Foto: Chofard foi para o ponto mais alto do pódio na sua volta na Superbike

Chofard confirma o favoritismo da pole e vence em Campo Grande

Foto: Chofard foi para o ponto mais alto do pódio na sua volta na Superbike

Foto: Chofard foi para o ponto mais alto do pódio na sua volta na Superbike

O frio e o mal tempo deram uma trégua no domingo e a terceira etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade superou as expectativas em Campo Grande/MS. Pierre Chofard (New Team) confirmou o bom rendimento dos treinos livres e classificatórios e faturou com folgas a prova da categoria Superbike.

Após permanecer três meses fora das pistas, Chofard voltou a correr em Campo Grande e mostra uma recuperação na forma ideal. “Dei uma pequena abertura no começo, fiquei observando as placas e vim até o final mantendo, sem querer forçar, já que essa é a primeira prova que corro depois de estar contundido. Se eu precisasse ainda tinha uma cartinha na manga”, analisou.

Na largada, Sarin Carlesso (Suzuki/ Santander/ Vip Car Renault) ficou no grid e caiu para as ultimas posições. Enquanto isso, Rodrigo de Benedictis (Transcap/Shefa/Exp. Jaguariuna) supreendeu ao pular da oitava posição para a liderança da prova na primeira curva, até ser ultrapassado pelo vencedor Chofard ainda na primeira volta.

As poucas brigas na prova ficaram restritas entre Luiz Cerciari (Cerciari Racing School/ Sundown) e Bruno Corano (Máxima/Suzuki) pela segunda colocação. Rodrigo de Benedictis manteve o ritmo inicial e brigou muito para segurar a quarta colocação com Alecsandre Brieda, o Doca (Bardahl/Levorin/Bieffe), que fechou o pódio em quinto.

Segundo colocado na prova, Cerciari completou pela primeira vez uma etapa em 2009 e ficou satisfeito com a segunda posição. “Consegui completar bem, meu equipamento deu uma desgastada prematura no freio, mas ainda assim deu para continuar virando num ritmo bom e terminar a corrida nessa posição”, ressaltou.

Com a terceira colocação na prova, Corano assume a ponta do campeonato com 64 pontos. José Luiz de Camargo Jr., o Cachorrão (J.Cachorrão Racing Team), que até Campo Grande estava empatado com o piloto da moto 34 na classificação, terminou apenas em nono, e agora tem 56.

Após o retorno de Chofard, a expectativa é de que outros pilotos voltem a encher o grid da principal categoria da Motovelocidade. “A gente fica sentindo aquele aperto do Gilson, do Cristiano, Barata, Colatrelli, vamos fazer um apelo para que eles voltem porque a gente sente falta da disputa, e a gente cria uma amizade muito grande em competição e quanto mais gente tiver para competir melhor”, finalizou.

Superbike Light, Superstock e 600cc – Na prova da Superbike Light, Alan Santos (Franco Bachot/ Grupo Oppnus/Motonil) levou mais uma prova e segue na liderança da categoria. Elder Machado (Selenia/Burger King/Promec) foi o segundo e João Ricardo Pereira (Selenia/RR Implantes) terminou em terceiro. Na Superstock, Elton Rodrigues venceu, seguido por Pablo Moyses (Selenia/Orto Dente/RS1).

O gaúcho Maico Teixeira (Autolub/Xitão Motos) (600Sporti) venceu novamente a prova geral das 600cc e segue absoluto na liderança da sua categoria. “A minha prova foi boa, o autódromo é excelente e só falta melhorar o asfalto, que vai ficar muito melhor após a reforma que estão programando. Vou continuar meu trabalho para vencer as próximas”, destacou Teixeira.

Carlos Cruz, o Kao (Motonil Motors/PDV Lub.) (600Sporti), e William Pontes, o Pamonha (Corsini Racing) (600Sport), protagonizaram uma boa briga e terminaram colados a prova de Campo Grande na segunda e na terceira colocações no geral. Pamonha venceu a prova da 600Sport e agora figura entre os favoritos ao título.

A quarta posição da prova ficou com Mauro Thomassini (Motom), que foi o segundo colocado da 600Sport e o quinto colocado no geral foi Octavio Pinto (sem patrocínio), também da 600Sport.

250cc e 125cc – A prova da 250cc aconteceu sob uma leve garoa e foi a prova mais disputada do dia. Ricieri Luvizzotto (Osseel) queimou a largada e foi penalizado em cinco segundos com stop and go. A briga pela ponta entre Danilo Lewis e Marciano Santin foi intensa e, trocaram de posições diversas vezes.

No final da prova, Santin venceu a terceira no ano e fica numa situação confortável no campeonato. “Os caras estão chegando e complicando mesmo. Começou a chover e tirei a mão, mas o Danilo não tirou, mas graças a Deus deu tudo certo”, disse. Durante a vistoria, o piloto Danilo Lewis (Corneta/Alemão Pneus/Move) foi desclassificado da prova por excesso de potência no motor.

