Chefes de equipe destacam mídia e baixo custo do Moto 1000 GP

Baixo custo e mídia forte caracterizam a Moto 1000 GP

Chefes de equipe destacam mídia e baixo custo do Moto 1000 GP

Chefes de equipe destacam mídia e baixo custo do Moto 1000 GP

A boa visibilidade e os baixos custos operacionais para pilotos e equipes estão entre os principais atrativos do Moto 1000 GP. A avaliação é dos próprios chefes de equipes que atuam no campeonato. Criado no ano passado sob a proposta de propiciar condições tão favoráveis quanto possível para o processo de desenvolvimento da motovelocidade no Brasil, o Moto 1000 GP terá as provas da terceira etapa em Santa Cruz do sul (RS), no próximo dia 23.

Um dos chefes de equipe que avalizam os predicados do campeonato criado e organizado pelo ex-piloto Gilson Scudeler é Murilo Colatreli. À frente da Colatreli Racing, equipe sediada em Monte Alto, cidade do interior de São Paulo, o campeão brasileiro de 2010 experimenta uma repercussão positiva do trabalho que faz no Moto 1000 GP desde a segunda metade do campeonato de 2011. “O campeonato está ganhando força”, ele aponta.
“O Moto 1000 GP é um campeonato que tem muita visibilidade, a gente pode ver que as equipes estão crescendo”, testemunha. “O nível está cada vez maior, e com isso tudo se desenvolve. O alto nível puxa para cima o objetivo do trabalho de todos, de mecânicos e pilotos. E os custos são acessíveis. Claro que nós dependemos de patrocinadores, mas com um campeonato fortalecido essa negociação também se torna menos difícil”, complementa.