Centro Educacional de Trânsito Honda: 10 anos investindo em pilotagem com segurança (II)

Treinamento exemplar – Diariamente, o CETH realiza trabalhos para a Forma‡Æo de Instrutores -B sicos de Pilotagem On e Off-road, palestras educativas, test-drives e atividades itinerantes por todo o Pa¡s. Todas essas atividades sÆo ministradas para frotistas, empresas privadas e ¢rgÆos p£blicos, como o Corpo de Bombeiros e Pol¡cia Militar. O espa‡o tamb‚m ‚ utilizado para os consumidores que usam o ve¡culo de duas rodas no dia-a-dia.

Os ensinamentos te¢ricos vÆo desde dicas de como checar todos os equipamentos da motocicleta at‚ as regras de seguran‡a, equipamentos de prote‡Æo, postura adequada e no‡äes t‚cnicas. J  nas instru‡äes pr ticas, os participantes recebem orienta‡äes sobre frenagem, desvios de dire‡Æo, procedimentos em curvas, comportamento em situa‡äes de risco, entre outros.

Todas as pessoas praticam as aulas em motos do pr¢prio CETH, al‚m de serem acompanhadas por uma equipe de instrutores altamente capacitados. A carga hor ria, dependendo do curso, pode variar de 8 a 32 horas.

Al‚m disso, para transmitir todos esses conceitos ao p£blico final, a Honda desenvolve um programa de forma‡Æo de instrutores da Rede de Concession rias. Esses profissionais multiplicam os conhecimentos adquiridos aos motociclistas de sua regiÆo por meio de a‡äes gratuitas e diferenciadas, que incluem teoria e pr tica da pilotagem defensiva.

Conscientiza‡Æo al‚m das fronteiras – O trabalho do CETH brasileiro tamb‚m se destacou na Am‚rica Latina. Integrantes da Honda no Chile, Venezuela, Costa Rica, Argentina, M‚xico, Peru e Col“mbia participaram de cursos no Brasil com a finalidade de assimilar t‚cnicas e conhecimentos para aplic -las em seus pa¡ses.

A Honda Peru, por sua vez, iniciou em junho de 2003 a implanta‡Æo de seu pr¢prio centro de pilotagem, inspirado na unidade do interior de SÆo Paulo. J  no caso do M‚xico, a empresa elaborou toda uma estrat‚gia e, a partir dos conceitos de “acesso”, “benef¡cio” e “confian‡a”, foram criados programas de forma‡Æo de instrutores, a‡äes voltadas …s crian‡as, al‚m do apoio a competi‡äes em duas rodas.

Unidade em Recife – Seguindo os mesmos moldes de Indaiatuba, a Honda inaugurou, em novembro de 2006, o CETH – unidade Recife (PE). A missÆo ‚ aproximar o p£blico regional das principais no‡äes de seguran‡a no trƒnsito.

Com rela‡Æo … infra-estrutura, o CETH de Recife conta com trˆs  reas: a primeira de 700 m2 , direcionada, entre outras fun‡äes, para a realiza‡Æo de aulas te¢ricas, e um outro terreno, com 20 mil m2 destinado … pista pavimentada para a aplica‡Æo da parte pr tica do curso. Na maior, com 90 mil m2, fica uma pista de terra, reservada … pr tica de pilotagem em vias nÆo pavimentadas, trilhas e motocross.

Compromisso com a sociedade desde o in¡cio – A Honda segue a filosofia de nÆo s¢ oferecer produtos de qualidade, mas tamb‚m garantir aos seus usu rios condi‡äes para usufru¡-los com seguran‡a. Assim, antes mesmo de instalar-se como fabricante no Brasil, a empresa j  desenvolvia atividades de pilotagem.

Em 1969, quando a Honda iniciou a importa‡Æo de motocicletas do JapÆo para o Brasil, foram implantados os primeiros programas educativos. Inicialmente, eram destinados aos policiais, ¢rgÆos p£blicos e frotistas. A partir de 1974, os treinamentos foram intensificados e atingiram todo o Pa¡s. Ministrados em locais p£blicos, os cursos de pilotagem atra¡ram milhares de pessoas, que assistiam a proje‡äes audiovisuais e participavam de demonstra‡äes pr ticas dos instrutores do Centro de Pilotagem Honda.

Entre 1974 e 1976, ocorreu um crescimento no mercado de duas rodas com a entrada de modelos nacionais, gra‡as … constru‡Æo da f brica de Manaus (AM). Os esfor‡os da empresa na educa‡Æo no trƒnsito cresceram proporcionalmente com a inaugura‡Æo do Departamento de Pilotagem e Cursos Volantes nas principais cidades do Brasil. Quatro anos depois, em 1978, surgiu o primeiro Centro de Pilotagem, em SÆo Paulo, e posteriormente no Rio de Janeiro. Mais tarde, a empresa montou o Parque Honda que, al‚m de possuir uma pista asfaltada, contava com uma outra para a pr tica off-road. No £ltimo ano da d‚cada de setenta, o Centro de Pilotagem j  havia formado instrutores em todas suas concession rias.

Os anos 80 foram marcados por uma Rede de Concession rias engajada nos programas de pilotagem com seguran‡a. Na ‚poca, treze delas j  tinham pistas pr¢prias para o desenvolvimento de a‡äes, al‚m da Honda manter um “nibus especialmente equipado para o treinamento volante em todo o territ¢rio nacional.

Ao completar 20 anos de atividade no Brasil, em 1989, o Centro de Pilotagem Honda lan‡ou o programa “Pilote Numa Boa”. Composto por um auto-teste e uma s‚rie de materiais de apoio, como manuais e v¡deos, a atividade in‚dita foi aplicada nas concession rias da marca para os motociclistas interessados. O programa despertou o interesse no aprimoramento das t‚cnicas de pilotagem e colaborou no aumento da seguran‡a no trƒnsito do Pa¡s. O sucesso foi tanto que, em 1990, foi lan‡ada a segunda fase com perguntas mais abrangentes e t‚cnicas.

A empresa nÆo parou por a¡ e resolveu atingir ainda o p£blico infantil, em maio de 1992. Partindo do princ¡pio de que entre quatro e oito anos de idade a crian‡a adquire os principais valores de conduta adulta, a Moto Honda da Amaz“nia lan‡ou o “Clubinho Honda – Trƒnsito Amigo”. A a‡Æo ocorreu em conjunto com ¢rgÆo de trƒnsito e escola e foram transmitidos conceitos b sicos sobre seguran‡a, al‚m de no‡äes como respeito e cidadania. Todo o material did tico tinha como personagem principal o Zupp – um bonequinho em forma de capacete. A fase inicial de implanta‡Æo chegou a atingir 226 escolas de todo o Brasil e 56.000 crian‡as. E durante todo o ano de 1993, atendeu 1.238 institui‡äes, totalizando mais de 350 mil crian‡as.