Chofard vence mais uma e entra na briga pelo título

Chofard vence mais uma e entra na briga pelo título

Chofard vence mais uma e entra na briga pelo título

Num final de semana eletrizante, aconteceu nesse domingo a quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. No autódromo internacional de Brasília, pilotos de sete categorias entraram na pista e fizeram da prova uma das mais emocionantes de toda a temporada. Ao todo mais de 17 mil pessoas acompanharam as provas.

Na Superbike, Pierre Chofard (Stand Up/Pitico/Akrapovic) e Danilo Andric (Spiga Racing/Akrapovic) protagonizaram a melhor prova do ano. A diferença entre os dois foi inferior a meio segundo em mais da metade das 15 voltas. Andric tinha a vantagem da pole, mas Chofard assumiu a ponta no início da corrida e venceu de forma brilhante.

“O Andric estava mais rápido em algumas horas, e tive de jogar estrategicamente. Hora ele me passava, hora passava ele e a vitória veio para mim. Poderia ter ido para ele, mas o importante foi a grande briga que a gente teve. Agora é trabalhar, ver o que conseguimos ajeitar e ir para Guaporé (RS)”, declarou o vencedor.

A briga entre os pilotos foi constante desde a quinta volta. Entretanto, nas últimas quatro voltas, Andric buscou a ponta de todas as formas. Por quatro vezes os pilotos se alternaram na liderança, deixando a prova indefinida até os últimos metros. No fim da prova, Andric e Chofard comemoraram muito a conquista.

“Esperava essa briga, disputa legal e gostosa de correr e o público merece o espetáculo. Parabéns ao Pierre, que fez uma grande prova e acho que ele tem grandes chances de ser campeão. Fiz essa etapa aproveitando as minhas férias no exterior e desejo sorte a ele e que ele crave diversas disputas com outros pilotos”, destacou Andric.

Apesar de terminar a prova em segundo, o piloto da moto número 64 obteve um grande trunfo ao bater o próprio recorde no autódromo de Brasília. Nos treinos classificatórios do sábado, Andric registrou o tempo de 2:00.912, melhorando em quatro décimos de segundos a antiga marca, de 2:01.318, obtida na superpole do ano passado.

José Luiz de Camargo Jr, o Cachorrão (J.Cachorrão Racing Team), terminou a prova em terceiro e se aproximou do líder Bruno Corano (Maxima/Suzuki) na classificação do campeonato. O catarinense Sarin Carlesso (Suzuki/Santander/Vip Car Ranault) terminou na quarta colocação, seguido por Rodrigo de Benedictis (Transcap/Shefa/Exp. Jaguariuna), que mais uma vez foi ao pódio.

Recuperando-se de uma fratura na clavícula, o paulista Alan Santos (Grupo Oppnus/Franco Bachot) fez grande prova venceu a quarta prova seguida na categoria Superbike Light. Alessandro Ferraz (Mac-Cor Pinturas/Grupo Oppnus) terminou em segundo, seguido por Sérgio Morsa (Suzuki/Santander/Maxima). Na Superstock, Diego Preter (Cromo Speedy; Oxxy/Rural) levou mais uma e Pablo Moyses (Selenia/Orto Dente/RS1) terminou em segundo.

600Sport e 600Sporti

Líder do campeonato nas 600Sporti, o gaúcho Maico Teixeira (Autolub) não largou bem e caiu para a terceira colocação. O mineiro Atsushi Kozakai (sem patrocínio-600Sporti) queimou a largada e foi punido com o Stop and go. Mauro Thomassini (Motom/revista Trip), piloto da 600Sport, errou na segunda volta e caiu para a terceira colocação, dando a liderança para Maico, que venceu pela quarta vez no ano.

Ao final da prova, os três primeiros colocados foram da categoria 600Sporti. Piloto da casa, Norton Masera (Família Masera) fez boa prova e assumiu a segunda colocação numa bela ultrapassagem sobre o paulista Carlos Cruz, o Kao (Motonil Motors/Xereta Vital), o terceiro colocado.

Mauro Thomassini (Motom/Revista Trip) foi o vencedor na 600Sport ao conquistar a quarta colocação no geral. O mineiro Atsushi Kozakai fez grande prova de recuperação e terminou na quarta posição na 600Sporti, e em quinto no geral.

250cc

A briga na categoria foi uma das mais equilibradas do dia e, pela primeira vez no ano, um gaúcho não subiu no ponto mais alto do pódio. O paulista Murilo Ribeiro (Protector/V21/SME) não fez boa largada, mas recuperou a liderança ainda na primeira volta e venceu a prova. Líder do campeonato, o gaúcho Marciano Santin (Rinaldi/Servitec/Datamais) fez grande prova de recuperação e chegou na segunda colocação, deixando o campeonato bastante equilibrado.

