Carro da estreante Unicamp foi o melhor na prova de aceleração

Brasil está de novo no “Top Ten” da Formula SAE

Carro da Unicamp foi o melhor em aceleração e a equipe da FEI ficou com a oitava colocação na classificação geral e ainda apresentou o segundo melhor custo da produção do projeto, durante a competição da SAE INTERNATIONAL, que terminou sábado (23), em Lincoln, Nebraska, EUA, com 81 equipes inscritas.

Carro da estreante Unicamp foi o melhor na prova de aceleração

Carro da estreante Unicamp foi o melhor na prova de aceleração

Novamente o Brasil integrou o grupo ‘Top Ten’ da competição de carros Fórmula da SAE International. Na Competição Formula SAE de Lincoln, Nebraska, encerrada sábado (23), nos Estados Unidos, a equipe do Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana), de São Bernardo do Campo, ficou em 8º lugar na classificação geral. Já a equipe da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) obteve a 17ª posição na competição, que contou com 81 equipes inscritas, dos EUA, México, Japão, Canadá, Porto Rico, Índia e do Brasil.

Equipe da FEI foi a oitava colocada e levou o Brasil ao 'Top Ten'

Equipe da FEI foi a oitava colocada e levou o Brasil ao 'Top Ten'

“Falta pouco para uma equipe brasileira conquistar o sonhado título na modalidade”, avisa o engenheiro Ronaldo Bianchini, gerente de Associações, Seções Regionais e Programas Estudantis da SAE BRASIL, que acompanhou as duas equipes em Lincoln.
O resultado é a somatória da classificação de todas as provas realizadas pelas equipes na competição de engenharia, que começou quarta-feira (20). “Neste sentido, o carro da FSAE-Unicamp foi o melhor no quesito aceleração, enquanto a equipe Fórmula FEI apresentou o segundo melhor custo de projeto”, comemora Bianchini. O desempenho das equipes brasileiras em cada prova ficou assim:

• Apresentação de Marketing – equipe Fórmula FEI em 27º lugar e FSAE-Unicamp em 31º. • Custo – Fórmula FEI em 2º e FSAE-Unicamp 16º; • Design – Fórmula FEI 7º e FSAE-Unicamp 35º; • Skid-Pad – Fórmula FEI 4º e FSAE-Unicamp 24º. • Aceleração – FSAE-Unicamp 1º e Fórmula FEI 13º. • Autocross – Fórmula FEI 22º e FSAE-Unicamp 24º . • Consumo – Fórmula FEI 10º e FSAE-Unicamp 12º; • Enduro – Fórmula FEI 11º e FSAE-Unicamp 17º.

As duas equipes representaram o Brasil na Fórmula SAE de Lincoln, Nebraska, porque conquistaram o primeiro e segundo lugares, respectivamente, na Fórmula SAE BRASIL-PETROBRAS, realizada em Piracicaba, SP, em novembro de 2011.

A equipe Fórmula FEI é pentacampeã nacional e em 2009 levou o Brasil a ocupar pela primeira vez o grupo ‘Top Ten’ da tradicional competição internacional. Já a equipe FSAE-Unicamp é estreante em competições internacionais da categoria. Motores – Os carros Fórmula SAE têm motores de 4 tempos e cilindrada máxima de 610 cm³.

A construção do veículo deve obedecer às normas do regulamento da competição, disponível no site da SAE BRASIL – www.saebrasil.org.br -, que exige das equipes (com até 20 integrantes) que se especializem nos variados sistemas que compõem um carro deste tipo, como powertrain, freios, direção, suspensão, sistemas elétricos, chassis e segurança. Os carros Fórmula SAE surgiram em 1978, nos EUA, e, desde então, são projetados por equipes de estudantes de graduação e pós-graduação de engenharia, sob a orientação de um professor, de acordo com regras definidas pela SAE INTERNATIONAL. Além do Brasil e EUA, as competições da modalidade são realizadas na Inglaterra, Alemanha, Austrália, Áustria, Espanha, Hungria, Itália e Japão. O Brasil ingressou no circuito em 2004, com objetivo de fomentar nos estudantes de engenharia à especialização técnica em veículos de alto desempenho. Para a SAE BRASIL, ao participarem da Fórmula SAE em Lincoln, as duas equipes adquiriram ganho excepcional de experiência e conhecimento que são primordiais para a indústria da mobilidade brasileira.

“O Projeto Fórmula SAE BRASIL desafia os estudantes de engenharia a conceber, projetar, fabricar e competir com carros de corrida estilo fórmula, obedecendo a regras que põem à prova o conhecimento, a criatividade e a imaginação deles. É uma experiência muito enriquecedora”, aponta o engenheiro Vagner Galeote, presidente da SAE BRASIL.