BMW acelera e cresce mais de 76%

BMW acelera e cresce mais de 76% no 1º Semestre

Este ano, marca alemã deve bater o recorde de vendas no Brasil, com mais de mil motos.

Jorg Henning Dornbusch, presidente da BMW do Brasil

Jorg Henning Dornbusch, presidente da BMW do Brasil

Os ventos sopram a favor da BMW Motorrad Brasil, a divisão de duas rodas do tradicional fabricante alemão: de janeiro a junho de 2008, a marca aumentou 76% as vendas em relação ao mesmo período de 2007. No primeiro semestre, foram vendidas e emplacadas 636 unidades zero-quilômetro. Até o final deste ano, a BMW quer ver rodando pelas ruas e estradas brasileiras mais de 1.000 novas motos. Isso representa um crescimento de 21% nas vendas.

– O mercado está em franco crescimento! – comemora o economista carioca Jorg Henning Dornbusch, de 44 anos, presidente da BMW do Brasil. Segundo ele, que comanda as divisões de automóveis da marca, “a economia brasileira está atravessando uma fase muito positiva, que viabiliza o crédito para o setor de motocicletas importadas” . Ao contrário do que se pode imaginar, a moto mais acessível – o modelo G 650 Xcouytry Standard, que custa cerca de R$ 37 mil – não é a mais vendida. A campeã disparada de vendas é o modelo R 1200 GS, que custa entre R$ 80 e R$ 82 mil. Essa moto responde por 60% das vendas da BMW no Brasil. “Ela é a nossa moto-chefe de vendas, e não o carro-chefe”, brinca Dornbusch.

Três pontos fortes

Segundo o executivo, as vendas estão indo bem graças ao momento favorável da economia, mas também ao constante trabalho desenvolvido em três pontos pela marca alemã.

– Aplicamos nosso desempenho no constante lançamento de produtos novos, com a melhor e mais avançada tecnologia embarcada. Só para lembrar, fomos nós que incluímos, entre outros itens, o sistema ABS nas motos. Este ano já lançamos as novas BMW R 1200 GS e R 1200 GS Adventure. Ainda virão, até dezembro, mais três motos novas – a bicilíndrica F 650 GS, a moto de enduro G 450X e a F 800 GS – revela.

– Em segundo lugar, trabalhamos o atendimento feito nas revendas, tanto para as vendas como para o pós-vendas. E também desenvolvemos constantemente a estrutura financeira que favorece a aquisição das motocicletas, nossa divisão BMW Serviços Financeiros – explica. “Através dela, oferecemos produtos como leasing, seguros, taxas de juros, parcelamentos e outros incentivos aos clientes. Trabalhamos com taxas atrativas, e não com descontos.”

Dornbusch diz que os motociclistas que compram as motos BMW são divididos, quase por igual, em dois grupos: os que pagam à vista e os que parcelam o pagamento das motocicletas. Sua idade média está ao redor dos 45 anos e todos têm experiência em pilotagem. A BMW oferece um curso intensivo, de um dia (das 8h as 17 horas), no campo de provas da Pirelli, chamado “BMW Rider Training”. Ele é aberto aos proprietários de suas motos e mesmo aos donos de outras marcas de motocicletas.

– De uma forma geral, estamos bastante otimistas com o mercado de alta cilindradas. Esse ano bateremos nosso recorde de vendas no Brasil. A matriz alemã está vendo essa ascensão de uma forma muito positiva, e pretende investir mais para manter esse crescimento criterioso. A marca tem atualmente oito revendedores autorizados de motocicletas, sendo cinco compartilhados com a venda de automóveis. Todos estão situados nas regiões Sudeste e Sul – o que, segundo Dornbusch, não impede uma expansão para outras regiões.