Foto: Peso-pesado da Equipe Petrobras Lubrax conquista melhor resultado

Caminhão brasileiro impressiona e é vice na etapa de hoje

Foto: Peso-pesado da Equipe Petrobras Lubrax conquista melhor resultado

Foto: Peso-pesado da Equipe Petrobras Lubrax conquista melhor resultado

Segundo a organização do Rally Dakar 2009, a etapa desta segunda-feira seria marcada por um dos dias mais difíceis desta edição da prova, que tem seu término previsto para o sábado (17). “Foi uma etapa bem dura. Nos primeiros 250 quilômetros o trecho era bem travado e com um piso bem liso, inclusive teve caminhão que até tombou. Depois víamos que os veículos paravam com furos nos pneus, o que não aconteceu com a gente. Já na área de dunas percebi que eram bem diferentes das do Deserto do Saara, mas que estas também possuem suas próprias armadilhas”, contou o piloto do caminhão André Azevedo, que possui 20 participações no Dakar. O caminhão da Equipe Petrobras Lubrax conquistou a vice-liderança na etapa de hoje e com isso subiu para a quarta posição na classificação geral acumulada.

Corrida de recuperação – Como ontem (11) o carro da Equipe Petrobras Lubrax enfrentou sérios problemas mecânicos durante o trecho cronometrado, tendo que ser levado direto até o acampamento – sem finalizar a especial – ele acabou largando hoje na 107ª posição. Mas ao final da etapa conquistou o 20º melhor tempo, realizando uma excelente corrida de recuperação.

“Estávamos indo bem e no km 100 do trecho cronometrado ultrapassamos uns 50 carros. Foi então que quebrou o freio traseiro e ficamos 40 minutos consertando. Depois seguimos para uma corrida de recuperação, tendo novamente o trabalho de passar os veículos. Foi bem cansativo, ainda mais porque estávamos atrás dos outros carros e os terrenos ficavam piores do que realmente já eram”, explicou o piloto Jean Azevedo no final da tarde desta segunda-feira (12).

Mas Jean também concordou que o resultado de hoje foi além do esperado. “Ter largado tão mal e atingir este resultado não deixa de ser motivo de comemoração, já que superamos tantos obstáculos desde ontem”, ressaltou.

Rodolpho Mattheis, piloto de moto da Equipe Petrobras Lubrax, continua na 2ª posição na categoria Motos Marathons até 450cc. “Hoje foi uma das etapas mais duras da minha vida e exigiu bastante da parte física. Estou com muita dor na mão por conta de ter percorrido trechos com a moto cheios de pedra. E sei que amanhã o dia será ainda mais difícil”, afirmou o piloto.

Resultados do Rally Dakar 2009
Caminhões
Nona etapa (12.01.2009)
1º Chagin/Savostin/Nikolaev (Kamaz) – 7h02min34s;
2º André Azevedo/Maykel Justo/Mira Martinec (Tatra) – 7h27min31s;
Chagin/Savostin/Nikolaev (Kamaz) – 2h49min15s;
3º Kabirov/Belyaev/Mokeev (Kamaz) – 7h36min04s;

Geral
1º Chagin/Savostin/Nikolaev (Kamaz) – 34h46min57s
2º Kabirov/Belyaev/Mokeev (Kamaz) – 35h16min47s;
3º De Rooy/Colsoul/Van Melis (Ginaf) – 35h35min32s;
6º André Azevedo/Maykel Justo/Mira Martinec (Tatra) – 40h51min46s.

Carros
Nona etapa (12.01.2009)
1º Sainz/Perin (Volkswagen) – 5h56min08s;
2º Miller/Pitchford (Volkswagen) – 5h57min55s;
3º Gordon/Grider (Hummer) – 5h58min24s;
20º Jean Azevedo/Youssef Haddad (Mitsubishi) – 7h31min44s.

Geral
1º Sainz/Perin (Volkswagen) -33h26min07s;
2º Miller/Pitchford (Volkswagen) – 33h45min59s;
3º De Villiers/Von Zitzewitz (Volkswagen) – 33h49min05s;
35º Jean Azevedo/Youssef Haddad (Mitsubishi).

Motos
Nona etapa (12.01.2009)
1º Verhoeven (KTM) – 6h26min33s;
2º David Fretigné (Yamaha) – 6h29min42s;
3º Francisco Lopez (KTM) – 6h30min13s;
44º Rodolpho Mattheis (KTM) – 8h03min47s (2º na categoria Marathon até 450cc)

Geral
1º Marc Coma (KTM) – 37h04min47s;
2º David Fretigné (Yamaha) – 38h09min25s;
3º Cyril Despres (KTM) – 38h39min25s;
39º Rodolpho Mattheis (KTM) – 46h56min11s (2º na categoria Marathon até 450cc)

Etapa 10 – Copiapo/Copiapo (Chile)
Terça-feira, 13 de janeiro de 2009
Deslocamento: 20 km
Especial: 666 km
Total do dia: 686 km

A maior e mais difícil especial do Rally Dakar 2009. Como o dia anterior, os competidores enfrentarão uma série de dunas. As dunas chilenas são verdadeiras montanhas de areia e os pilotos deverão aprender a subir e descer por mais de um quilômetro. Outra dificuldade: o forte calor.