Suzuki Burgman AN125

Cai num buraco com minha Burgman e…

A minha Burgman caiu num buraco e...

A minha Burgman caiu num buraco e...

Preciso da orientação de vocês em dois aspectos: 1º) Caí em um buraco pilotando uma Burgman AN125 Ano: 2009 e no momento do impacto fez um barulho estranho tipo: “Che..Che..Che..Che…” e após isso o click (pedal de partida) desceu totalmente e não mais voltou, a moto não quis mais pegar mesmo tirando o pedal de partida. Na oficina o mecânico colocou o pedal e viu que a moto estava travada e conforme o mesmo poderia ser que uma engrenagem tivesse montado em outra ou coisa parecida. Porque isso acontece? Pode ser defeito de projeto? 2º) Os prejuízos advindos desse acidente quem deve arcar? A prefeitura? Se positivo como devo proceder? Para encerrar minha indignação com a Suzuki que em Recife não possui concessionária. A mais próxima fica em Olinda (F1 Multimarcas) e no Recife a mesma concessionária possui apenas um show room.

Abraços a todos e parabéns pelo site.

R. P.
Recife – PE.

Um problema rotineiramente encontrado nas Burgman AN125. Quando recebem um grande impacto na suspensão o pedal desce e pega no cavalete. Como o motor e a roda estão virando há um grande impacto nas engrenagens da partida que se quebram. Você vai ter que mandar abrir a caixa de engrenagens da partida e trocar os componentes defeituosos.
As peças você pode encomendar pelo correio de uma concessionária de uma grande cidade que possa lhe fazer a remessa. O seu mecânico de confiança local pode fazer o serviço de troca das peças sem problemas.

Bitenca

Sistema de pedal de partida da Burgman EN125

Sistema de pedal de partida da Burgman EN125

 

Ricardo

Em primeiro lugar, o prejuízo pode sim ser cobrado da prefeitura (entendendo que a via pública em que ocorreu o problema era municipal). Para isso, você deve tirar uma foto do buraco onde ocorreu o problema, fazer um boletim de ocorrência e juntar os valores e as peças mencionadas pelo seu mecânico. Você até pode primeiramente tentar administrativamente, através da própria prefeitura, o ressarcimento, em vista do valor. Contudo, normalmente, esta opção não tem surtido muito efeito. Infelizmente, se não conseguir através da prefeitura de maneira admistrativa, uma ação será necessária e, já aviso, esta não será muito célere. Procedimentos contra órgãos públicos tendem a demorar mais ainda que aqueles propostos contra particulares.

Quanto aos demais problemas apontados, faço as seguintes considerações: muito dificilmente você conseguirá provar um erro de projeto em um caso onde o “causador” do problema foi um acidente causado por um buraco na rua. Tal situação caracterizaria o tão famoso “mau uso”, o que inviabilizaria alguma ação contra a empresa. E, apenas para não fugir do tema, para comprovar um erro de projeto, você precisaria de vários casos onde aconteceram problemas idênticos e, posteriormente, seria necessária uma análise técnica por um perito (isso em nível judicial, ok?).

Por fim, quanto à falta de concessionária em determinado local, não há nada a ser feito. A não ser em casos específicos (onde conste de um contrato de Compra e Venda ou de Garantia que haverá por parte do fabricante ou distribuidor o transporte do veículo para a concessionária mais próxima), a responsabilidade é do comprador, que quando adquiriu o bem, sabia das condições para conserto do mesmo – ou seja, que não havia uma oficina na sua cidade de residência.

Qualquer outra dúvida, é só avisar.

Grande abraço

Marco Nunes – Consultor Jurídico Motonline

Obs.: Para facilitar a discussão sobre esse assunto, criamos um tópico no fórum para os motonliners. Clique aqui para acessar o tópico.