imagem_release_726424

Cenário positivo estimula setor de motos e motopeças

Apesar da queda dramática de mais de 26% nas vendas de motocicletas este ano no Brasil em relação ao mesmo período de 2015, há sinais otimistas que apontam que o segundo semestre poderá mostrar alguma recuperação. E esses sinais são dados também pela indústria de motopeças, que reflete necessariamente os números do mercado de motos.

Como o 6º maior produtor de motocicletas do mundo, o Brasil tem um enorme parque industrial que abastece esta indústria e também o mercado de reposição e de acessórios. Circulando pelas ruas e estradas do Brasil são quase 24 milhões de motocicletas que precisam de todo tipo de peça, equipamento e acessórios também para o motociclista. E este mercado poderá ser visto a partir de amanhã (17/8) até sábado (20/8), em São Paulo, no IX Salão Nacional e Internacional das Motopeças.

Conforme informação da Anfamoto (Associação Nacional dos Fabricantes e Atacadistas de Motopeças), uma das circunstâncias que favorecem a retomada do mercado para o setor surgiu em julho, com a mudança no PPB (Processo Produtivo Básico) para partes e peças de ciclomotores, motonetas, motocicletas, triciclos e quadriciclos fabricados no PIM (Polo Industrial de Manaus (AM). Foram aprovadas mudanças que atualizam e ampliam a produção de componentes e devem gerar mais investimentos e empregos ao setor. Os PPBs são etapas obrigatórias da produção para as empresas receberem incentivos fiscais.

Orlando Leone sorri, otimista com o futuro do nosso mercado de peças e motocicletas

Orlando Leone sorri, otimista com o futuro do nosso mercado de peças e motocicletas

Apesar de parecer antagônico, já que esta alteração agrega mais valor (custo?!?!) ao processo de fabricação regional e nacional com o aumento do nível de exigências nas etapas de industrialização de peças, como fundição, estampagem e usinagem, a Anfamoto enxerga tal medida como positiva para o setor pois exige novos investimentos e gera mais empregos. Hoje, no total, as fabricantes já geram aproximadamente 16 mil empregos diretos no Polo Industrial de Manaus. Esse movimento da indústria de peças segue o mesmo caminho pelo qual as montadoras instaladas no PIM protagonizaram nos últimos doze meses, com investimentos equilibrados e constantes em novos produtos, segurança e inovações tecnológicas.

Outro aspecto positivo que acena para o setor é a renovação do acordo automotivo com a Argentina até 2020, o que representa alta nas vendas para o mercado argentino, que também se recupera. No cenário doméstico, a perspectiva é que a situação se normalize. “O cenário político e macroeconômico no Brasil dá sinais de estabilidade e caminha para reorganização da economia, o que é bom para indústria, comércio e serviços”, explica Orlando Leone, presidente da Anfamoto, que organiza o Salão das Motopeças.

imagem_release_726549

Expectativa é de que a qualidade dos visitantes seja boa com foi na última edição do evento, em 2014

A previsão de mais alguns lançamentos de novas motos no segundo semestre também favorece o setor, inclusive com novas motos em segmentos premium. É com este otimismo que a Anfamoto realiza a partir de amanhã o IX Salão Nacional e Internacional das Motopeças. Conhecido como Salão das Motopeças, é a maior feira do segmento e reúne as principais empresas do setor além de ser o ambiente adequado para a realização de negócios com quem entende de motopeças e acessórios. São mais de 200 marcas representadas por mais de 100 expositores, que apresentarão seus lançamentos, novidades e tendências de mercado no Expo Center Norte – Pavilhão Amarelo, em São Paulo – SP.

Pneus, um dos maiores sub-segmentos de componentes dentro do mercado brasileiro

Pneus, um dos maiores sub-segmentos de componentes dentro do mercado brasileiro

É o caso, por exemplo, da Borilli Pneus, que atua há apenas dois anos no segmento de motocicletas, com pneus off road para motos, tornando-se a primeira empresa no País que fabrica exclusivamente pneus off Road. A Borilli entende que o Brasil passa por um momento de transição e acredita no potencial do mercado já a partir de 2017. Também acreditando na força do mercado brasileiro, empresas do exterior confirmaram presença. Pela primeira vez no Salão das Motopeças estará a Empaquetaduras Darrow, empresa número um da Colômbia em juntas para motocicletas, com mais de 35 anos de mercado. Durante o evento, a empresa irá anunciar e dar mais detalhes da sua parceria com a Interface Performance Materials, fornecedor mundial de material OEM dos Estados Unidos.

A Anfamoto informa que os visitantes deste ano devem ter um perfil bem semelhante ao da última edição, que aconteceu em 2014, que ficou concentrado na região Sudeste (76,86%), seguido de da região Nordeste (9,49%), Sul (8,43%), Centro-Oeste (2,61%) e Norte (2,53%). Outros números de destaque do evento referem-se aos visitantes internacionais: 54,29% vieram da América do Sul, 28,57% da Ásia, 14,29% da América do Norte e 2,86% da Europa.

Sobre a ANFAMOTO

A Associação Nacional dos Fabricantes e Atacadistas de Motopeças foi fundada em setembro de 1980. Sua missão é promover o aumento da competitividade, zelar e defender os interesses da classe, e de seus mais de 300 associados em busca do reconhecimento, e do respeito como instituição que promove o desenvolvimento sustentável das indústrias e empresas instaladas no Brasil.

Serviço

  • IX Salão Nacional e Internacional das Motopeças – Salão das Motopeças
  • De 17 a 20 de agosto de 2016 (quarta, quinta, sexta-feira e sábado)
  • Expo Center Norte – Pavilhão Amarelo – Av. Otto Baumgart, 1000 – SP
  • Das 15:00 às 21:30 – 4ª à 6ª-feira / das 15:00 às 20:30 no sábadoSeparador_pecas


Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.