Yamaha-mt-07

Chegou a Yamaha MT-07

Na esteira do crescimento constante do segmento de motos premium e também de seu próprio sucesso em 2014, quando a marca de Iwata cresceu quase 9% no mercado brasileiro, a Yamaha aproveita a agitação pré-carnaval e apresenta a MT-07, uma naked que quer invadir o espaço hoje ocupado pela Honda CB 500F e que tem ainda a Kawasaki ER6-nBMW F 800R e Triumph Street Triple.

Estilo "streetfighter" não deixa dúvidas sobre a esportividade da MT-07

Estilo “streetfighter” não deixa dúvidas sobre a esportividade da MT-07

Apesar de seus dois cilindros no motor de 689 cc, não se engane. Esta moto tem capacidade de disputar (e ganhar) espaço de motos equipadas com motores de 4 cilindros também, como sua irmã XJ6-n e até da Honda CB 650F, além da outra nipônica Suzuki Gladius. A moto já está no Brasil e as primeiras unidades devem chegar às lojas em Abril ao preço público sugerido de R$26.990,00 na versão standard e R$28.490,00 na versão com freios ABS.


O estilo transgressor impõe agressividade com a imagem de grande peso na dianteira, onde se destaca o símbolo dos três diapasões. A MT-07 foi desenhada levando em conta um conceito de duas linhas, uma superior em que a motocicleta expressa a unidade entre piloto e máquina, e a inferior aludindo à beleza funcional do seu conjunto mecânico de máximo torque e força. Depois da MT-09 lançada no ano passado, essa vem aumentar as opções da marca para as “streetfighter”.

Imagem de moto transgressora, a MT-09 chega em abril às concessionárias

Imagem de moto transgressora, a MT-07 chega em abril às concessionárias

As cores disponíveis: branca, cinza e vermelha

As cores disponíveis: branca, cinza e vermelha

O motor da MT-07 tem dois cilindros e 689 cc com um nível de performance invejável e muita tecnologia para entregar bastante emoção na pilotagem. Ele tem duplo comando de válvulas no cabeçote (DOHC), quatro válvulas por cilindro e virabrequim Crossplane, que distribui as explosões em ângulo de 270°, melhoria que vem das motos Yamaha do MotoGP. Assim, os impulsos dos pistões resultantes das explosões ficam associados de forma a colaborar com as vibrações normais das peças móveis (pistões e bielas) e o resultado é mais potência e torque que pode ser aproveitado em uma ampla faixa de rotações.

O motor DOHC entrega 74,8 cv atingidos a 9.000 rpm e torque de 6,9 kgfm a 6.500 rpm

O motor DOHC entrega 74,8 cv atingidos a 9.000 rpm e torque de 6,9 kgfm a 6.500 rpm

As bielas são fabricadas pelo processo de sinterização e fraturadas em duas peças. Agrega-se o pó metálico que é colocado no forno e só depois de formadas, as bielas são fraturadas para formarem as duas metades do mancal principal. Assim há melhor conformação do circulo do mancal para o virabrequim que recebe melhor lubrificação. Por causa dessas e outras características do projeto desse motor, ele entrega 74,8 cv em 9.000 rpm e seu torque máximo é 6,9 kgf.m em 6.500 rpm.

Esse é um número muito bom se considerarmos a relação entre cilindrada e potência máxima e mostra boa eficiência, além de atingir  as metas de controle de emissões. A ampla faixa útil, de 6.500 a 9.000 rpm está destacada no tacômetro em gráfico de barras para facilitar a transição pelas seis marchas da transmissão. O peso total em ordem de marcha fica em 179 kg na versão standard e 182 kg na versão com ABS. O resultado destes números é que cada cavalo desse motor tem que carregar 2,43 kg, nada mau para uma moto dessa categoria.

Chassi em tubos de aço tem as paredes de espessura variável, conforme necessário para ter mais resistência e menor peso

Chassi em tubos de aço tem as paredes de espessura variável, conforme a necessidade da área; mais resistência e menor peso

Escapamento reduz e concentra massas para melhor dirigibilidade

Escapamento reduz e concentra massas para melhor dirigibilidade

Seu sistema de exaustão colabora bastante na performance do motor e centralização de massa, porque deixa a motocicleta compacta e leve, com seus dois tubos coletores, câmara e ponteira que emite um som agradável e instigante, também influenciado pelo virabrequim de 240°. Na caixa de ar, um sistema de borboleta a vácuo comandada pela ECU controla os ruídos emitidos por ela e melhora a curva de potência. O chassi em tubos de aço tem paredes de espessura variada, conforme a necessidade. O tanque de 14 litros é de chapa de aço mas tem uma cobertura de plástico que adiciona em estética e protege o tanque.

