motocross nacoes mx on

Brasileiros embarcam para o Motocross das Nações

Delegações (e demais amantes de Motocross) de todo o mundo estão desembarcando na pista de Maggiora, no norte da Itália, onde acontecerá o Motocross das Nações 2016, nos dias 24 e 25 de setembro. A equipe brasileira, formada pelas feras Jean Ramos, Fabio Santos e Ramyller Alves e chefiada Manuel “Cacau” Carlos Hermano, viajou neste sábado à Europa, onde competirá contra outros 37 países.

Motocross das Nações é uma das principais competições do segmento no mundo. Brasileiros já estão na Itália

Motocross das Nações é uma das principais competições do segmento no mundo. Brasileiros já estão na Itália

Esta será a 15ª participação do Brasil no MX das Nações – que acontece desde 1947 em formato de olimpíada, no qual uma equipe de pilotos disputa o troféu pelo seu país de origem. Os favoritos para a disputa de motocross em solo italiano são países da Europa e os Estados Unidos, maiores vencedores da história da competição. Por isso,  o primeiro desafio para a seleção brasileira é se colocar entre os 20 finalistas que disputam as principais corridas no domingo, 25.

Delegação Brasileira no Motocross das Nações (MXoN)

Jean Ramos: líder do Arena Cross e vice do Brasileiro de Motocross Pro

Jean Ramos: líder do Arena Cross e vice do Brasileiro de Motocross Pro

Jean Ramos, 27 anos, o mais experiente do time, que inclusive já representou o Brasil no ano passado, acredita que “Temos chances de classificar para as finais. Estamos mais experientes e já tivemos essa experiência ano passado, então a adaptação será mais fácil. Acredito que com dois 14º lugares nas baterias classificatórias estamos dentro das finais”. Ele vai participar da categoria Open, e é o atual líder do Arena Cross Brasil na categoria Pró e vice-líder no campeonato brasileiro de motocross na MX1.

Fábio Santos vai encarar o desafio do MXoN sobre uma Yamaha YZ 450F, significativamente mais potente do que a 250cc com a qual participa das competições nacionais. “É mais forte e um pouco mais pesada que a 250, mas em dois ou três dias andando com ela, estou 100% adaptado. Espero fazer uma boa bateria na categoria para ajudar o Brasil a se classificar para a final”, destacou Fábio, de 19 anos, atual líder do Brasileiro de Motocross na categoria MX2.

Fábio Santos, atual líder no brasileiro MX2, correrá com uma 450cc

Fábio Santos, atual líder no brasileiro MX2, correrá com uma 450cc

Aos 18 anos, Ramyller Alves é o mais novo do grupo e já carregará nos ombros a responsabilidade de ajudar a seleção na missão de atingir seu melhor resultado na história do Motocross das Nações. “Estou muito animado por correr pelo Brasil no MXoN. Nem todo mundo tem essa chance. Significa muito estar presente nesta competição.  Estou treinando forte e espero me divertir na pista. Será uma grande experiência para a minha vida. Estaremos disputando contra os melhores dos melhores do mundo. Mal posso esperar pela primeira corrida”, destacou o piloto que compete nos Estados Unidos desde criança e atualmente vive o processo de transferência dos campeonatos amadores para os profissionais.

Ramyller Alves  é o mais novo do time, com 18 anos

Ramyller Alves é o mais novo do time, com 18 anos

Formato do Motocross das Nações

No sábado, 24, cada piloto participa de uma corrida na sua categoria – MXGP, MX2 ou Open. A soma dos resultados classifica 18 países (mais os donos da casa) direto para as finais de domingo. As demais nações disputam uma corrida de repescagem, no domingo pela manhã, para definirem o último finalista. Já no domingo, 20 países competem em três corridas. Cada bateria reúne dois pilotos de cada país e, ao final, os resultados são somados. O país que tiver os pilotos com os melhores desempenhos será considerado campeão.

Separador_motos



Jornalista gaúcho convicto de que um passeio de moto em um dia de sol é a cura para praticamente todos os males da vida. Fã de motoaventurismo, competições de moto, café, praia e de rock n roll.