Foto: Rafael Portaluppi 125cc

Aumenta a expectativa para a terceira etapa do Brasileiro de Motovelocidade

Foto: Rafael Portaluppi 125cc

Foto: Rafael Portaluppi 125cc

A forte disputa pela liderança na categoria SBK pode fazer da prova em Campo Grande uma das melhores da temporada

O Campeonato Brasileiro de Motovelocidade chega à terceira etapa neste final de semana, dias 25 e 26 de julho, em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Na última prova, realizada no final do mês de junho em Brasília, Bruno Corano (Suzuki/Santander) assumiu a liderança do campeonato na categoria Superbike (SBK) ao vencer a prova, chegando aos 44 pontos.

José Luiz de Camargo Jr., (Team J. Cachorrão), está empatado com Corano, mas tem dois segundos lugares, contra uma vitória do piloto da moto número 34. A briga pela ponta da tabela se encontra aberta na categoria principal, o que promete fazer da prova em Campo Grande uma das mais emocionantes do campeonato.

Bruno Corano pretende manter o ritmo para se isolar na ponta da tabela após a prova na capital do Mato Grosso do Sul. “Vou ser competitivo como sempre sou e vou buscar a vitória. A cada etapa temos chances de melhorar, estamos levando para Campo Grande um engenheiro para cuidar da telemetria da nossa moto e ver os pontos aonde podemos melhorar no equipamento”, destacou.

Em 2009 a Equipe Suzuki tem feito uma boa temporada e Corano está confiante com o desempenho dos companheiros de time, sobretudo de Ricardo Simohara (Maxima/ Suzuki/Simohara Motorsport). O piloto é o terceiro colocado com 35 pontos e, para o líder do campeonato, Simohara tem grandes chances de conquistar um bom resultado na capital morena e mostrar combatividade, para, pelo menos, assumir a segunda colocação no campeonato.

Na Superbike Light (SBKL) Alan Santos (Franco & Bachot Moveis/Mac Cor Pinturas/Motonil) lidera na categoria com 53 pontos. Santos é seguido pelo piloto da casa Danilo Cristófaro (Motonil/Gama Assessoria Empresarial/ Automoto) com 36 e Fabiano Cognolato (Div Fogão/Sicoob/KF), com 23 pontos. Na categoria Superstock (SST) Diego Preter (Cromo Speedy/ Oxxy/Posto Zanforlin/Opção Rural) tem 54 pontos e Pablo Moyses (Selenia/Promec/Orto Dente) tem 22.

600Sport e Sporti, 250cc, 125cc
Nas categorias 600cc, o gaúcho Maico Teixeira (Autolub Atacadista) venceu em Brasília a prova geral, mantendo-se na liderança na categoria 600 Sporti com 53 pontos. William Pontes “Pamonha” (Corsini Racing), piloto de Brasília e atual campeão das 600cc, iniciou a temporada na última etapa, e voltou vencendo, pela categoria 600 Sport. Mauro Thomassini (Motom) tem 49 pontos e é o líder dessa categoria.

Marciano Santin (Corneta/Alemão Pneus/Threeheds), também do Rio Grande do Sul, levou a melhor na 250cc em Brasília e lidera com 53 pontos. A briga pela segunda posição do campeonato se apresenta mais equilibrada e pode esquentar. Murilo Ribeiro (Protector/V-21/Motorcycles) tem 42 e o paulista Danilo Lewis (Rinaldi/Servitec/Datamais) tem um ponto a menos. Até o momento, o piloto Ricieri Luvizotto (Ossel) fez 38 pontos e corre por fora, na quarta colocação. Fechando os cinco primeiros, Luiz Paulo Alves (At&At/Museu/Yelow Peppers)tem 28.

Na categoria 125cc, Rafael Portaluppi (Transportes Portaluppi) manteve em Brasília 100% de aproveitamento, e conquistou os 54 pontos disputados até o momento. O gaúcho de Bento Gonçalves levou vinte e cinco pontos por cada vitória, dois pelas duas melhores voltas e outros dois pelas pole positions nas duas etapas.

Confortável na ponta da tabela, Portaluppi espera escrever seu nome em Campo Grande e continuar vencendo. “O segredo para o piloto ser campeão é começar bem. Ano passado, por exemplo, não fui bem nas primeiras provas, deixei para ganhar no final e faltaram dois pontos para ser campeão. Pretendo pontuar o máximo agora pra ser campeão no fim”, destacou. Marcelo Gomes (Catarina Moto Sport) e o jovem Patrick Matos (Cerciari/Sundown/Dublê Car), de apenas 12 anos estão empatados na segunda colcoação com 36 pontos.

O Autódromo foi inaugurado no ano de 2001, e fica localizado na rodovia BR-262, cerca de 15 quilômetros do centro de Campo Grande. O circuito tem 3.433 metros de extensão, três curvas para direita e seis para o lado esquerdo e dispõe de uma das maiores retas do Brasil, com 960 metros. O Campeonato Brasileiro de Motovelocidade tem o apoio de Pirelli, Servitec e Silmar. Realização: Federação de Motociclismo de Mato Grosso do Sul. Supervisão: CBM.