untitled

Carta aberta aos motociclistas

A nossa vida de motociclista tem todos os ingredientes necessários pra encantar qualquer ouvinte ou leitor, seja do nosso meio ou não. Se encontrarmos as palavras certas pra contar esta história, podemos escrever textos que seduzem até os mais céticos, a exemplo de tantos que já foram escritos por entre curvas e motocicletas neste mundo afora.

Se colocarmos estes textos em algumas das nossas imagens, geramos trilhas quase cinematográficas, por entre estradas, campos, viagens, comboios e eventos com amigos de fé e destino, criando um agente que gera boas sensações com muito mais alto poder de sedução. Um sonho pra qualquer aventureiro, pra qualquer explorador e pra todo rider.
Nestes momentos o nosso mundo em duas rodas é poético, inabalável e eterno.

A construção destes textos e trilhas com estes cenários, é muito mais prazerosa e inspiradora que fazê-los sobre outros fatos à cerca da nossa vida como motociclistas. A realidade no dia-a-dia é mais dura e fria do que somente as nossas boas experiências em estradas, campos, viagens, comboios e eventos com amigos de fé e destino. Vivendo este dia-a-dia, estamos assustados com a quantidade de acidentes de motocicleta envolvendo motociclistas integrantes de motoclubes e motogrupos, onde muitos deles são irmãos conhecidos e experientes e que, lamentavelmente em alguns casos, os acidentes foram fatais pra eles.

Mesmo considerando o momento atual de forte participação de motociclistas nas redes sociais, fazendo toda notícia fluir em tempo real e com grande abrangência, é evidente o aumento da quantidade de acidentes fatais de motociclistas. Buscando evidências pra encontrar respostas que possam sustentar este fato, encontramos alguns dados interessantes de serem analisados.

A frase “acidente de motocicleta” pesquisada no Google apresenta 2.450.000 resultados e a frase “acidente de automóvel” apresenta 3.180.000 resultados. Ou seja, os acidentes de automóveis aparecem cerca de 30% a mais que os acidentes de motocicletas. O último dado da frota de motocicleta no Brasil (DENATRAN em março de 2011) era de 14.320.591 unidades e a de automóvel na mesma fonte e data era de 37.795.329 unidades. Ou seja, a frota de automóveis é aproximadamente 160% maior que a frota de motocicleta.

Mesmo com todas as ponderações, é no mínimo alarmante termos 160% de automóveis a mais do que motocicletas no Brasil com as evidências na pesquisa de acidentes de carros em relação as motocicletas serem apenas 30% maior.
Outro dado que certamente é uma evidência que contribui para encontrar respostas, é que existia no Brasil em 2001 uma frota de 21.235.968 de automóveis e 4.025.483 de motocicletas, ou seja, a frota de motocicleta equivalia a cerca de 16% da frota de automóveis. Em março de 2011 a frota de automóveis era de 37.795.329 unidades e de motocicleta era de 14.320.591, ou seja, em 10 anos a frota de motocicleta passou a equivaler a cerca de 38% da frota de automóveis.

Em 10 anos ocorreu um crescimento de cerca de 140% na relação de quantidade entre motocicletas e automóveis.
Estas são apenas algumas evidências. Somemos à elas o fato de que a malha rodoviária brasileira (federal + estadual + municipal), neste período, praticamente estagnou em termos de crescimento. E em qualidade, muito pouco foi investido para sua melhoria. Basta verificar pelos dados do próprio Ministério do Transporte, da Agência Nacional de Transporte Terrestre, que em 2004 apenas 12% de toda a malha rodoviária do Brasil era pavimentada (196.095 km). Isto mesmo, não estamos nem avaliando se estes 196.095 km estavam bem ou mal pavimentados. O último dado da Agência, de 2008, indica um progresso muito tímido, pois a malha rodoviária pavimentada passou para os modestos 218.640 km.

Existem muitas outras evidências que corroboram pra que tenhamos as piores condições pra trafegarmos com as nossas motocicletas por este Brasilzão de deixar qualquer brasileiro consciente enojado com tanto descaso e corrupção. Realmente, vale o canto de nossos encontros em tantos cantos: que país é este? A resposta está na ponta da língua. Mesmo cantando e desabafando com esta resposta, vamos fazer a nossa parte, e se der, a de todos que não a fazem.

Abraços e boas estradas!
Reinaldo Brosler – VP Águias do Vale MC

Obs.: Para facilitar a discussão sobre esse assunto, criamos um tópico no fórum para os motonliners. Clique aqui para acessar o tópico.