Foto: Hector venceu na 65cc e levou o t¡tulo da categoria

Cianorte vê títulos nas categorias de base

Foto: Hector venceu na 65cc e levou o t¡tulo da categoria

Foto: Hector venceu na 65cc e levou o t¡tulo da categoria

Cianorte (PR) – Ap¢s uma sexta-feira chuvosa e um s bado nublado, o sol brilhou neste domingo em Cianorte, Paran , e contribuiu para a festa da s‚tima etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross. A festa foi maior ainda para os paulistas Hector Freitas Assun‡Æo e Thales Villardi, que, respectivamente, ganharam com uma corrida de antecipa‡Æo os t¡tulos das categorias 65cc (7 a 12 anos) e 85cc (11 a 14 anos).

Na 65cc, Hector, que j  havia sido campeÆo em 2004, garantiu o bi ao vencer a prova com o tempo de 21min30s. Ele ainda fez a melhor volta, em 2min7s062. Agora, ele tem 120 pontos e nÆo pode ser alcan‡ado pelo Douglas Fermiano, que tem 91.

Em Cianorte, o segundo lugar da 65cc foi para o matogrossense Cezar Zamboni, com 22m22s, seguido pelo paulista Felipe Rejes de Simoni, com 22m29s.

Na 85cc, Thales venceu com 24m51s741. O tamb‚m paulista Gustavo Pereira foi o segundo colocado, com 25m20s415. Em terceiro, chegou o catarinense Anderson Cidade, com 25min32s293.

Com o resultado, Thales chegou a 152 pontos, contra 127 de Anderson. Se Thales nÆo pontuar na £ltima etapa e Anderson vencer, eles ficarÆo com a mesma pontua‡Æo, s¢ que Thales nÆo pode ser alcan‡ado no n£mero de vit¢rias (venceu 5 das provas at‚ agora), entÆo ele j  ‚ campeÆo.

MX1
Antonio Jorge Balbi – cujos resultados nÆo contam na classifica‡Æo da temporada por ele disputar apenas algumas etapas do Brasileiro como convidado e priorizar o Mundial de Motocross, do qual participa pela federa‡Æo de San Marino – tinha feito o melhor tempo no treino cronometrado e era tido como favorito disparado. De fato, ele venceu, mas ficou algumas voltas atr s do paulista Roosevelt de Freitas, que assumiu a lideran‡a na largada e nÆo foi ultrapassado at‚ errar em uma curva.

“No come‡o tive algumas dificuldades para ultrapassar por a pista ser estreita, mas depois andei bem e nÆo tive problemas”, disse Balbi. “NÆo foi apenas mais uma vit¢ria. Eu vinha tendo dificuldades no exterior, foi um ano muito dif¡cil, por isso ‚ muito bom vencer no Brasil”, continuou o vencedor. Ele completou a prova em 34min28s251.

Em segundo chegou Roosevelt de Freitas, com 35min06s490. E, em terceiro, JoÆo Paulino da Silva, com 36min02s722.
Esse resultado embolou o campeonato. Com o segundo lugar, Roosevelt levou 25 pontos, j  que Balbi correu como convidado, e encostou em Marronzinho, que somou 20 pontos com o terceiro lugar. Na temporada, Marronzinho tem 151, e Roosevelt, 148.

“Eu podia ter chegado em segundo e estar com mais vantagem no campeonato, mas cai, voltei em quarto e ainda consegui recuperar o terceiro. Agora vamos decidir na ultima corrida”, lamentou Marronzinho.

MX2
O paulista Rafael Zenni nÆo podia ter desejado uma etapa mais favor vel a ele. Depois de ter feito o segundo melhor tempo no treno cronometrado, perdendo para a paranaense Leandro da Silva, tudo indicava que Rafael teria o mesmo destino na corrida. Por‚m, nas £ltimas voltas, Leandro caiu, teve de abandonar, e a vit¢ria caiu no colo de Rafael.

“Em nenhum momento me contentei com o segundo lugar. Para mim, s¢ interessava o primeiro. Eu procurei nÆo errar e levei vantagem quando o Leandro caiu”, disse o vencedor, que completou a prova em 35min30s.

Para completar, o l¡der do campeonato, o paulista Marcello Ferreira, e o piloto que era vice-l¡der, Rodrigo Serhorst, nÆo pontuaram. Assim, Rafael chegou a 117 pontos, assumiu a vice-lideran‡a e ficou a apenas cinco do l¡der. Uma vit¢ria na £ltima etapa d  o t¡tulo a Rafael, pois, mesmo se Marcello chegar em segundo, eles ficarÆo empatados em pontos, mas Rafael ter  uma vit¢ria a mais (3 contra 2) na temporada. O n£mero de vit¢rias ‚ o primeiro crit‚rio de desempate.

O segundo na corrida de Cianorte foi Wellington Matos, com o tempo de 36mim37s, seguido por Lucas Moraes, com 36min06s.

MX3
Na MX3, cujo t¡tulo j  estava definido – o campeÆo ‚ o catarinense Milton Becker, o Chumbinho, que nÆo participa da etapa de Cianorte por estar contundido -, o paranaense de Londrina Nico Rocha conseguiu sua primeira vit¢ria em Brasileiros na carreira.

“Em 2005 voltei depois de sete anos parados. E comecei a pensar em voltar aqui, em Cianorte, quando vim assistir a uma prova em 2001. Por isso nÆo poderia ser melhor ganhar aqui. Fica at‚ dif¡cil falar”, disse Nico, que completou a prova em 35min47s560.

Em segundo, chegou o paulista Rog‚rio Nogueira e, com 36min01s143, e, em terceiro, o catarinense Sandro de Souza, com 37min04s281.

No campeonato, o resultado embolou a briga pelo vice. Nico chegou a 86 pontos, contra 96 de Rog‚rio. Alberto Maschio, que foi impedido de largar por nÆo ter conseguido dar uma volta no treino cronometrado – sua moto quebrou – vem a seguir, com 77 pontos.

O Brasileiro ‚ disputado em oito etapas nas seguintes categorias: MX1 (15 a 45 anos), MX2 (14 a 45 anos), MX3 (Mulheres 14 a 55 anos e Homens de 35 a 55 anos), 85cc (11 a 14 anos) e 65cc (7 a 12 anos).

O Campeonato Brasileiro de Motocross ‚ organizado pela Confedera‡Æo Brasileira de Motociclismo (CBM) e patrocinado pela Honda, Mobil e Dunas Race.