Competição é disputada dentro de estádios em pista construída com obstáculos artificiais

Capacete com selo do Inmetro não é aceito em competição da FIM

“Pode isso Arnaldo”? Se estivéssemos falando de futebol, esse bordão repetido pelo narrador Galvão Bueno ao comentarista Arnaldo Cesar Coelho toda vez que há uma dúvida no jogo serviria perfeitamente ao título deste editorial. Como o assunto do MOTONLINE não é futebol, pedimos licença ao narrador para usar seu bordão – não no título – para tratar de tema do nosso interesse: motociclismo.

Competição é disputada dentro de estádios em pista construída com obstáculos artificiais

Competição é disputada dentro de estádios em pista construída com obstáculos artificiais

Ocorre que na prova do Mundial de Superenduro que vai acontecer aqui no Brasil (Belo Horizonte) no dia 18 de janeiro, sábado, há uma cláusula no regulamento (FIM – Federação Internacional de Motociclismo) que diz:

“Capacete

Os capacetes aceitos serão de acordo com a FIM os que possuam certificação com as marcas abaixo. NÃO serão aceitos capacetes nacionais com selo do InMetro:

• Europe 22-05, ´P´, ´NP´, ´J´

• Japan JIS T8133:2007

• USA SNELL M 2010″

O assunto foi comentado no site “Turma do Mau” (http://www.turmadomau.com.br/) e não é novo para pilotos brasileiros que disputam provas FIM internacionais, como Rally dos Sertões, Rally Dakar e agora este Mundial de Superenduro. Mas claro, continua causando indignação. Importante lembrar e destacar que a prova terá a bateria “Categoria Nacional” para os pilotos brasileiros. Mas a indignação não é pelo regulamento exigir capacetes com selo “x” ou “y”. Como postou no TDM um participante daquele grupo de discussão:

Como pode os pilotos brasileiros terem que arrumar capacete com liberação de fora, pois o nosso Inmetro não tem valor e os capacetes com liberação só do Inmetro não poderão ser usados?” Ou seja, uma prova realizada no Brasil, o selo do Inmetro não tem valor!

Aí Motonline pergunta: Pode isso???

No mesmo sentido, um piloto estrangeiro (de moto) que queira participar de uma prova do calendário nacional de qualquer modalidade com um capacete da melhor marca e reconhecida qualidade, mas sem o selo do Inmetro, deve ser proibido de participar? “Vá comprar um capacete com selo do Inmetro se não não entra na pista” vai dizer o fiscal!

Essa discussão não é nova e parece não ter fim, mas sempre é bom trazê-la só para não deixar o assunto esfriar.