O sul-matogrossense João Victor Batista (Anita/Demarchi/Ecomaquinas) terminou a prova em terceiro.Danilo Lewis (Alemão Pneus/Corneta/Threeheads), que largou na última colocação, também se recuperou e terminou a prova em quarto. O goiano Josué Ferreira Júnior (Califórnia Motopeças) completou a prova na quinta colocação. O brasiliense Luiz Paulo Corrêa (Nação) fez um bom começo de prova, mas um problema mecânico o retirou da prova.

125cc

Numa prova emocionante, o brasiliense Rangel Lopes (Podium), que iniciou na motovelocidade neste ano, quebrou a invencibilidade do gaúcho Rafael Portaluppi (Transporte Rodoluppi) no campeonato da125cc. Na segunda etapa, também realizada em Brasília, Rangel terminou a prova em terceiro e, neste domingo, venceu em casa e contagiou as arquibancadas.

Portaluppi continua na liderança do campeonato, com a segunda colocação na prova. Fabiano Vaz (Eron Express/Bannypel/Fabio Loko), também do Rio Grande do Sul, chegou em terceiro, seguido de perto pelo brasiliense Patrick Matos (Cerciari Racing School/Sundown). Antonio Thyrso (AT&AT Museum) completou o pódio da categoria, com a quinta colocação.

Encerrando a quarta etapa, o gingado da música baiana agita o circuito Nelson Piquet. A nona edição da Festa Trio traz quatro bandas para fazer um carnaval fora de época para os pilotos e para os brasilienses. A abertura do evento fica por conta da banda Negra Cor e, na sequencia se apresentam a cantora Claudia Leitte, as bandas Jammil e Uma Noites e Araketu.

A próxima etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade está programada para os dias 26 e 27 de setembro no Autódromo de Guaporé, RS. A quarta etapa teve o apoio de Pirelli, Servitec e Silmar. Realização: Federação de Motociclismo do Distrito Federal. Supervisão: Confederação Brasileira de Motociclismo.

Resultados das provas

SBK
1 (22) Pierre Chofard (Stand Up/Pitico/Akrapovic) – SP
2 (64) Danilo Andric (Spiga Racing/Akrapovic) – SP
3 (51) José Luiz de Camargo “Cachorrão” (J.Cachorrão Racing) – SP
4 (62) Sarin Carlesso (Suzuki/Santander/Vip Car Renault) – SC
5 (13) Rodrigo de Benedictis (Transcap/Shefa/Exp.Jaguariuna) – SP

SBKL
1 (78) Alan Santos (Grupo Oppnus/Franco Bachot) – SP
2 (600) Alessandro Ferraz (Mac-Cor Pinturas/Grupo Oppnus/Motonil) – SP
3 (81) Sérgio Morsa (Suzuki/Santander/Maxima) – SP

SST
1 Diego Preter (Cromo Speedy/Oxxy/Op.Rural) – SP
2 Pablo Moyses (Selenia/Orto Dente/RS1) – MG

600Sporti
1 (36) Maico Teixeira (Autolub) – RS
2 (14) Norton Masera (Familia Masera) – DF
3 (98) Carlos Alberto Cruz (Motonil Motors /Xereta Vital) – SP
4 (79) Atsushi Kozakai (sem patrocínio) – MG
5 (46) Marcos Reis (performance/CMS/Bannypel) – SP

600Sport
1 (50) Mauro Thomassini (Motom/Revista Trip) – SP
2 (8) Octávio Santos (sem patrocínio) – SP
3 (32) Marcelo Borges (Fambor/Alemão Pneus/BSK) – RJ

250cc
1 (52) Murilo Ribeiro (Protector/V21/SME) – SP
2 (4) Marciano Santin (Rinaldi/Servitec/Datamais) – RS
3 (73) João Victor Batista (Anita/Demarchi/Ecomaquinas) – MS
4 (17) Danilo Lewis da Silva (Alemão Pneus/Corneta/Threeheads) – SP
5 (404) Josué Ferreira Júnior (Califórnia Motopeças) – GO

125cc
1 (88) Rangel Lopes (Podium) – DF
2 (49) Rafael Portaluppi (Transporte Rodoluppi Ltda) – RS
3 (9) Fabiano da Rosa Vaz (Eron Express/Bannypel/Fabio Loko) – RS
4 (12) Patrick Matos (Cerciari Racing School/Sundown) – DF
5 (43) Antônio Thyrso (AT&AT Museum) – DF