Bluebird nas areias da praia de Pendine, junto à cidade de Carmathenshire

Bluebird elétrico enfrenta problemas

Bluebird nas areias da praia de Pendine, junto à cidade de Carmathenshire

Bluebird nas areias da praia de Pendine, junto à cidade de Carmathenshire

No fim de semana de 13 e 14 e agosto passado, Don Wales, neto do celebrado Malcolm Campbell, e seu filho Joseph, bisneto de Malcolm e sobrinho de Donald Campbell, estavam testando o primeiro Bluebird elétrico na ‘pista’ de 11 km de areia, tentando estabelecer mais um recorde ‘de família’. O Bluebird elétrico, resultado de meses de esforços do pessoal da universidade de Bristol, da universidade metropolitana de Swansea, das empresas Aggreko, Bluestone, Castrol, Dickies, Dura, Goodyear, Honour Motorsport, Phase Vision, Ford, Southern Springs e Tirius Ltd, estava sendo ajudado em sua tentativa de recorde, além de mais de 50 voluntários.

Tecnicamente, o Bluebird tem 300 células de baterias ventiladas de níquel cádmio, dois motores elétricos sem escovas e de magnetos permanentes, que desenvolvem 200 kW cada um e 1.100 Nm combinados máximos.

No dia 13, um sábado, marcou a segunda vez que Joe Wales dirigiu o carro, em condições meteorológicas ruins – porém ótimas para dar bastante experiência ao jovem piloto. No dia seguinte, porém, o tempo amanheceu magnífico e a primeira passagem, em um sentido, foi boa. Na passagem de retorno, porém, ficou claro que a visibilidade de dentro do novo carro é ruim, sem condições de ver coisa alguma a menos de 60 ou 70 metros à frente. A areia estava embolada, o carro saía do chão em determinados momentos, pulou forte num deles, bateu no chão com força, danificou a carroçaria, componentes da direção, um triângulo inferior e acabou derrapando a mais de 160 km/h. A maré alta e a falta de peças no local impediram consertos de emergência.

Apesar das más circunstâncias do fim de semana, Don Wales levou o carro de volta a sua base de Pembroke Docks para ser reconstruído e passar por mais uma tentativa nas areias de Pendine.