Domínio estrangeiro no Arena Cross em Uberlândia

Arena Cross: show de técnica em Uberlândia

Pela primeira vez sede do Arena Cross, a cidade de Uberlândia (MG) sacudiu com as corridas da segunda etapa da competição, realizadas neste sábado (24). Cerca de sete mil pessoas compareceram ao Centro de Exposições Camaru e viram um espetáculo de ultrapassagens, manobras e velocidade, em disputas envolvendo pilotos brasileiros e estrangeiros em cinco categorias: Pró, MX2, Júnior, 65cc e 50cc.

Domínio estrangeiro no Arena Cross em Uberlândia

Domínio estrangeiro no Arena Cross em Uberlândia

Nas principais categorias, o espanhol Carlos Campano (Pró) e o português Paulo Alberto (MX2) mantiveram o brilhante desempenho da etapa anterior, em Blumenau (SC), e saíram com a segunda vitória consecutiva. O resultado no Triângulo Mineiro deixou a dupla gringa com uma vantagem ainda maior na liderança do campeonato.

Nas categorias infanto-juvenis, Enzo Lopes levou o primeiro lugar na Júnior. Mesmo após um início irregular, o gaúcho se superou na bateria e venceu. Já na 65cc, a dupla mineira, Dadalzinho e Joaquim Neto, alcançou a dobradinha e fez a festa da torcida local. Por fim, Diogo Nascimento saiu com a vitória na 50cc.

1ª bateria Pró – Julien Bill fez o holeshot, mas na sequência Campano o ultrapassou. Além da dupla, o primeiro pelotão contava com o venezuelano Humberto Martin e o equatoriano Jetro Salazar. Já os brasileiros Wellington Garcia, Pipo Castro e Leandro Silva se enroscaram na curva após o salto de chegada. Pior para Leandro, que demorou a voltar para corrida e assim perdeu muito tempo.

Em primeiro, Campano perdeu o posto na quinta volta, quando cometeu um erro. Ele cedeu duas posições, sendo a primeira para o suíço e, a segunda, para o venezuelano. Sem se dar por satisfeito, o espanhol foi em busca da recuperação. Na 11ª volta, ele e Bill andaram praticamente lado a lado e levantaram o público. Em ritmo mais rápido, ele retornou ao primeiro lugar. A liderança de Campano coincidiu com a melhora de desempenho de Jean Ramos. O paranaense chegou ao segundo lugar após desbancar Bill. Ele até tentou ultrapassar o líder, mas já era tarde. Assim, ficou em segundo, seguido do suíço. Martin acabou em quarto, e Rafael Faria, em quinto.

2ª bateria Pró – Forte largada de Jean Ramos. Na sequência apareciam Campano, Humberto Martin e Julien Bill. Ainda no início, Martin ultrapassou Jean. A disputa pelo primeiro lugar ganhou mais emoção quando Campano, em uma manobra arrojada, ultrapassou a dupla de uma só vez. Foi o bastante para o espanhol abrir caminho e alcançar sua segunda vitória no dia. Já Martin, ao aterrissar no salto de chegada, caiu. Ele levou junto Jean, porém o rival conseguiu rapidamente se reerguer. Na quarta volta, Jean voltou a levar um tombo, desta vez na seção de costelas. Mesmo com problemas no guidão da moto, ele tentou retornar. Após algumas voltas, abandonou. Com isso, Rafael Faria assumiu o segundo lugar. A poucas voltas do fim, ele também sucumbiu e foi ao chão. A posição até caiu no colo do Bill, porém Jetro Salazar, que vinha logo atrás do suíço, roubou-lhe o posto. Bill terminou em terceiro, seguido de Leandro Silva, que venceu embate com Adam Chatfield.

MX2 – Mais uma vitória consistente de Paulo Alberto. Após bela largada de Caio Lopes, o português deu o bote no brasileiro ainda na primeira volta e pulou para ponta. Tranquilo, venceu mais uma. A segunda posição ficou com o catarinense Anderson Cidade, que ao ultrapassar Caio nas primeiras voltas, manteve a colocação até o final. Depois de fazer um bom começo, inclusive andando de igual para igual com outros pilotos, o novato na categoria Fábio dos Santos foi ultrapassado por João Ribeiro, que completou em terceiro. Com as três primeiras posições praticamente definidas, a emoção ficou por conta do quarto lugar. Thales Vilardi, Fábio e Dudu Lima tiveram boas disputas. No fim, melhor para Dudu, que superou os concorrentes.

Júnior – Foi Leonardo Almeida que saiu na frente da bateria, seguido de Vinícius Abreu, que perdeu a posição para o paulista Djalma Brito ainda na primeira volta. Porém, Djalma sofreu queda na quarta volta e cedeu posições. Após início irregular, Enzo Lopes precisou ser recuperar e foi ultrapassando um a um até chegar à ponta da corrida na sexta volta, acumulando 40 pontos no campeonato. Djalma também se recuperou e assumiu a segunda posição. Mas, uma nova queda o tirou da disputa das três primeiras posições, terminando em quarto lugar. A segunda colocação ficou com o mineiro Vinícius, seguido de Leonardo.

65cc – Com uma pilotagem segura, o mineiro Carlos Eduardo, o Dadalzinho, natural de Cristiano Ottoni, empolgou o público ao levar a etapa. No início, Keven Willian até tentou surpreender o piloto da casa, porém sem sucesso. E pior, ele perdeu a segunda posição para o mineiro Joaquim Neto na quarta volta, que seguiu na posição até o final. Apesar disso, completou em terceiro. “Consegui fazer uma boa prova e melhorar meus pontos em relação ao Joaquim”, coloca Dadalzinho.

50ccGarmichel Giehl fez o holeshot, no entanto ainda na primeira volta Diogo Nascimento assumiu a liderança da categoria. Quem também passou Garmichel para ficar na segunda colocação foi Marcello Leodorico. Com caminho livre, Diogo acelerou forte para abrir mais de 11 segundos em relação ao segundo colocado e venceu pela segunda vez consecutiva. Rodolfo Bicallho completou o pódio em terceiro.

O Arena Cross volta em quinze dias. A terceira etapa ocorre em 7 de junho, na cidade de Goiânia (GO), na área de eventos do Shopping Flamboyant.