Foto: Jean Azevedo durante participa‡Æo no Dakar 2006

Brasil completa 20 anos de Dakar com número recorde de pilotos

Foto: Jean Azevedo durante participa‡Æo no Dakar 2006

Foto: Jean Azevedo durante participa‡Æo no Dakar 2006

Klever Kolberg e Andr‚ Azevedo, da Petrobras Lubrax, correm desde 1988

A loucura de dois jovens deu certo. Em 1988, Klever Kolberg e Andr‚ Azevedo tinham 24 e 27 anos e mal tinham dinheiro para competir no enduro paulista de motociclismo. Mesmo assim puseram na cabe‡a que dava para correr o Paris-Dakar. Quase zerados de patroc¡nio, at‚ venderam seus carros para fechar a fatura, embarcaram para a Europa sem um pneu reserva sequer e foram pegar as Yamahas Tener‚ que usariam no rali s¢ dois dias antes da largada. “Foi uma inconseqˆncia, nem tivemos tempo de treinar na terra e fomos mesmo assim, levando na garupa saco de dormir, rem‚dios, ferramentas, tudo. Foi perigos¡ssimo”, lembra Kolberg. “Mas a grande vit¢ria foi largar”. E foi mesmo. Da¡ pra frente a coisa deslanchou. A equipe Petrobras Lubrax j  acumula 18 p¢dios, sendo seis primeiros lugares em categorias. Hoje esses mesmos pilotos, que nem pneu extra tinham, desembarcam na Europa com status de favoritos, correndo sempre no pelotÆo de frente da prova.

A trilha aberta por Kolberg e Andr‚ Azevedo gerou frutos, o n£mero de brasileiros vem crescendo, e ser  recorde em 2007. Dia 6 de janeiro em Lisboa, oito pilotos nascidos no Brasil vÆo acelerar fundo na esperan‡a de, ao menos, chegar nas praias do Senegal, em Dakar, 16 dias depois.

Entre as motos serÆo quatro competidores: o favorito ‚ Jean Azevedo (equipe Petrobras Lubrax), irmÆo de Andr‚, em sua oitava participa‡Æo. Largam ainda os estreantes Dimas Matos, Carlos Ambr¢sio e Silvio de Barros. Entre os caminhäes, Andr‚ Azevedo segue como nosso £nico representante, ao lado do navegador Maykel Justo e do mecƒnico tcheco Mira Matinec.

Entre os carros, a promessa ‚ de briga boa. Kolberg, da Petrobras Lubrax, tem a vantagem de duas d‚cadas de experiˆncia no deserto e o eficiente navegador Edu ardo Bampi a seu lado, mas ter  pela frente dois pilotos fortes: Paulo Nobre, o Palmeirinha, correr  pela equipe BMW, em sua 2¦ participa‡Æo. E o piloto Riamburgo Ximenes estr‚ia no deserto a bordo de uma Mitsubishi Pajero. Apesar da experiˆncia maior de Kolberg, Palmeirinha tem uma estrutura muito forte de apoio. E Riamburgo, que nasceu Cear , vive entre as dunas desde crian‡a e nÆo deve se assustar com o Saara.

Enfim, esse 20§ Dakar do Brasil ser  disputad¡ssimo entre os pr¢prios brasileiros, bem ao estilo da mais famosa e dif¡cil prova off-road do mundo. A largada em Lisboa ser  dia 6 de janeiro e a prova ter  16 dias, sendo 14 etapas e uma final especial no £ltimo dia, 21 de janeiro, nas praias de Dakar. No total serÆo 8.696 quil“metros cruzando seis pa¡ses: Portugal, Espanha, Marrocos, Mauritƒnia, Mali e Senegal.

E o site da equipe Petrobras Lubrax vai acompanhar cada detalhe da prova, dia a dia, ao vivo do deserto, publicando todas as not¡cias e fotos da prova em tempo real, nÆo ficando restrita aos pilotos do time. Basta acessar www.parisdakar.com.br