catalisador-para-motos

Catalisador interfere no consumo e no desempenho da moto?

Desde que a indústria de motocicletas adotou normas internacionais para fabricação de motores que emitissem gradualmente menos gazes poluentes na atmosfera (PROMOT, Programa de Controle de Poluição do Ar por Motocicletas – 2003), o catalisador passou a ser um item obrigatório em quase todas as motocicletas.

A exemplo do PROCONVE (Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores), que já vigorava desde 1989, o PROMOT fez com que a industria trabalhasse forte para que os níveis de poluentes emitidos pela queima de combustível nos motores das motocicletas fosse cada vez menor, estando ambos hoje nos mesmos níveis.

catalisador

Hoje é impensável acreditar que seja possível fabricar um motor de moto dentro das normas PROMOT sem algum catalisador para reter os gazes poluentes resultantes da queima de combustível fóssil. Chamamos de catalisador esse filtro, mas seu nome técnico é Conversor Catalítico. O verbo catalisar significa estimular ou acelerar uma reação e é exatamente isso que faz esse dispositivo antipoluente acoplado ao escapamento

Ao passarem pelo catalisador, os gases emitidos pela queima da gasolina – os venenosos monóxido de carbono (CO), hidrocarboneto (HC) e óxidos de nitrogênio (NOx) – são filtrados por uma estrutura em forma de colméia que consiste em uma peça formada por um núcleo metálico que, em contato com os gases de exaustão do veículo, promovem reações químicas, transformando poluentes – monóxido de carbono (CO), hidrocarbonetos (HC) e óxidos de nitrogênio (NOx) – em gases inofensivos e vapor de água. Esse processo químico é conhecido como catálise, daí o nome catalisador ou conversor catalítico.conversor-catalitico

A BASF inventou o catalisador de três vias, importante inovação no segmento, responsável por reduzir mais de 90% dos poluentes produzidos pelos motores a combustão. Atualmente, na América do Sul, a empresa é responsável por fornecer catalisadores para a indústria OEM (mercado de reposição) e para fabricantes de motocicletas, com tecnologias exclusivas que se encaixam às motocicletas, de modo a não interferir no design.

Mas uma das maiores preocupações da indústria é fazer com que o catalisador não interfira no funcionamento da moto. É evidente que um componente a mais no sistema retendo a passagem dos gazes resultantes da queima interferem no desempenho das motos. Mas há muitos mitos sobre isso, criando inclusive mais confusão do que esclarecendo o assunto.

Por isso a BASF, através de Vladimir Ferrari, gerente de desenvolvimento técnico de Catalisadores de Emissões Móveis, nos ajuda a solucionar dois desse mitos. Vale lembrar, no entanto, que o catalisador ruim ou com sua vida útil esgotada pode sim interferir no funcionamento do motor. Portanto, tudo o que se disser sobre isso sempre deve levar em consideração a manutenção preventiva da moto para que nada interfira no seu desempenho do motor tampouco no consumo de combustível.

Catalisador aumenta o consumo: mito

“O catalisador em perfeito funcionamento não interfere no gasto de gasolina ou etanol da motocicleta. O que pode ocorrer é o consumo de combustível do veículo aumentar se a manutenção preventiva da moto não for feita de acordo com as instruções do manual do fabricante, o que não está relacionado ao uso do catalisador.”

Catalisador interfere no desempenho: mito

“O catalisador é uma peça de passagem de gás, ele não é um filtro que teria uma barreira. Na realidade, ele tem uma passagem livre. Ele não gera perda de pressão e, portanto, não interfere na potência da motocicleta.”

Separador_pecas



Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.