Foto: Gustavo Roratto, piloto da 65cc do Brasileiro de Motocross

Brasileiro de Motocross aumenta temperatura no MS

Foto: Gustavo Roratto, piloto da 65cc do Brasileiro de Motocross

Foto: Gustavo Roratto, piloto da 65cc do Brasileiro de Motocross

Marronzinho (MX1), Leandro Silva (MX2), Chumbinho (MX3), Rafael Ramos (MXJr), Hector Assun‡Æo (85cc) e Gustavo Roratto (65cc) vencem a segunda etapa da competi‡Æo em Coxim

Coxim (MS) – Os motores das motos aumentaram ainda mais a temperatura neste domingo na cidade de Coxim, Mato Grosso do Sul, palco da segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross. O evento atraiu um p£blico de quase 11 mil pessoas na pista do Parque de Exposi‡äes do munic¡pio. Atual bicampeÆo da MX1, o catarinense JoÆo Paulino “Marronzinho” assumiu a lideran‡a da categoria com 46 pontos, deixando a segunda coloca‡Æo para o goiano Wellington Garcia – que possui um ponto a menos.

Milton Becker “Chumbinho” conquistou vit¢ria tranqila na MX3 e tamb‚m atingiu a ponta da tabela com 46 pontos. Leandro Silva, na MX2, e Gustavo Roratto, na 65cc, mantiveram a invencibilidade no Brasileiro. O des taque da 85cc foi Hector Assun‡Æo, que se recuperou na prova de forma impressionante. Depois de cair na largada e cair para a £ltima posi‡Æo, foi ultrapassando seus advers rios um a um e cruzou a linha de chegada em primeiro lugar.

Do calor do Mato Grosso do Sul …s baixas temperaturas ga£chas, o Brasileiro de Motocross segue para a cidade de Carlos Barbosa no final de abril, para a realiza‡Æo da terceira etapa. Confira o que disseram os campeäes de Coxim:

Leandro Silva – “Larguei em primeiro lugar e consegui abrir cinco segundos de vantagem sobre o Ratinho, mas infelizmente ele acabou caindo. A diferen‡a sobre os outros advers rios cresceu e consegui administrar o resultado at‚ o final. Uma grande dificuldade foi o calor, o p‚ esquenta muito dentro da bota. Mas a temperatura est  alta para todos os pilotos, nesta situa‡Æo o melhor a fazer ‚ se hidratar.”

Chumbinho – “A pista estava bem dif¡cil, com v rios ob st culos, e a temperatura alta ‚ bastante desgastante. Fiz uma boa largada, conseguindo andar na frente o tempo todo. Atingi o meu objetivo, porque vencer o in¡cio do campeonato ‚ muito importante para garantir uma boa temporada. Qualquer ponto na classifica‡Æo ‚ muito bem-vindo.”

Gustavo Roratto – “A bateria foi muito boa e larguei em primeiro lugar. Estou feliz por ter vencido as duas corridas e quero tentar ser campeÆo brasileiro.”

Hector Assun‡Æo – “Ca¡ na primeira volta e fiquei em £ltimo lugar. Pensei que estava tudo perdido e que iria conseguir, no m ximo, ficar entre os 10 primeiros. Fui buscando posi‡äes e o melhor tra‡ado, cansei bastante, mas consegui vencer. Acho que isso s¢ foi poss¡vel porque estou com um bom preparo f¡sico.”

Jean Ramos – “Foi uma corrida dif¡cil. Levei dois tombos logo na primeira volta. Fui recuperando mas, na £ltima volta, troquei de tra‡ado e tive mais uma queda. Ainda bem que a bateria j  estava no final e consegui ser campeÆo da etapa.”

Marronzinho – “Larguei em segundo e passei o Davis GuimarÆes na primeira volta. Tentei abrir o m ximo no in¡cio, consegui 10 segundos de vantagem e administrei o resultado. A pista estava muito quente e abri 14 segundos sobre o segundo colocado, Wellington Garcia. Estou muito contente com o desempenho e pelo fato de ter assumido a lideran‡a.”

MX2
1o – Leandro Silva
2o – Wellington Garcia
3o – Lucas Moraes
4o – Marcello de Lima “Ratinho”
5o – Rodrigo Selhorst

MX3
1o – Milton Becker “Chumbinho”
2o – Rog‚rio Nogueira
3o – Alexandro Valerim
4o – Mariana Balbi
5o – Mario Teixeira

65cc
1o – Gustavo Ro ratto
2o – Ruan Almeida
3o – Eduardo Rudnick
4o – Marcos Holtmann
5o – Rodrigo Riffel

85cc
1o – Hector Assun‡Æo
2o – Mar‡al Muller
3o – Gustavo Takahashi
4o – Douglas Santos
5o – Rodrigo Santos “Lama”

MXJr
1o – Jean Ramos
2o – Rafael Faria
3o – Deni Filho
4o – Eduardo Lima
5o – Gustavo Amaral

MX1
1o – JoÆo Paulino “Marronzinho”
2o – Wellington Garcia
3o – Leandro Silva
4o – Lucas Moraes
5o – Rafael Zenni

O Campeonato Brasileiro de Motocross tem organiza‡Æo da Fatto, supervisÆo da Confedera‡Æo Brasileira de Motociclismo (CBM), patroc¡nio de Honda e Mobil, co-patroc¡nio de Yamaha e Pro Tork e apoio de Volkswagen Caminhäes, Pirelli, Clip FM e Pro Link.