Foto: Kawasaki Ninja 250 - Claudinei Cordiolli

Banana não é cebola ou cada macaco no seu galho – consumo de óleo – Borracha velha.

Foto: Kawasaki Ninja 250 - Claudinei Cordiolli

Foto: Kawasaki Ninja 250 - Claudinei Cordiolli

Amigos, Postei em um forum elogios à Ninja 250r e ao que me parece voces fizeram o melhor teste da moto.. sem equívocos ou tendências.. já os outros testes… ai eu pergunto a Honda paga Jornalistas para se calarem ou meter o pau nas outras motos … como um cara da rede global o faz ? Olha foi só polemica … Aqui está o link, (retirado link) mas acredito que o que foi escrito é a mais pura verdade … senti vontade de andar de moto novamente com esta pequena notavel… Mauro, 50, Florianópolis, SC.

R: De qualquer modo, obrigado pelos elogios Mauro. Uma fábrica pagar aos jornalistas ? Não acreditamos que nenhuma marca faria esse tipo de auto-sabotagem. As conseqüências poderiam ser desastrosas para eles. Há sim, uma certa reciprocidade comercial, normal entre as empresas, que não compromete a qualidade e independência do veículo de imprensa. Mas isso quando este considera importantre essa qualidade, não podemos afirmar isso por todos os veículos.
Quanto aos comentários que você cita, é como comparar banana com cebola pois são máquinas desenvolvidas para públicos distintos e seus projetos almejam objetivos diferentes. Esses leitores acabam por se confundir porque algumas revistas e sites fazem essas comparações e tiram conclusões incabíveis.
As três outras grandes marcas japonesas têm ou já tiveram esse tipo de moto em outros países como a Honda CBR 250 RR irmã menor das grandes esportivas, a Yamaha com a YZF 250 R e Suzuki com as pequenas GSXR com certeza podem vir a participar também nesse mercado, que é bem distinto dos atuais modelos das outras marcas presentes no Brasil. Apenas a Kasinski divide com a Kawasaki esse mesmo mercado. Abraços


Comparativo: Twister x Tornado. Um comparativo que não tem nada a ver! Tornado: Uma moto “Cidade / Campo” Twister: Cidade /Estrada. Embora mesmo motor. É acentuada a diferença em arrancada da Tornado pois sua relação assim permite, mas a Twister obrigatóriamente “Tem” que ter mais final! Isso é a ordem natural da concepção de suas qualificações, Eu particularmente com 51 anos,(36 de moto) prefiro a Tornado , mais alta, macia e confortavel. Twister muito baixa, dura e cansativa. É isso ai! Um abraço do amigo Renato, 51, Mimoso do Sul, ES

Foto: Verifique os pneus - Bitenca

Foto: Verifique os pneus - Bitenca

R: Isso mesmo Renato, a sua comparação ilustra bem como cada modelo de moto se aplica melhor a um tipo de uso, segue uma tendência. Característica não é defeito e muitas pessoas confundem isso. O que ocorre é uma adequação melhor ou pior no uso que o proprietário dá ao produto.
Nas condições de nossas vias públicas, nas grandes cidades e periferias é notória a vantagem que uma moto estilo cidade/campo leva sobre uma Cidade/estrada.
Mas na certa vão haver ocasiões em que o foco estradeiro leva vantagem.
Menos consumo, melhor velocidade de cruzeiro e mais conforto na estrada. Cada macaco no seu galho. Abraços,


Sou um grande fã do site. Meu problema eh a seguinte possuo uma honda nx350 sahara e o consumo de óleo eh de mais ou menos um tanque de óleo a cada três tanques de gasolina, ela esta com aprox. 30000km. Gostaria de saber se este consumo eh normal ou se tem alguma coisa errada. Nunca exagero acelerando ate o limite, o consumo de combustível nunca esteve tao bom, e nem há fumaça de óleo queimado. Se puderem me dar uma luz eu agradeço muito. Abraços

R: Diogo, esse consumo não é normal não.
Você deve poder rodar sem perceber a baixa do nível do óleo entre as trocas normais. Verifique a compressão, folga nas guias de válvulas ou retentores. Mesmo que não perceba a fumaça deve estar passando óleo em demasia para a explosão provocando o consumo elevado. Boa sorte.


Prezado Bitenca, Tenho uma sahara 1996 em perfeito estado, desde zero e com baixa kilometragem- agora estou usando-a com mais vontade, inclusive em rodovias.Os pneus são originais e não mostram sinais de desgaste (menos de 5000 Km rodados). Mesmo assim devo trocá-los? E o freio traseiro, convém adaptar um freio a disco? Abraços

R: A borracha dos pneus sofre uma ação do tempo que os deixa mais duros e menos aderentes. Com isso em mente apenas verifique de tempos em tempos se não há nenhuma rachadura que possa comprometer a sua segurança. Em uso cotidiano, fique atento à calibragem e leve em conta essa limitação de aderência. Assim você pode terminar de usá-los sem problemas.
Quanto ao freio, acho que é mais uma questão de estética. Os originais dão conta do recado até porque essa moto tem um bom freio-motor que ajuda muito.
Mas precisam estar sempre limpos e regulados. Fique atento quando o pedal de freio aumenta o curso pelo desgaste natural e ajuste com freqüência a sua folga para manter o controle e segurança. Troque os patins ao atingirem o limite de uso. No mais boa sorte. É uma excelente motocicleta.