Ciclismo ganha bicicletas para pistas

SÆo Domingos – Pela primeira vez na hist¢ria do ciclismo do Brasil, a sele‡Æo nacional tem bicicletas pr¢prias para as provas de pista.

H  um mˆs, a Confedera‡Æo Brasileira de Ciclismo (CBC) comprou dez modelos importados por mais de US$ 2 mil cada. Hernandes Quadri J£nior, bronze na persegui‡Æo por equipes nos Jogos de Mar del Plata, em 1995, quarto lugar na edi‡Æo de Winnipeg, em 1999, e o melhor atleta do Brasil de pista em SÆo Domingos, nÆo tem bicicleta pr¢pria para o vel¢dromo.

Essas bikes nÆo possuem freios nem cƒmbio e as rodas traseiras, geralmente, sÆo fechadas. Explica que as suas duas £nicas bicicletas sÆo para o contra-rel¢gio de estrada e para a prova de estrada, que ser  disputada no £ltimo dia de competi‡Æo. “ muito caro pedalar na pista no Brasil. Eu uso sempre a bicicleta da entidade nos torneios internacionais”, conta Hernandes, que em 1999, “pilotou” um modelo feito em Portugal na v‚spera do Pan. “At‚ entÆo us vamos bikes da ‚poca da Fam¡lia Flinstones”, frisa Hernandes referindo-se ao desenho animado que ‚ ambientado na Idade da Pedra.

Bruno Caloi, atual presidente da CBC, tenta ressuscitar as provas de pista no Brasil. H  um ano voltou a organizar um campeonato brasileiro.

“ pequeno, dura apenas dois dias, no vel¢dromo de Curitiba. Tem poucas equipes completas, umas cinco (outros atletas vÆo sozinhos), mas ‚ o come‡o. NÆo podemos recuperar oito anos de esquecimento em dois”, declarou em rela‡Æo a administra‡Æo anterior. Bruno voltou ao cargo h  dois, em elei‡Æo conturbada contra o ex-presidente Jos‚ George Breve, o Passarinho.

Tamb‚m pela primeira vez, observou Hernandes, a Confedera‡Æo fez seletiva para provas internacionais. H  dois t‚cnicos espec¡ficos para a pista – Iverson Ladewig e Adir Romeo – e como prepara‡Æo para o Pan, a sele‡Æo ficou concentrada em Curitiba – em alojamento. Bruno observa que o maior problema atualmente ‚ a falta de patrocinador.

Para obter vaga ol¡mpica, Hernandes, o £nico brasileiro em condi‡äes de disputar os Jogos de Atenas na pista (na prova por pontos), ter  de disputar no ano que vem quatro etapas da Copa do Mundo (uma delas ser  no M‚xico e as outras na Europa) e o Mundial (na Su¡‡a, ou R£ssia ou Canad ) para pontuar no ranking mundial – h  crit‚rios diferentes para a prova de estrada

De acordo com o chefe da equipe e homem de confian‡a de Bruno, Jos‚ Luiz Vasconcellos, o calend rio ainda nÆo foi divulgado. Haver  uma conven‡Æo da UniÆo Internacional de Ciclismo (UCI) no dia 9 de setembro, quando as datas e locais das competi‡äes serÆo confirmados.