Mesas mais estreitas

Mesas mais estreitas e tubos de 35mm no garfo

As mesas que suportam as bengalas convencionais da suspensão dianteira são mais estreitas, de forma que os dois tubos da suspensão ficam mais próximos um do outro, deixando a direção da moto mais leve. Não há regulagem na suspensão dianteira que tem 130 mm de curso.

Balança assimetrica e freio traseiro de pinça simples de um pistão

Balança assimetrica e freio traseiro de pinça simples de um pistão

Na traseira há o sistema Monocross com link, que melhora a progressividade e oferece os mesmos 130 mm de curso que a dianteira. A posição do amortecedor ajustável é horizontal e tem 9 posições de ajuste na pré-carga da mola e com isso melhora também a concentração das massas ao redor do centro de gravidade. A balança é de aço com braços assimétricos de forma a dar espaço ao escapamento por baixo.

Painel de cristal líquido tem tacômetro em gráfico de barras e iluminação ajustável

Painel de cristal líquido tem tacômetro em gráfico de barras e iluminação ajustável

O painel da MT-07 é bastante completo. O display em LCD, iluminado por LEDs, é totalmente digital e conta com relógio, indicadores de marcha e combustível, conta giros em barras que indica além da rotação, a faixa de maior torque. Informa ainda odômetro total e parcial, consumo médio, consumo instantâneo, odômetro parcial de reserva de combustível, temperatura do liquido de arrefecimento, temperatura do ar de admissão e o indicador “Eco”, que mostra quando a motocicleta está consumindo de maneira eficiente o combustível considerando rotação do motor, ângulo de abertura da borboleta, velocidade da motocicleta e marcha engatada.

Farol tem refletor assimétrico para ficar mais compacto

Farol tem refletor assimétrico para ficar mais compacto

Freios dianteiros duplos de discos flutuamyes e pinças de quatro pistões

Freios dianteiros duplos de discos flutuantes e pinças de quatro pistões

O sistema de freios da MT-07, tanto na versão STD quando a ABS, conta com dois discos flutuantes de 282 mm e 4 pistões hidráulicos em cada pinça na roda dianteira e um disco de 245 mm na traseira com pinça de um pistão. O conjunto ótico da frente é bastante compacto e multi-refletor. Na traseira há lanterna em LED que expressa uma aparência elegante, leve e moderna. No guidão, o botão de partida é inovador e igual ao da MT-09. Os retrovisores são angulados e o sinalizador de farol alto é em formato de gatilho.

Um ponto importante para os consumidores da MT-07 é a possibilidade de obter um seguro com preço fixo. Reflexo de uma infeliz realidade brasileira para consumidores de motocicletas premium (principalmente), a Yamaha Corretora de Seguros, em parceria com a Seguradora Cardif, apresenta condições especiais para os motociclistas da MT-07 que, a partir do lançamento, podem contar com a cobertura de 12 meses contra roubo, furto e ainda assistência 24 horas. O valor deste “benefício” é R$3.000,00 (para os estados de São Paulo e Rio de Janeiro) e o limite de indenização do seguro corresponde a 80% da tabela FIPE e vem acompanhado da instalação de rastreador Ituran em todas as motos seguradas. A condição de pagamento pode ser à vista ou em 12 parcelas fixas no cartão de crédito.

Uma ampla gama de acessórios, assim como na MT-09 também está disponível para a MT-07, inclusive há alguns itens comuns para as duas. A nova coleção Lifestyle MT, inspirada no tema “Dark Side of Japan”, apresenta uma gama de vestuário ideal para os pilotos desta máquina, como as jaquetas MT-Techno, MT-Tattoo e as luvas MT, além da série casual street wear que inclui uma blusa com capuz, camiseta, bandana, chaveiros do emblema e da jaqueta MT, além de bonés e capas para smartphones, tudo caracterizado com o design MT-Tattoo.

 

Yamaha_MT_07_FichTec

 

Separador_2

 



Pioneiro no Motocross e no off-road com motocicletas no Brasil, fundou em 1985 o TCP (Trail Clube Paulista), que organizou a 1ª prova de enduro tipo FIM (Enduro da Mentira). Desbravou trilhas em torno da capital paulista enquanto testava motos para revistas especializadas. É editor técnico e consultor no Motonline.