é perder sempre.

2 – SUA MOTO NÃO É UMA ARMA.

3 – ESQUEÇA QUE VOCÊ TEM RAZÃO
No confronto, você e sua moto sempre levarão a pior.

4 – ADOTE POSTURA CORDIAL E EDUCADA
Os outros reagirão da mesma forma.

Com estas quatro idéias realmente incorporadas, lembre-se que o verbo RESPEITAR, além de ANTECIPAR, também dá sustentação à sua segurança como motociclista: RESPEITAR LIMITES: da sua moto, das vias e os seus próprios. Evidentemente também respeitar as regras de trânsito e de convivência nele.

MANUTENÇÃO PREVENTIVA

Comece antecipando problemas com sua moto. Faça manutenção preventiva. Algumas áreas não podem ser negligenciadas. Não espere acontecer um problema nos freios, transmissão e motor. Antecipe a manutenção da moto e corrija-os se necessário. Confira:

Pneus – Se estiverem no fim de sua vida útil, troque-os e não economize com os mais baratos ou recapados. Você deve querer o melhor para sua segurança. Não se arrisque a levar um tombo no chão molhado ou a ter pneu furado em local onde possa ser difícil encontrar ajuda.

Antecipe-se aos problemas fazendo manutenção preventiva

Gasolina – Não espere a reserva chegar para procurar abastecimento. No momento que você mais precisa acelerar para sair de uma situação perigosa, a moto dá aquela “engazopada” básica, típica de final de tanque de combustível.

Freios / Embreagem / Óleo do motor / Transmissão (relação) – Se você suspeita que já está na hora da troca ou da revisão, faça o que precisa ser feito. Não deixe para depois.

Luzes – Estas devem ser vistas todos os dias antes de sair. Farol alto/baixo, piscas, lanterna traseira e luz de freio. Se sua moto não é nova, ao queimar uma, provavelmente as outras queimarão logo. Portanto, previna-se. Nenhuma delas avisa que vai queimar, simplesmente queima.

Manutenção correta – Não vá na conversa de alguns mecânicos que indicam soluções milagrosas. Cortar a corrente para andar mais um pouco é perigoso. Ela vai quebrar e poderá provocar acidente sério. Use peças de qualidade comprovada.

TRÂNSITO URBANO – CONDIÇÕES NORMAIS

Dentro da faixa, trafegue pelo local onde passam os pneus dos carros; evite problemas com aderência

Adote como regra seguir o fluxo quando o trânsito está normal. Se a velocidade da via é 60 km/h e os carros estão nesta velocidade, não há necessidade de andar pelo corredor em velocidade maior. Escolha sua posição dentro da faixa de rolamento, certifique-se que o motorista do carro à sua frente viu você, adote distância segura e trafegue com as rodas de sua moto pela mesma faixa por onde passam os pneus dos carros. O meio da faixa fica sempre mais sujo e empoeirado, prejudicando a aderência.

Lembre-se que o motorista também desvia de buracos. Esteja atento aos movimentos do motorista e procure enxergar os outros veículos que estão mais à frente. Um solavanco qualquer no carro mais adiante ou um movimento das mãos do motorista permitem a você antecipar que há um buraco ou algum outro tipo de obstáculo. Não adianta amaldiçoar o prefeito, a companhia de águas ou seja lá quem for o responsável por aquele buraco ou desnível na tampa do bueiro. O prejuízo é sempre seu. Então, saia detrás de veículos que não lhe permitam ter visibilidade da situação da pista adiante. Se for inevitável, triplique a distância que adotaria normalmente.

Não se esqueça jamais: o motorista à sua frente tem que ver você. Nunca permaneça nos chamados “pontos cegos” do motorista. Se você não é motorista e não sabe onde são estes pontos, peça a um motorista para lhe mostrar. Se decidir ultrapassar, sinalize com clareza e antecipadamente. Não esqueça dos veículos que estão atrás. Olhe sempre nos espelhos e sinalize todas as suas manobras com os piscas e, se necessário, com uma das mãos.

Procure certificar-se de que o (a) motorista viu você

TRÂNSITO URBANO – TRÁFEGO LENTO OU PARADO

Na condição de trânsito lento ou parado é o momento em que a motocicleta mostra sua principal vantagem frente aos outros veículos: a agilidade. Portanto, utilizar os espaços entre os carros é uma situação para a qual você deve se preparar. No entanto, ela obriga o motociclista a manter máxima atenção, prudência e capacidade de antecipação. O maior desafio para trafegar no corredor é ajustar o ritmo, pois não há – literalmente – espaço para erros. Como é comum o “anda – pára” dos carros, você não é obrigado a ir para o corredor todo o tempo. Mas precisa muita atenção para entrar e também para sair dele, pois além dos carros, há uma fila de motos no corredor.

