Bio energia

Bio energia

Bio energia

Piloto brasileiro pode ser o primeiro da história a competir no Rally Dakar com uma moto movida a álcool

Pela primeira vez em sua história, o Rally Dakar 2009 deixará o continente africano e percorrerá 9.000 quilômetros entre a Argentina e o Chile. Além dessa mundaça de “endereço”, a maior competição off-road do planeta terá outra grande novidade: a preservação do meio-ambiente. A organização do Dakar liberou o uso de outros combustíveis para qualquer equipe, desde que este time se encarregue do transporte e armazenamento. Nas entrelinhas, o staff do Dakar 2009 autorizou o uso do álcool como combustível para as motos. Esta atitude mostra a preocupação da direção da prova em reduzir a emissão de gás carbônico de motos, quadriciclos, carros e caminhões.

Com esta decisão, o Brasil sai na frente e Sylvio de Barros, da Infinity Rally Team, pode ser o primeiro piloto da história do Rally Dakar a competir com uma moto movida a álcool. Seu companheiro de equipe, Fabrício Bianchini, também tem grandes chances de participar do rali com uma moto ecologicamente correta.

RALLY DOS SERTÕES – Equipe destaque na 15ª edição do Rally Internacional dos Sertões em 2007 e ganhadora do prêmio de melhor equipe de apoio em 2008, a Infinity Rally Team foi pioneira no mundo na utilização do bio-combustível em provas off-road. Num mix de aventura, consciência ecológica e bem-estar social, a equipe acredita que é possível competir sem degradar o meio ambiente. “Na competição, as motos são exigidas ao extremo e ‘voaram’ a mais de 150 Km/h”, explica o experiente Sylvio de Barros.

Bio energiaPara chegar a uma fórmula ideal, foram três meses de muitos testes e avaliações. “Para obter uma correta combustão, ou seja, uma queima perfeita do álcool, os mecânicos da equipe Infinity fizeram alterações na agulha e no giclê, além de mudar o ponto de ignição da moto e aumentar o fluxo de ar”, conta Fabrício Bianchini.

Confira abaixo a entrevista com Sylvio de Barros, da Infinity Rally Team, que pode ser o primeiro piloto da história do rali a competir com uma moto movida a álcool:
INFOMOTO – Como você se sente em ser o primeiro piloto a utilizar motos a álcool no Dakar?
Sylvio de Barros – Ainda não está confirmado, mas seria sem dúvida uma experiência interessante. Aliar uma atividade esportiva de lazer a uma bandeira de sustentabilidade em um momento que se discute a viabilidade de combustíveis alternativos, inclusive com o debate entre “álcool bom é de cana e o ruim é de milho”.
INFOMOTO – Você competirá com um moto a KTM?
Sylvio de Barros – Pode ser uma 530 ou a 690. Ainda não está definido.

INFOMOTO – Qual é a estratégia?
Sylvio de Barros – Ter no mínimo três motos, uma com chances reais de vitória.

INFOMOTO – Qual sua expectativa?
Sylvio de Barros – Completar a prova.

INFOMOTO – É possível obter bons resultados sem agredir o meio ambiente?
Sylvio de Barros – Sim, já que não há prejuízo de desempenho das motos, ao contrário, o álcool têm algumas vantagens. O motor roda mais frio e gasta menos óleo. Ou seja, o propulsor tem menor desgaste, porém o consumo é cerca de 10% maior se comparado à gasolina.

INFOMOTO – Qual será a logística para esta operação? De quem virá o álcool utilizado na competição?
Sylvio de Barros – Deverá ser feita pela própria equipe. A organização do Dakar só fornece gasolina e diesel.

DAKAR 2009 – Nessa aventura pela América do Sul, os pilotos percorrerão 9 mil quilômetros, dos quais 6 mil de trechos cronometrados. A largada para a primeira etapa está marcada para 3 de janeiro e os corredores seguirão para o sul da Argentina, passarão pelos pampas, em direção à Patagônia, para depois subirem pelo oeste do país até cruzar a Cordilheira dos Andes rumo ao Chile. Em seguida, os competidores do Dakar 2009 saem de Valparaiso e seguem para deserto de Atacama, antes de entrar novamente em território argentino até a chegada em Buenos Aires, no dia 18 de janeiro. No total, os pilotos cruzarão 9 províncias argentinas (Buenos Aires, La Pampa, Río Negro, Chubut, Neuquén, Mendoza, Catamarca, Córdoba, Santa Fe). Já no Chile, os pilotos rodarão por três regiões: Vaparaiso, Coquimbo e Atacama.