Banco do Brasil e CBC se unem para o crescimento do ciclismo

Banco do Brasil e CBC se unem para o crescimento do ciclismo

Banco do Brasil e CBC se unem para o crescimento do ciclismo

A partir de agora o ciclismo do Brasil inicia uma nova história com o Banco do Brasil, o Banco do Ciclismo Brasileiro.

Na última quinta-feira, 28/05, o Banco do Brasil e a Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) iniciaram uma parceria que contribuirá para a melhoria do esporte, desde as categorias de base até o adulto, bem como para ampliar a visibilidade das modalidades, tendo como objetivo potencializar as atividades desenvolvidas no país.

O BB é o primeiro patrocinador oficial da Confederação Brasileira de Ciclismo. O patrocínio atingirá as seleções brasileiras de ciclismo nas categorias, Junior, Sub 23 e Elite nas disciplinas/modalidades Estrada, Mountain Bike, Bicicross e Pista (velódromo), além do apoio para a realização de eventos do calendário oficial pelo período de 18 (dezoito) meses, de julho de 2009 a dezembro de 2010.

“O Ciclismo é uma moeda de negócios e o Banco do Brasil acreditou nisso. A medalha olímpica pode vir mais rápido porque estamos pedalando para isso. Na ultima olimpíada, conquistamos a medalha de ouro na natação e no atletismo. Agora, queremos uma medalha no ciclismo”, afirmou José Luiz Vasconcellos, presidente da Confederação Brasileira de Ciclismo.

Durante a coletiva de imprensa realizada na Superintendência de São Paulo do Banco do Brasil, o diretor de marketing e comunicação do Banco do Brasil, Dan Conrado afirmou que, com esse patrocínio, está sendo plantada uma semente da primeira medalha olímpica da modalidade.

A Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) foi fundada em 1979 como entidade máxima para dar suporte e regulamentar o ciclismo brasileiro sendo a única reconhecida pela União Ciclística Internacional (UCI) para fomentar e desenvolver o ciclismo e todas a suas disciplinas (ciclismo de estrada, ciclismo de pista (velódromo), ciclismo Mountain Bike, ciclismo Bicicross e ciclismo Paraolímpico), também homologada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) e pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), portanto, representa o Brasil no exterior através das atividades pertinentes ao ciclismo.

A entidade é de caráter desportivo nacional de administração do desporto pela Legislação Desportiva Brasileira que tem a responsabilidade de dirigir, defender, controlar e fiscalizar a prática do ciclismo de estrada, mountain bike, pista e bicicross.

Presidida atualmente por José Luiz Vasconcellos, que desde 2001 já desenvolvia estratégias de administração da modalidade como vice-presidente do Sr. Bruno Caloi, a entidade deixou para traz o anonimato e através de planos de trabalho alcançou ótimos resultados no posicionando do ranking mundial do ciclismo de Estrada ficando entre as 20 melhores nações do ranking mundial.

Em 2003 com a mudança no regulamento, o Ranking deixou de ser mundial e passou a ser continental, fazendo com que o Brasil ocupasse lugar de destaque no Cenário Continental (ranking America Tour).

A Confederação Brasileira de Ciclismo investe na formação de técnicos e comissários internacionais e nacionais no ciclismo de Estrada, Mountain Bike e Bicicross. Criou o calendário oficial de provas e o ranking nacional. Vem ainda trabalhando no processo de credibilidade nos resultados, utilizando equipamentos de alta tecnologia com objetivos de criar um referencial no esporte, suficiente para construir parcerias vencedoras e um projeto sustentável para o ciclismo brasileiro.