Com a alteração no resultado Murilo Ribeiro (Protector/V-21/SME) subiu para a segunda colocação. O piloto da casa, João Victor Rodrigues (Anita/Demarchi/Ecomaquinas) foi para terceiro, Renan Alves (Corsini Racing) foi para quarto e, fechando o pódio, Ricieri Luvizotto, foi o quinto.

Na 125, o líder do campeonato, Rafael Portaluppi (Transporte Rodoluppi) não largou bem e perdeu a posição para Fabiano Vaz (Shark Motos/ Autolub Sport). Porém, a liderança de Vaz não durou muito e Portaluppi retomou a ponta, vencendo mais uma vez na prova da 125cc. Com isso o gaúcho dispara invicto na ponta da tabela e Fabiano terminou em segundo.

Os pilotos do Distrito Federal fecharam o pódio na 125cc. Patrick Matos (Cerciari Sundown Racing/Duble Car) foi penalizado em 20 segundos e mesmo assim terminou com a terceira colocação. Antônio Thyrso (AT&AT Museum) foi o quarto e Alberto Araújo (Podium Motos) o quinto.

A quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade acontece nos dias 22 e 23 de agosto no Autódromo Internacional Nelson Piquet em Brasília. O Campeonato tem o apoio de Pirelli, Servitec e Silmar. A prova de Campo Grande foi uma realização da Federação de Motociclismo de Mato Grosso do Sul. Supervisão Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM).

Resultados das provas
Superbike (SBK) – 18 voltas – 1000cc
1 (22) Pierre Chofard (New Team) – 27:05.338
2 (44) Luiz Carlos Cerciari (Cerciari Racing School/ Sundown) – 27:11.711
3 (34) Bruno Corano (Maxima/Suzuki) – 27:12.037
4 (13) Rodrigo de Benedictis (Transcap/Shefa/Exp. Jaguariuna) – 27:21.397
5 (90) Alecsandri Brieda (Bardahl/ Levorin/Bieffe) – 27:21.520

Superbike Light (SBKL) – 17 voltas – 1000cc
1 (78) Alan Santos (Franco Bachot/Grupo Oppinus/Motonil) – 27:05.261
2 (800) Elder Machado (Selenia/Burger King/Promec) – 27:44.743
3 (336) João Ricardo Pereira (Selenia/RR Implantes) – 28:25.571
4 (600) Alessandro Ferraz (Mac-Cor Pinturas/DVD.com Videolocadora) – 28:34.634
5 (53) Fabiano Cognolato (Maxima/Suzuki) (desclassificado)

Superstock (SST) – 18 voltas – 1000cc
1 (555) Elton Rodrigues (sem patrocínio) – 27:056.028
2 (77) Pablo Moyses (Selenia/Orto Dente/RS1) – 27:058.736

600Sporti – 18 voltas
1 (36) Maico Teixeira (Autolub/Xitão Motos) – 28:558.448
2 (98) Carlos Cruz “Kao” (Motonil Motors/PDV Lub.) – 29:03.584
3 (35) Paulo Cesar Defavari (Sportplus Racing/Motonil) – 30:12.092
4 (46) Marco Antonio Reis (Bannypel/CMS/Elastobor) – 30:13.166
5 (79) Atsushi Kozakai (sem patrocínio) – 30:27.422

600Sport – 18 voltas
1 (1) William Pontes “Pamonha” (Corsini Racing) – 29:03.859
2 (50) Mauro Thomassini (Motom) – 29:19.687
3 (8) Octavio Pinto (sem patrocínio) – 29:28.055
4 (35) Paulo Cesar Defavari (Sportplus Racing/Motonil) – 30:12.092
5 (99) Basilio Vivan (Genialflex Móveis) – 30:27.422

250cc – 15 voltas
1 (4) Marciano Santin (Rinaldi/Servitec/Data Mais) – 27:01.753
2 (52) Murilo Ribeiro (Protector/V-21/SME) – 27:01.952
3 (73) João Victor Batista (Anita/Demarchi/Ecomaquinas) – 27:04.612
4 (5) Renan Alves (Corsini Racing) – 27:23.106
5 (42) Ricieri Luvizotto (Ossel) – 27:46.233

125cc – 12 voltas
1 (49) Rafael Portaluppi (Transporte Rodoluppi) – 24:02.656
2 (9) Fabiano Vaz (Shark Motos/Autolub Sport) – 24:38.693
3 (12) Patrick Matos (Cerciari Racing School/Duble Car) – 26:21.601
4 (43) Antonio Thyrso (AT & AT Museum) – 25:16.282
5 (6) Alberto Araújo (Podium Motos) – 25:18.441

Estadual – CB500 – 15 voltas
1 (71) Aloísio Coutinho – 26:35.436
2 (25) Adriano Batista – 26:45.896
3 (19) Adilson Batista – 27:20.837
4 (73) Thiago Nogueira – 27:38.507
5 (299) Marcelo von Brauw – 27:55.326