Portanto, entre no corredor e mantenha o seu ritmo, evidentemente mais rápido que os carros, mas em velocidade segura e ajustada para o espaço disponível. As discussões sobre este assunto são inúmeras e infindáveis. Já que não há uma regra, adote o bom senso e trafegue em velocidade segura e a uma distância da moto à sua frente que lhe permita condições seguras de reagir a qualquer problema. Algo próximo a 40 km/h para trânsito parado ou lento pode ser uma boa sugestão.

Olho no espelho: se há condição segura, dê passagem aos apressados, mas nunca ultrapasse seu limite

É claro que essa velocidade poderá variar de acordo com o espaço disponível e as condições da pista. Igualmente claro é encontrar motociclistas que querem andar mais rápido, normalmente em velocidade excessiva e incompatível com o espaço disponível. Eles acabam forçando outros motociclistas a andarem mais rápido e é nesta hora que deve haver bom senso e respeito.

A atitude agressiva, com o dedo na buzina, gritos, gestos e aceleração intensa não resolvem nada, além de colocar todos em perigo e causar graves acidentes. É vital respeitar o ritmo de cada um e lembrar-se que todos já foram motociclistas menos experientes e portanto, com limites e capacidade de pilotagem diferentes. Nesta situação, se puder dar passagem de forma segura, faça-o para evitar acidentes. Caso contrário, permaneça no seu ritmo. Chegará um momento em que os mais apressados encontram uma forma de “furarem a fila” e prosseguirem nesta atitude arriscada e muito próximo de causar um acidente com conseqüências graves a todos.

Semáforos para pedestres próximos a pontos de ônibus e shopping center são locais potencialmente perigosos

Além dos cuidados com a pilotagem nos corredores entre os carros, é preciso estar atento aos locais de maior movimento de pedestres e cruzamentos (com e sem semáforo). Diminua a velocidade em áreas próximas a pontos de ônibus, em frente a shopping center, faixas de pedestres, pontos de conversão de automóveis e entradas e saídas de estacionamentos de bancos e supermercados. São locais onde a possibilidade de imprevistos com pedestres e motoristas é maior e por isso exige total atenção. Uma forma de evitar surpresas é fazer o mesmo caminho sempre que possível. É mais fácil para conhecer os locais mais perigosos, com buracos e imperfeições no piso, além de saber onde estão os pontos que exigem atenção.

TRANSITO RODOVIÁRIO

Mantenha distância segura para não cair nas armadilhas das ruas

Em estradas e rodovias a prática da antecipação e do respeito pelos motociclistas deve ser exemplar. Apesar do ambiente sugerir e permitir uma pilotagem mais relaxada, isso não significa que a atenção deva ser deixada de lado. Ao contrário, pelas velocidades normalmente maiores, a concentração devem ser total no que está adiante e também no que vem por trás. A recomendação evidente é seguir as regras do trânsito. Além delas, perceber que nas estradas os outros veículos podem ser mais rápidos que a motocicleta. Portanto, atenção ao espelhos retrovisores é muito importante e oferecer passagem ao veículos mais rápidos deve ser a regra.

Procure manter distância segura para visualizar os buracos e imperfeições da pista. Lembre-se que passar por um buraco a 60 km/h é bem diferente de passar por ele a 100 km/h. Um pneu pode estourar ou mesmo o controle da moto pode ser perdido subitamente. Encontre o ritmo adequado – seu e da sua motocicleta – mantenha-o e não aceite provocações. Mais uma vez lembre-se: motos e motociclistas são diferentes e tem limites diferentes. Não queira andar num ritmo que não é seu nem da sua moto.

Cada um faz a sua parte para um trânsito melhor

Não force passagem, sobretudo em subidas onde você percebe que um automóvel ou caminhão vai ultrapassar o outro. Seja gentil e sinalize dando a preferência ao veículo que vai ultrapassar. Mesmo se houver espaço no corredor para efetuar a ultrapassagem, não o faça. Na estrada a velocidade é muito maior e sua capacidade de reação é limitada por esta velocidade. Apesar de controverso, só vá para o corredor entre os carros com o trânsito parado ou lento. Mesmo assim, adote velocidade compatível, baixa e segura.

Antecipar, respeitar, prevenir, atentar, perceber, ser cordial e gentil. Como se pode notar, a receita para um trânsito mais seguro é uma questão individual, onde cada um faz a sua parte e todos ganham.

Obs.: Para facilitar a discussão sobre esse assunto, criamos um tópico no fórum para os motonliners. Clique aqui para acessar o tópico.