Aviões construídos por estudantes brasileiros disputam este mês competição nos EUA

Futuros engenheiros ganharam o direito de representar o Brasil na disputa internacional ap¢s conquistarem as melhores classifica‡äes na VII Competi‡Æo SAE BRASIL AeroDesign, em 2005.

Estudantes de Engenharia de trˆs universidades brasileiras – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal de Uberlƒndia (UFU) e Escola de Engenharia de SÆo Carlos da Universidade de SÆo Paulo (EESC-USP) – ajustam os £ltimos detalhes de seus aviäes r dio controlados, totalmente projetados e constru¡dos por eles, para disputar a SAE Aerodesign East Competition, entre os dias 21 e 23 de abril, em Marietta, Georgia, Estados Unidos. Os futuros engenheiros ganharam o direito de representar o Brasil na disputa internacional ap¢s conquistarem as melhores classifica‡äes na VII Competi‡Æo SAE BRASIL AeroDesign, em 2005. O Brasil sagrou-se duas vezes campeÆo pela Classe Regular na SAE Aerodesign East Competition, em 2002 e 2005.

Na Competi‡Æo brasileira, realizada em setembro do ano passado no Centro T‚cnico Aeroespacial (CTA), em SÆo Jos‚ dos Campos/SP, a equipe Uai-S“-Fly, da UFMG, e a equipe Tucano, da UFU, conquistaram primeiro e segundo lugares na Classe Regular, entre as 46 participantes, e a equipe EESC Open foi a campeÆ da Classe Aberta, que reuniu cinco equipes.

Os estudantes mineiros da equipe Uai-S“-Fly estÆo confiantes para a disputa internacional. “Esperamos ficar entre os trˆs primeiros”, afirma o capitÆo da equipe, Rodrigo Sorbilli. A Uai-S“-Fly aposta em um projeto totalmente novo, j  que a regra internacional ‚ diferente. “Mesmo com uma maior envergadura da asa (2,40m), conseguimos manter a leveza do aviÆo, que est  apenas com 200g a mais que o anterior, e aumentar a capacidade de carga de 9,8 kg para 12,5 kg”, acrescenta.

A equipe EESC-USP OPEN tamb‚m est  bastante otimista. “O projeto ‚ bem feito e se tudo der certo vamos trazer o principal t¡tulo da Categoria para o Brasil”, afirma Pedro Castro Souza Vilella, capitÆo da equipe, que tem mais nove estudantes. Para competir nos EUA, a equipe fez algumas melhorias e adapta‡äes no bimotor, que propiciaram maior estabilidade, envergadura da asa (4,30) e capacidade de carga (19,9 kg). A aeronave pesa 5,2 kg e ‚ feita em fibra de carbono e madeira balsa.

Excelente hist¢rico – A SAE Aerodesign East Competition ‚ realizada pela SAE International e reunir  48 equipes de v rios pa¡ses da Europa e das Am‚ricas. Al‚m de duas vezes campeÆs, pela Classe Regular, na Competi‡Æo norte-americana, em 2002 com a equipe H‚rcules/Abraraqua‡u, da Escola de Engenharia da USP SÆo Carlos; e em 2005 com a equipe Car-Kar , da Universidade Federal do Rio Grande Norte, equipes brasileiras foram vice-campeÆs, tamb‚m pela Classe Regular, em 2000, 2001, 2004 e 2005, com as equipes Cefast, do Cefet Minas, a Aer2001, do ITA, a equipe CEAV/UAV, da Universidade Federal de Minas Gerais, e a equipe Canarinho, da Universidade Estadual de SÆo Paulo (Unesp), campus Bauru. Na Classe Aberta, o Brasil conquistou o quarto lugar, com a equipe LeviatÆ, do Instituto Tecnol¢gico de Aeron utica (ITA), em 2005.

O Projeto AeroDesign constitui um desafio lan‡ado pela Se‡Æo SÆo Jos‚ dos Campos da SAE BRASIL (Sociedade de Engenheiros da Mobilidade), para universit rios de gradua‡Æo e p¢s-gradua‡Æo em Engenharia, F¡sica e Ciˆncias Aeron uticas de todo o Brasil: o de projetar e construir aeronaves, em escala reduzida, em conformidade com regras estabelecidas pelo Regulamento da Competi‡Æo, e que sejam capazes de superar sucessivas baterias de testes demonstrando capacidade de v“o controlado, para cargas £teis sempre crescentes, at‚ as condi‡äes limite do projeto. A avalia‡Æo e classifica‡Æo das melhores equipes sÆo feitas por meio de duas etapas: Competi‡Æo de Projeto e Competi‡Æo de V“o.