Foto: Garcia lidera Mx-1 e 2

Brasileiro de Motocross tem etapa decisiva em Sorriso

Foto: Garcia lidera Mx-1 e 2

Foto: Garcia lidera Mx-1 e 2

Disputadas quatro etapas das oito previstas, o Campeonato Brasileiro de Motocross entra, no dia 11 de julho, em Sorriso, Mato Grosso, numa fase em que qualquer erro poderá ser fatal para as pretensões dos líderes das oito categorias da competição.

A briga pelo reconhecimento como o melhor piloto de motocross da temporada, assegurará, por esta razão, disputas emocionantes e cada vez mais técnica, principalmente por que na classificação geral de cada categoria, desponta pelo menos cinco pretendentes ao título brasileiro.

Nas categorias MX-1 (Motos 2 tempos de 100 a 250cc e 4 tempos de 175cc até 450cc) e MX-2 ( Motos 2 tempos de 100 até 150cc e 4 tempos de 175cc até 250cc), as principais do campeonato, a briga é muito acirrada pelo título. O goiano Wellington Garcia, piloto da equipe Honda/Mobil/Pirelli, lidera as duas classes com diferenças mínimas para os demais competidores.

Na 1, ele tem no seu encalço, o catarinense Joáo Paulino “Marronzinho” (Pró-Tork/Rinaldi/Motoshop) que na etapa de Foz do Iguaçú, em Santa Catarina, foi absoluto e conseguiu desbancar o favoritismo da equipe Honda. Sua vitória o colocou há três pontos de Garcia, que lidera a categoria com 83 pontos. Não tão distante dos ponteiros, aparece outro catarinense, Cristopher Castro, piloto da 2B Racing/Consórcio Realizar/MartPlus, com 69 pontos em terceiro; o mineiro Swian Zanoni, também da equipe Honda, está em quarto com 66.

Ainda na 1, não é recomendável menosprezar a força de Leandro Silva, que vinha de um desempenho superlativo na categoria, até ter se acidentado na etapa de Canoas – ele fraturou o pulso -, e interrompeu uma sequência de vitórias que tinha se iniciado em Indaiatuba, São Paulo; e foi mantida na segunda etapa, em Canelinha, Santa Catarina. Piloto Honda, ele é considerado como uma das gratas revelações do cross nacional e poderá provar esta sua força em Sorriso, quando retornará às pistas. Leandro está em quinto lugar com 66 pontos, 30 atrás do primeiro colocado.

Já na categoria MX-2, Garcia tem a concorrência direta do paranaense Jean Carlo Ramos, também piloto Honda. O primeiro colocado tem 95 pontos, contra 86, do segundo colocado. Na terceira posição aparece Swian Zanoni, com 80; seguido de Cristopher Castro, com 74 e Rafael Faria, com 66.

Este equilíbrio se verifica também na Mx-3 (Motos de 2 tempos de 70 até 105cc e 4 tempos de 75cc até 150cc – pilotos de 11 a 15 anos e mulheres até 17 anos). Cristiano Lopes (BM Motos/Honda), de São Paulo, lidera com 87 pontos, 17 à frente do segundo colocado Vagner Lachi (Freeway), do Rio Grande do Sul. A mineira Mariana Balbi, da equipe 2B Racing/Consórcio Realizar/Martplus, primeira mulher a vencer uma etapa do motocross nacional, esta em terceiro com 65. Alexandro Valerim Martins, com 64, é o quarto.

Assim como nas outras categorias, na MX Júnior (Moto dois tempos de 100 a 150cc e quatro tempos de 100 até 250cc – Homens de 13 a 17 anos e mulheres de 13 a 25 anos), a disputa pelo do título da temporada está indefinida e cinco pilotos tem chances reais de conquista. Gabriel Gentil (Motshop/Rinaldi), de Santa Catarina, lidera com 88 pontos. Em segundo lugar aparece Rodrigo Rodrigues (Honda/Mobil/Posto Max Center) de São Paulo, com 82. Gustavo Takahashi, também piloto Honda, está em terceiro, com 74. Já em quarto, aparece Hector Freitas Assunção, outro piloto Honda, com 71; Rodrigo Andrade,tem 70.

Destoando das outras classes, na CRF 230 cc (Motos 230 Honda) não se registra o mesmo equilíbrio das demais. Marcos Moraes, lidera com 96 pontos, 20 a mais que Nivaldo José Viana, que tem 76; seguido de Richard “piaba”Rezende, com 64.

A proporcionalidade retorna na 85 cc (Motos de 2 tempos de 70 até 105cc e 4 tempos de 75cc até 150cc – pilotos de 11 a 15 anos e mulheres até 17 anos). Thiago Formehl, pilotos Honda, lidera a competicão com 72 pontos e terá todo um conjunto de circunstâncias para manter esta hegemonia na categoria. Piloto natural de Sorriso, onde será disputado a próxima etapa, ele quer vencer em casa e retomar a boa fase. Ele não pontuou na etapa de Foz. Em segundo lugar se encontra o gaúcho Endrews Armstrong, com 69; seguido de Anderson Pereira, com 63; Eduardo Rudnick, com 57; Kaio César, com 54 e Everaldo Roderigues, com 52.

Na 65 cc (Motos 2 tempos de 59cc até 65 cc. Pilotos de 7 a 12 anos), Rodrigo Riffel (Lem/EMX/ASW), de Santa Catarina, lidera com 100, maior pontuação alcançada por um piloto nas oito categorias. Atrás dele está Wilgner Francisco, com 88. Enzo Lazaro, em terceiro, com 62, 38 pontos atrás do ponteiro. Enquanto isto, Enzo lidera a categoria 50 cc (Motos 2 tempos 50cc, monomarcha, automática, aro 10’na traseira e até aro 12”na dianteira. Pilotos de 4 a 9 anos). No segundo lugar, com 87 pontos, está Guilherme Torres e Gabriel Gomes dos Santos, em terceiro, com 82 pontos.

O Campeonato Brasileiro de Motocross tem o patrocínio da Honda e Mobil e supervisão da Confederação Brasileira de Motociclismo. Após Sorriso serão disputadas ainda etapas em Sonora, Mato Grosso do Sul, no dia 18 de julho; Espírito Santo, no dia 16 de agosto; e Nova Friburgo, Rio de Janeiro, no dia 30 de agosto.