Foto: Piloto Cristiano Lopes

Brasileiro de Motocross: Cristiano Lopes vence e supera Mariana Balbi em Canoas

Foto: Piloto Cristiano Lopes

Foto: Piloto Cristiano Lopes

O paulista Cristiano Lopes (BM Motos / Jundiaí / IMS/Casa Mário) venceu neste sábado, em Canoas, região metropolitana de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, a categoria MX-3 da terceira etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross. Milton Becker, o Chumbinho, (Pro-Tork/ TBT/Dipro) chegou em segundo.

Mariana Balbi (2B Racing/Consórcio Realizar/ Martplus/Orbital), que havia se transformado na primeira mulher a vencer uma prova do Brasileiro de Motocross, em Canelinha, Santa Catarina, não repetiu a performance e chegou em terceiro lugar. Neste domingo (17/05) a etapa terá as disputas das categorias principais da competição: MX-1, MX2, CRF Honda e 85cc.

O resultado retirou Mariana Balbi da liderança geral da categoria. Ela caiu para a segunda posição, dois pontos atrás de Lopes que assumiu o primeiro posto. Ele tem 67 pontos contra 65 de Mariana. Cristiano que ficou em quinto lugar quando Mariana venceu, comemorou bastante seu desempenho.

“Aqui em Canoas foi diferente de Canelinha. Prevaleceu o preparo físico, Treinei bastante e acertei a moto. Lá teve muita chuva”, afirmou

Mariana não fez uma boa largada. Mesmo assim o seu resultado tem que ser aplaudido. Largou em décimo, reclamando que foi tocada na largada, e imprimiu um ritmo forte fazendo uma corrida de grande recuperação.

“Estou tranqüila. O resultado foi bom para o campeonato. Agora vou buscar de novo a ponta. Não fiz uma boa largada mas consegui chegar em terceiro”, lamentou.

Participaram desta bateria 35 pilotos. Eduardo Saçaki, o japonês voador, que retornou às pistas depois de um grave acidente há quatro anos, ficou com a décima terceira colocação.

RESULTADOS – MX Júnior – O paulista Hector de Freitas Assunção viveu um dia de ponteiro. Foi o mais rápido nos treinos cronometrados e, ao posicionar-se no gate de largada para disputar a bateria, repetiu o desempenho anterior, saindo em segundo, assumindo a liderança e mantendo o posto até a bandeirada da vitória. A briga ficou pelos segundo e terceiro lugares entre Gabriel Gentil, Rodrigo Rodrigues e Marçal Muller. Melhor para Gabriel que conseguiu se distanciar dos seus adversário conseguindo ter uma melhor performance na sequência de costelas do percurso na parte final do circuito.

“Trabalhei forte durante toda a semana. Cheguei aqui com esperança de vitória e graças a Deus eu consegui o meu objetivo. Digo isto por que as minhas dificuldades são muitas. Sou piloto privado, e mesmo assim tenho conseguido bons resultados”, afirmou Hector, bastante emocionado.

65 CC – Teve de tudo nesta bateria. Quedas, troca de posições e a perda da vitória do piloto por não ter observado a bandeira médica. Assim podemos resumir a disputa da categoria, classificada como a que mais emocionou, após a MX-3, ao público que compareceu ao motódromo Parque Eduardo Gomes. No final a vitória ficou com Rodrigo Riffel que estava em segundo lugar, após ter também ocupado a liderança, beneficiado pela punição de 30 segundos sofrida pelo ponteiro Wilgner Francisco. Um piloto se acidentou e recebia atendimento na pista. Mesmo assim Wilgner ficou com a quarta posição.

“Eu fiz a minha parte. Estive na frente, cai três vezes, me recuperei e cheguei em segundo lugar. Infelizmente ele foi punido. Felizmente estava em segundo e fiquei com a vitória”, comemorou Riffel.

50 CC – A segunda prova disputada nesta tarde de sábado (16/05) foi quase uma repetição da Mx Júnior. O gaúcho Enzo Lázaro Lopes saltou na frente na largada, manteve esta posição até a terceira volta e depois se desconcentrou, permitindo a aproximação de Guilherme Torres que vinha forte logo atrás. Empurrado pela torcida local, Enzo voltou a acelerar forte e se distanciou dos demais adversários até confirmar a vitória com cerca de 10 segundos na frente. Enzo também foi o mais rápido nos treinos cronometrados e manteve a tocada forte também na disputa da bateria.

“Foi muito bom ter ganhado em casa. A prova não foi muito fácil. Tinha muitas canaletas. Mas larguei bem, mantive o ritmo e depois comemorei com a nossa torcida”, explicou Enzo.

A categoria 50cc também teve a disputa de uma outra bateria da segunda etapa, de Canelinha. A forte chuva que caiu no motódromo forçou o cancelamento da competição e seu adiamento para a etapa de Canoas. Enzo voltou a vencer.

RESULTADOS – MX 3 (motos 2 tempos de 100cc até 150cc e 4 tempos de 175cc até 450 cc para pilotos masculinos de 35 a 55 e feminino de 21 a 55 anos)
1 – Cristiano Lopes (BM Motos/Jundiaí/IMS) São Paulo
2 – Milton “chumbinho”Becker (Pro Tork) Santa Catarina
3 – Mariana Balbi (2 B Racing/Consorcio Realizar/MartPlus/Orbital) Minas Gerais
4 – Vagner Lachi (Free Way/SK Sports/Enzo Suspensào) Paraná
5 – Márcio Rogério – São Paulo

MX Júnior (Motos 2 tempos de 100 até 150cc e 4 tempos de 100cc até 250cc – Pilotos homens de 13 a 17 anos e mulheres de 13 até 25 anos)
1 – Hector de Freitas Assunção (Honda) São Paulo
2 – Gabriel Gentil (Rinaldi/Motoshop/TBT) Santa Catarina
3 – Gustavo Bonaventura (Honda/Pirelli/Mobil/ASW/Oakley) São Paulo
4 – Marcal Muller (Sobre Rodas/ASW/Ramarim) Rio Grande do Sul
5 – Gabriel Montenegro – São Paulo

65 CC (motos de 2 Tempos de 59cc até 65cc. Pilotos de 7 a 12 anos)
1 – Rodrigo Riffel (Lem Motor EMX/ASW/Tolokko) Santa Catarina
2 – Gustavo Pessoa -São Paulo
3 – Gustavo Alves Santos (Bil preparações/Minchev Modas) Goiás
4 – Wilgner Francisco – São Paulo
5 – Kioman de Jesus Navarro (Rinaldi/Tonin Bala/Governo do Estado de Goiás) Goiás

50 CC (motos de 2 tempos até 50cc, monomarcha, automática, aro 10 na traseira e até aro 12 na dianteira. Pilotos de 4 a 9 anos)
1 – Enzo Lazaro Lopes (Leomotos/Canaan Honda) Rio Grande do Sul
2 – Guilherme Torres – Sergipe
3 – Gabriel Gomes dos Santos (Chulin Motos/Sementes Vedovatti) Paraná
4 – Carlos Tavares Evangelista (Brasil Racing/Rx Graphics) São Paulo
5 – Pietro Grazik – Santa Catarina