Bajas da FEI disputam competição em Minas

Bajas da FEI disputam competição em Minas

Bajas da FEI disputam competição em Minas

Competição SAE BRASIL Regional 2009-Etapa Sudeste acontecerá dias 12 e 13 de setembro, no Campo de Provas de CNH, Distrito Industrial de Sarzedo, e reunirá mais de 300 estudantes

Estudantes do Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana) fazem os últimos acertos nos bajas que disputarão a Competição Baja SAE BRASIL Regional 2009-Etapa Sudeste, que será realizada nos dias 12 e 13 de setembro, no Distrito Industrial de Sarzedo, no Campo de Provas de CNH, região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais. A FEI levará para a competição os bajas Zaya e Dipton, projetados e construídos pelos alunos e que utilizam placas com aproveitamento de energia solar para carregar as baterias.

Tricampeã mundial (2004, 2007 e 2008) e pentacampeã nacional (2001, 2002, 2005, 2007 e 2009) na categoria, a FEI levará para a competição dois bajas que dispensam a energia do motor graças a placas com sistema de aproveitamento de energia solar para carregar as baterias. As placas levam cerca de cinco horas para serem recarregadas e precisam de uma nova recarga após 12 horas de uso. Os carros também estão equipados com faróis de lâmpadas LED, que foram instalados nos carros e serão alimentados pela energia solar.

Além de leves, já que cada um pesa cerca de 220 kg carregado (com o piloto), os bajas também possuem tecnologia GPS, desenvolvida pelos alunos em parceria com o IPEI (Institutos de Pesquisa e Estudos Industriais) da FEI, com sistema de telemetria, que gerencia e transfere ao box, em tempo real, informações como velocidade, rotação do motor, níveis da bateria e do tanque de combustível. As equipes da FEI são formadas por 23 alunos dos cursos de Engenharia Mecânica e Engenharia Elétrica.

Para proporcionar mais conforto, os estudantes da FEI desenvolveram um sistema de ajuste de conforto em que as molas têm variação de rigidez e se ajustam conforme o peso do condutor. A suspensão traseira possui braço semiarrastado e a dianteira é do tipo duplo braço triangular. A transmissão automática CVT (Continuosly Variable Transmission).

O Dipton alcança 60 km/h, tem freio a disco, com atuação hidráulica, e a direção é tipo pinhão cremalheira. O chassi é tubular, com alta rigidez torcional. Já o veículo Zaya possui suspensão dianteira tipo duplo braço triangular e a traseira ganhou nova geometria, a McPherson. A transmissão é CVT (Continuosly Variable Transmission). O veículo atinge 55 km/h.

Competição – No sábado (12), os estudantes fazem a apresentação oral dos projetos para os juízes e os carros passam por avaliações de conforto, segurança e regulagem de motor. No domingo (13), os veículos são submetidos a diversas provas, como subida de rampa desempenho, dirigibilidade e enduro, que terá três horas de duração e acontecerá em pista de terra cheia de obstáculos, na qual carros e pilotos são desafiados no aspecto resistência. A competição reunirá mais de 300 estudantes de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Minas Gerais.