Bater o recorde, mas não agora

Bater o recorde, mas não agora

Bater o recorde, mas não agora

O piloto Eric Granado vai fazer um teste funcional neste final de semana no autódromo de Interlagos, durante os treinos da Superbike Series.

O objetivo é acompanhar o tratamento ortopédico de recuperação das fraturas do quinto metatarso do pé, já mais consolidada, e do osso rádio de mão, que demanda mais tempo, seis semanas para consolidação, explica o seu pai Marco Granado.

Orientado na pista pelo médico Marcelo Baboghluian, do Instituto Marazul de Medicina Esportiva, Eric terá analisada a evolução do tratamento, cujo objetivo é lhe dar condição de pilotar, dias 5 e 6 de abril, nos últimos treinos oficiais coletivos da categoria 125 Especial para o campeonato espanhol, em Jerez de La Frontera. E depois largar com a sua Aprilia na primeira prova, dia 17 de abril.

Eric fará o teste na pista de Intrlagos porque aos 14 anos não tem habilitação e não pode pilotar em ruas e estradas. Conduzirá uma Triumph Daytona 675 da Mobil Rush Racing Team, com a qual fez o melhor tempo no warm up da prova inaugural semanas atrás, apesar da moto, modelo 2009, já ter competido duas temporadas completas. Entretanto, o seu desempenho nesse teste funcional não chegará nem perto dos pilotos que disputam a categoria 600 cilindradas.

Eric Granado com sua Triumph Daytona 675 segue Dudu Rush Costa Neto, de Kawasaki Ninja ZX-6R

Não é o que estava nos planos do jovem piloto, antes do acidente e fraturas na Espanha. Queria aproveitar essa segunda etapa da Superbike Series para bater o recorde de Interlagos na categoria 600 cilindradas. Em vez de pilotar a Triumph Daytona 675, a moto que foi campeã paulista da categoria 600cc no ano passado, já iria andar nas Kawasaki Ninja ZX-6R de 600 cilindradas dos outros pilotos da equipe, o Dudu Rush Costa Neto e Sergio Laurentys. São as motos que estão dominando a categoria, com as quais ele quer – e consegue facilmente – bater o recorde da pista. Mas não agora.